Arquivo

Maio 2008

Posts em Maio 2008.

Plágio NÃO!

MÚSICA DO DIA: FROM ME TO YOU – BEATLES

Plágio NÃO!

Então é assim (analisando especificamente sobre blogs):
Vc dedica algum tempo do seu dia para escrever, pq afinal de contas, vc gosta e pensando bem, é uma verdadeira terapia pra vc.
Escreve algo interessante ou algo que simplesmente agrade quem lê ou visita seu blog e quando se dá conta, um belo dia, descobre que seu texto foi copiado. Copiado assim; na base da filhadaputagem, sem os devidos créditos à vc ou colocando a situação de uma forma mais específica:

Plágio!

E aí aquela sua terapia de escrever tantas e tantas palavras torna-se um pesadelo, uma piada de puro mau gosto, pq é a mesma coisa que se sentir nu(a) no meio de milhões de pessoas vestidas de burqa.
Não, isso (ainda) não aconteceu comigo…
Pelo menos por enquanto ou até aonde eu sei (tirando o dia que eu encontrei por um acaso uma garota que copiou todo o meu perfil; estranhamente ela gostava exatamente das mesmas coisas que eu, e só teve o trabalho de mudar o meu nome pro dela), mas de uns meses pra cá andei lendo por aí alguns blogs que abordaram e opinaram muito sobre esse assunto e pior ainda: que foram plagiados também.

Plágio é crime. Está na Lei nº 9.610/98 – A Lei de Direitos Autorais.
Se quiserem saber mais, procurem no Santo Google – o Senhor das Pesquisas, dos achados e perdidos e se informem a respeito.
Sempre que coloco textos que não são meus aqui, escrevo em seguida os devidos créditos com a fonte de quem de fato pertence, sempre fiz isso e não por uma questão de “ah se descobrirem que isso não é meu, vai dar problema”, mas pelo simples respeito.
Respeito por quem escreveu, respeito por onde está sendo transmitido e mais ainda: Respeito por quem está lendo.

Embora não pareça – pelos assuntos que são abordados aqui, eu levo muito a sério esse blog sim. Aprendi muito com esse pequeno espaço, conheci pessoas brilhantes, assuntos dos mais variados e desde que comecei nesse mundo pararelo, procurei fazer as coisas da melhor maneira possível… Não para agradar ninguém, mas pelo princípio básico de: ou faz bem feito ou não faz.
E durante todo esse tempo de blogs e de uma forma geral na internet tbm, vi muita gente agindo de má fé em relação a isso, e garanto que nunca encontrei um que tenha agido errado por simplesmente não saber. Lembro de uma garota do Japão que eu sempre lia o seu blog e por sinal, ela escrevia muito bem. Certa vez ela descobriu que uma outra garota na maior cara de pau copiou todinho o layout do seu blog, e não satisfeita alguns de seus textos tbm. Dias depois, essa garota do Japão deletou seu blog e nunca mais voltou a postar, talvez pq toda aquela graça e encanto de escrever, de dedicar horas e horas montando um layout legal, tenha se esvaecido quando ela descobriu que existem pessoas tão sujas e mesquinhas que são capazes disso.

E aí, algumas pessoas, permitam-me um eufemismo – mais ponderadas, podem alegar e argumentar o plágio à desinformação ou o simples não saber; copiou sem os créditos e não sabia, vejam vc’s, que não é assim que a banda toca.

Mas… Será? Será mesmo?

Não acho que o ser humano seja tão ingênuo com uma coisa tão óbvia e falada como essa, ainda mais quando se mostra, afinal, tão esperto para tantas outras coisas.
Plágio, seja lá do que ou de quem for copiado, é coisa de gente que não tem um pingo de vergonha na cara realmente, que copia e acha que ninguém e nunca irá descobrir, que tem a velha, chata e peculiar mania de achar e querer ser mais esperto que os outros… É a mais pura falta de personalidade e caráter – colocando então de uma forma mais sucinta.

Pensem apenas…. Imaginem quantos milhares de Nelson Rodrigues, Fernando Pessoa, Clarice Lispector estivessem perambulando por aí se esse lance de créditos e direitos autorais não existisse… Não só para poetas e escritores, mas pra tudo: musica, cinema, arte (imaginem Picasso pegando a Monalisa de Da Vinci)… Qualquer coisa.
Imaginem a bagunça que a vida seria, a briga que geraria e as injustiças que se cometeriam…. Nós, humanos e mortais tão espertos precisamos de regras para viver, precisamos respeitar para ser respeitado e precisamos mais ainda do bom senso, coisa que muita gente – infelizmente – nem sabe o que é isso.

Coloquei um selo aqui no blog, de uma campanha feita por ela:

“Plágio é Atestado de Burrice!”


Quem tbm quiser aderir a esse movimento sinta-se a vontade, não esquecendo é claro, de deixar de colocar os devidos créditos ao criador.
Plágio aqui, NÃO!

Livro + Filme

MÚSICA DO DIA: DESCONFIO – CPM22

Livro + Filme

Pra não me sentir culpada em postar tantas abobrinhas sobre as celebridades idiotas e suas vidas infâmes, prometi falar de livros e filmes no próximo post que por sinal é este aqui, então let’s go:

Dei de presente à minha mãe, agora no Dia das Mães, o livro “A Cidade do Sol” de Khaled Hosseini – o mesmo que escreveu “O Caçador de Pipas” e que como referencia é um ótimo livro tbm:

Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rasheed, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: “Você pode ser tudo o que quiser.” Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela História, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a História continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do “todo humano”, somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.

No Submarino

Eu estava lendo Atlantis de David Gibbins, mas depois que li as primeiras 173 páginas perdi a paciência e resolvi parar de uma vez por todas, tudo pq o livro simplesmente não me agradou em nada.
(e odeio quando isso acontece).
Tinha tudo para ser um ótimo romance recheado de fatos reais segundo dados colocados pelo autor, haja vista pelo tema que aborda – e foi por isso que acabei comprando, mas são informações tão técnicas e detalhadas que se torna algo cansativo, praticamente um sono forçado ou uma dose cavalar de Diazepam em forma de páginas, e a história que tinha tudo para ser emocionante é o que menos aparece.

Como minha mãe está terminando de ler um livro espírita – tema que ela adora, resolvi então usufruir do seu presente (confesso havia todo um interesse da minha parte quando comprei), e posso dizer sem qualquer sombra de dúvidas que “A Cidade do Sol” é um livro apaixonante e emocionante logo nas primeiras duas páginas.

Estou adorando.

Penso que, livro é algo tão pessoal quanto a roupa íntima que vc veste.
Muita gente lê a mesma coisa, do tipo algum best seller do momento, mas todo mundo tem uma preferência por determinado tema ou assunto, e acho que (quase) todos sabem dos temas e assuntos que eu mais gosto e principalmente sabem, daqueles livros que tem a minha sincera e profunda antipatia; na minha opinião – por exemplo, Paulo Coelho é o top da porcaria literária assim como a sua pessoa (acho um absurdo ele se autodenominar como Bruxo, Mago ou sei lá mais o quê) e livros enfadonhos do tipo auto-ajuda como “O Segredo” (que eu só precisei folhear duas páginas e ter certeza daquilo que eu já sabia: é uma bosta) eu nem perco o meu precioso tempo em tentar gostar.

Mas por favor, que fique bem claro que eu respeito quem gosta e lê, é por isso que eu disse que cada um tem um gosto diferente, porém, minha opinião pode não ser a mesma que das outras pessoas. All right?

No mais, leiam “A Cidade do Sol”. Eu recomendo!

Nesse final de semana que passou assistimos com um casal de amigos Alvin e os Esquilos:

Sinopse

Alvin, Simon e Theodore são três esquilos especiais, que decidem morar na casa de Dave Seville (Jason Lee), um compositor em busca do sucesso. Logo eles percebem que, para que Dave permita que eles morem em sua casa, o trio precisará demonstrar que tem talento. Assim Alvin, Simon e Theodore mostram que sabem cantar, tornando-se um grande sucesso. Isto faz com que Dave torne-se não apenas seu compositor, mas também um verdadeiro pai. Só que o estrelato sobe à cabeça do trio, gerando problemas no relacionamento deles com Dave.

Não é muito o gênero de filme que eu gosto (tirando o Shrek) se comparado a ultima dica que coloquei aqui e que muito menos eu tbm pagaria por uma entrada no cinema, mas o filme é bem engraçadinho e valeu pelas risadas, assistam quando estiverem de bom humor.