Arquivo

agosto 2008

Posts em agosto 2008.

Viajando: Liverpool – Inglaterra

MÚSICA DO DIA: SHE LOVES YOU – BEATLES

Viajando: Liverpool – Inglaterra

Como prometido hoje falarei sobre o segundo lugar da Europa que visitamos:

Liverpool!

Liverpool foi a segunda cidade da Europa que visitamos e o primeiro lugar que eu pisei da minha tão sonhada Inglaterra. Amei essa cidade desde o aeroporto que se chama John Lennon (isso pq já estava de saco cheio de voar de avião) até os cantos de ruas mais afastados.

Liverpool é uma cidade portuária não muito grande, mas que vc encontra infinitas coisas legais pra fazer ou visitar e que um dia apenas é muito pouco pra vc conhecer, gostaria de ter ficado mais.
E claro, foi aonde nasceram os Beatles e que na minha opinião é, e sempre será a melhor banda do mundo e de todos os tempos , eles tem muito orgulho disso e afinal… QUEM não teria?

Aliás, cada canto da cidade há algo Beatles , seja um Yellon Submarine , museu que conta toda a sua história ou qualquer outra coisa que seja em homenagem à essa inesquecível banda.
Foi em Liverpool também que eu visitei, na minha opinião, uma das catedrais mais lindas da Inglaterra , fica bem pertinho do albergue em que ficamos e era um monstro de enorme.

Como na Irlanda (e talvez em todo esse pedaço da Europa), o clima é extremamente temperamental, mas em nenhum momento – nem em Liverpool nem no resto da nossa viagem, isso nos atrapalhou, ao contrário, dava um toque todo especial, quase que um charme ao lugar.

Liverpool como eu imaginava é uma cidade apaixonante , é um lugar que se algum amigo meu for visitar a Inglaterra eu recomendo Liverpool para se colocar no roteiro, mas… Reserve pelo menos uns dois dias, pq no mínimo será tão inesquecível…

… Quanto foi pra mim!

Próxima parada: Edimburgo – Escócia com direito a William Wallace e tudo!

Fenômenos e Filmes.

MÚSICA DO DIA: CALOR DA HORA – PAPAS DA LÍNGUA

Fenômenos e Filmes.

Antes de tudo: Prometo amanhã queridos e pacientes leitores escrever sobre Liverpool à vc’s, mas é que hoje resolvi escrever algumas coisas aqui que achei um tanto quanto…. Hãm…. Interessantes? Compartilháveis? Enfim…:

Um fenômeno óptico conhecido como halo foi visto em algumas cidades do Estado de São Paulo e Paraná. O fenômeno, uma espécie de disco em torno do sol, é formado pela refração da luz solar nos cristais de gelo presentes na nuvem cirrostratus.
Este tipo de nuvem, muito alta na atmosfera, é constituída totalmente de cristais de gelo e normalmente é observada antes da chegada de frentes frias.

Fonte: UOL

É! Levando em consideração o clima seco que está fazendo nessa cidade e que por conta disso a minha garganta foi pro saco e a minha rinite deu “alô” novamente, eu sinceramente achei que fosse a maldita poluição.

Sorry, me enganei!

Filmes?
Ah, eu AMO filmes:

Assistimos a esses dois que eu RECOMENDO à todas pessoas que eu gosto do fundo do meu coração, pq ambos são ótimos:

Juno

Sinopse

Juno MacGuff (Ellen Page) é uma jovem de 16 anos que acidentalmente engravidou de Paulie Bleeker (Michael Cera), um grande amigo com quem transou apenas uma vez. Inicialmente ela decide fazer um aborto, mas ao chegar na clínica muda de idéia. Junto com sua amiga Leah (Olivia Thirlby) ela passa a procurar em jornais um casal a quem possa entregar o bebê assim que ele nascer, já que não se considera em condições de criá-lo. É assim que conhece Vanessa (Jennifer Garner) e Mark (Jason Bateman), um casal com boas condições financeiras que está disposto a bancar todas as despesas médicas de Juno, além de dar-lhe uma compensação financeira caso ela queira. Juno recusa o dinheiro para si, mas decide que Vanessa e Mark ficarão com seu filho.

Gosto de filmes que abordam situações de conflito que acontecem com muita gente de uma maneira sublime, quase poética. Juno é um desses filmes, adorei!

Mais o melhor é esse aqui:

Na Natureza Selvagem

Sinopse

Início da década de 90. Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade.
Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas.
Até que, após 2 anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca.

Vi a recomendação desse filme no blog da Micha e ela gostou tanto que anotei a dica, o filme é maravilhoso, a história, a fotografia, a trilha sonora, tudo muito bem feito.
Assistam e não vão se arrepender. Micha, obrigado pela dica!

E amanhã, vamos todos pra Liverpool, ok?

Viajando: Dublin – Irlanda

MÚSICA DO DIA: PANIC – SMITHS

Viajando: Dublin – Irlanda

Viu o = Link com fotos.

Primeiramente: Desculpem pela ausência por esses dias (vou retribuir todos os comentários, prometo!), mas agora que aos poucos eu estou conseguindo deixar todas as coisas da minha vida no seus devidos lugares (embora eu ache que meu coração tenha ficado em algum lugar perdido de Londres). Viajar é uma delícia, mas depois ter que desfazer as malas (que estavam “perdidas”) e ajeitar tudo por aqui é a outra parte bem trabalhosa e igualmente chata.

Dessa semana em diante eu vou dedicar todos os meus posts à essa viagem, será um registro para quem quiser ler, (e quem não quiser – sorry), mas será algo registrado pra eu guardar especialmente para mim e no meu coração esses momentos que sem dúvidas, foram os melhores da minha vida!

Hoje vou falar um pouco de Dublin (Irlanda) que é um lugar especialmente lindo e que as 10 horas da noite o sol ainda está brilhando no céu Irlandês.

Vou começar pela viagem propriamente dita, ou seja, o avião…
Não sei se já disse aqui, mas eu odeio viajar de avião! Não por medo, fobia ou algo do gênero, mas por simplesmente odiar o fato de ter que ficar 12 horas sentada e fechada em uma caixa voadora, sem contar que fizemos escala em Amsterdã que resultou em duas horas de espera pra depois fazer mais um vôo de uma hora e quarenta minutos aproximadamente até a Irlanda.

Mas quando coloquei os pés pra fora do aeroporto de Dublin (detalhe: a alfândega de lá é um sossego) eu vi que todo aquele cansaço do avião valeu a pena.

Dublin é uma cidade linda, seu turismo ainda tem muito que crescer, mas de longe vc percebe que é um lugar aonde tem tudo pra dar certo.
As pessoas são extremamente amáveis e educadas, fazem questão de te ajudar e embora seja um tanto quanto difícil entender o sotaque deles (eles misturam um pouco com o Polonês), não é difícil de vc se familiarizar com a Irlanda.
Ficamos dois dias por lá e a cidade por si só já um grande atrativo, digna de qualquer cartão postal ou simplesmente algo que vc vê e guarda pra si no coração.

Dublin é uma cidade que está passando por uma constante reforma, a cada canto que vc passe, vc acha pelo menos um lugar que está em processo de construção ou algo assim, o que por um lado é ótimo, pois é uma prova de que a cidade está sempre em crescimento sem perder aquele peculiar toque histórico e único do velho mundo .

Foi em Dublin que comi o meu primeiro Breakfast, e nada mais é que um prato calórico com ovo frito, salsicha frita, bacon, batata frita (claro!), cogumelos, tomate e um feijão que pasmem: é doce! Calórico sim e extremamente gostoso, perdi as contas depois de quantos mais desses comi em Londres.

Fomos também à fábrica da cerveja Guinnes , aliás, um dos passeios preferidos do meu amado marido que sempre fazia questão de dizer que a cerveja Guinnes era a solução pra qualquer dor de cabeça ou cansaço do dia.

E eu tomei a minha Guinnes , pode até ser besteira, mas até pra mim que não gosto de cerveja, lá teve um gosto todo especial e único (ou era sede mesmo?).
O albergue em que ficamos apesar de ser uma bomba e parecer mais uma coisa estranha de cenário pra filme de terror atendeu a todas as nossas necessidades assim, digamos que básicas: dormimos bem e o chuveiro era ótimo.
Dublin tem um clima um tanto quanto temperamental, se resolve chover, o tempo simplesmente fecha à sua cabeça e descarrega uma chuva fina e gelada em cima de vc, pra daí 20 minutos depois abrir novamente um sol lindo como se nada tivesse acontecido – coisas do clima europeu.

Se eu fosse resumir sobre a Irlanda eu diria que é um lugar aonde vc é sempre bem recebido por tudo e por todos de coração aberto – sem esperar algo em troca, é um lugar apaixonante, histórico, lindo, que está em constante crescimento, e se o mundo inteiro fosse assim…

Bem….
…. O mundo seria bem melhor!

Próxima parada: Liverpool – Inglaterra, a cidade dos Beatles (quase enlouqueci com isso) e aonde eu visitei uma das Catedrais mais lindas da Inglaterra!

De volta pra casa…

MÚSICA DO DIA: MILES AWAY – MADONNA

De volta pra casa…

E não é que eu voltei!!!! (ah-ah-ah)
Queridos, estou de volta sim, com milhões de coisas pra contar e mais milhões de sonhos realizados!!!

Europa é literalmente um outro mundo, (um mundo bem melhor pensando bem), conhecemos vários lugares, encontrei com meu amigo da faculdade, e de quebra conhecemos os amigos dele que viraram nossos amigos e agora mais do que nunca são pessoas inesquecíveis em nossas vidas.
Fomos pra Dublin – Irlanda, Inglaterra (várias cidades), Paris – França e Edimburgo na Escócia, mas tudo isso eu vou contar no decorrer desta semana pra deixar tudo muito bem registrado à vc’s, prometo!

E claro que tirei milhões de fotos (cerca de 2 mil, ui), mas antes preciso colocar minha cabeça no lugar e a minha vida tbm, sinto que parte de mim ficou em Londres, aquele lugar é apaixonante, viciante – bem como todos os outros lugares que eu conheci, a viagem de volta foi bem cansativa; atrasou o vôo de London com escala em Amsterdã, e por conta disso quase que não conseguimos pegar o nosso vôo de Amsterdã/São Paulo e que por conseqüência as nossas bagagens acabaram ficando por lá, mas a empresa aérea que voamos garantiu que entregam tudo para nós amanhã (aaaah, quero minhas coisas) sem falta.

Comprei muitas coisinhas legais por lá, entre elas um notebook muito fofo que cabe em qualquer bolsa simples, esse tipo de coisa por lá é muito barato e todo mundo tem!
E como não poderia deixar de comentar: a Madonna (finalmente!) confirmou a turnê dela aqui no Brasil (18/12 no Morumbi), fiquei louca quando soube e mais louca ainda em saber que o ingresso VIP é uma bela facada no rim de 600 reais…
Enfim, isso também é assunto pra depois, tenho muita coisa pra contar dessa viagem com certeza, mas por ora o cansaço está falando mais alto!