Posts arquivados em Mês: setembro 2011

29 set, 2011

Nécessarie de Viagem: O que levar?

Nécessarie de Viagem: O que levar?

Atendendo aos pedidos, fiz um post de coisas que você pode e DEVE levar na nécessarie em uma viagem, mas fiz escolhas bem básicas por alguns motivos:

1) Levar mil batons, 5 estojos de sombras, 10 máscaras para cílios só vai fazer volume, carregar no peso e independente do período da viagem, você não vai usar tudo e nem precisar dessa quantidade toda, pode ter certeza!

2) Menos é mais – kit na nécessarie de viagem tem que ser super básico e isso é algo que considero muito estratégico porque: como disse antes – não você não vai usar tudo e quanto menos, mais coisas e mais desculpas você terá pra comprar na viagem e voltar com a nécessarie (ou até mais de uma) abarrotado de makes novas (minha viagem pro Chile foi assim), olha que delíciaaaann!

Vamos primeiro então falar sobre a necessárie de maquiagem, fiz algo que considero indispensável pra mim mesmo sendo bem básico e independente da imagem da marca que usei pra ilustrar esse post, a escolha da marca é pessoal de cada uma:


– Uma base: porque eu não sei vocês, mas independente do clima eu sempre uso uma base, então é assim: pra lugares quentes escolham aquela mais suave, oil free e de preferência com cobertura matificada, nos lugares frios: qualquer uma que você prefira, maquiagem no frio é uma combinação que sempre dá certo, amo isso.

– Um kit básico de pincéis para viagem: pra base, pó, blush, sombra, corretivo. De preferência pra escolha de um tamanho pequeno pra poder caber na nécessaire. Perfumarias sempre tem esses kits de viagem e são baratos.

– Pó compacto ou o Blot da M.A.C: que eu amo e segura super bem a oleosidade, esse se puder escolher se joga no Blot porque vale à pena.

– Corretivo porque né… Acordar super cedo, ir dormir ultra tarde te garante aquelas odiáveis olheiras de panda e o corretivo é sempre um companheiro indispensável na nécessaire.

– Dois blushes: um mais puxado pro rosa e outro mais puxado pro pêssego pra dar aquele efeito de pele saudável, sugeri duas cores diferentes porque dependendo do tempo de viagem, com certeza você vai enjoar se levar só um.

– 3 batons: um vemelho (pra noite), um rosinha e um nude (pro dia, pra tarde). No mesmo esquema dos blushes: se levar um só, vai enjoar rápido e são 3 opções que se encaixam perfeitamente de acordo com a hora do dia ou da noite.

– Uma paleta de sombras com cores básicas: marrom, creme, preto, rosa queimado. Eu escolhi a Naked da Urban Decay porque é essa que vou levar na minha viagem e ela funciona muito bem tanto pra makes durante o dia como pra uma mais elaborada à noite.

– Delineador em caneta: é mais prático e não corre aquele risco do potinho quebrar ou abrir, se você tem só desses de pote, that’s ok… Feche direitinho e acomode bem na nécessarie.

– Lápis preto: porque né… É básico!

– Uma máscara para cílios: e uma só porque durante a viagem é certeza que você vai comprar pelo menos mais umas duas, escolha a que você mais goste e de preferência pra aquela que seja a prova d’agua, assim dura o dia inteiro.

Pronto. Essa foi a necessárie de makes, agora vamos pra outra que são itens que você PRECISA LEVAR, do contrário, terá que comprar no destino porque em alguma hora com certeza você vai precisar:

– Cotonetes: pra arrumar a make, limpar os ouvidos (higiene, néam minha gente?), essas coisas… Não precisa levar uma super caixa como essa que mostrei na foto, calcule mais ou menos quanto você acha que vai usar e coloque dentro de um saquinho, bem mais fácil, bem menos espaço.

– Pinça: porque uma mulher não vive sem pinça, sobrancelhas crescem e pode até servir como um item de primeiro socorros caso aqueles acidentes aconteçam: lasquinha de madeira que entrou na mão e tals, pinça é como se fosse o fósforo pra acender uma fogueira numa floresta selvagem.

– Tesoura pra né… Cortar as unhas, tirar as etiquetas das roupas maravilhosas que você vai comprar, super necessário ter.

– Band Aid: esse que coloquei na imagem é pra você passar naquela área dos pés aonde o sapato as vezes machuca (principalmente se você for andar muito), você usa ele antes de colocar os sapatos e ajuda bastante. Esse não vende aqui no Brasil, leve então o band aid normal e se sua viagem é para o exterior, procure deles por lá e recomendo fazer um estoque, pés machucados ninguém merece!

– Lixa de unha: uma só já está bom, perceberam que eu não coloquei nem esmalte porque se for uma viagem de mais de 15 dias, não recomendo usar esmalte porque se você pintar as unhas vai ter que levar acetona, algodão e tals… Antes de viajar tire as cutículas e se preferir passe apenas uma base incolor, pois acredite: ninguém vai ficar olhando pra suas mãos e você não vai ter o menor saco de ficar fazendo as unhas na sua viagem, deixe esse trabalho na volta, pra manicure.

– Protetor labial que vale pra qualquer clima – tanto quente como principalmente pro frio, deixe ele sempre perto daquilo que você mais usa, como por exemplo, sua câmera de fotos… Você SEMPRE vai precisar dele.

– Protetor solar para o rosto e do mesmo jeito: tanto pra dias quentes como frios, se você for pra um lugar quente, pelo amor de Deus mulher, não esqueça do protetor solar para o corpo também, sua pele agradece.

– Lencinhos demaquilantes: porque eu acho mais prático que levar o demaquilante liquido, afinal se levar esse vai ter que levar aqueles disquinhos de algodão, então acho os demaquilantes em lenços são bem mais práticos.

– Hidratante para o corpo porque né… Precisa!

Não adicionei shampoo, condicionador, escova de cabelo, de dente, pasta de dente, fio dental (pro dente, beesha, não o biquíni), sabonete pra lavar o rosto porque acho que isso todo mundo já sabe e nem precisa repetir, né?

27 set, 2011

Playlist de Viagem

Playlist de Viagem

Música é algo que sempre fica marcado na vida de qualquer pessoa (seja pro lado bom como também pro lado ruim), tem aquela música que te marca por um amor, outra dos tempos de escola ou até mesmo aquela música que você adora, mas que passou a odiar porque colocou como toque no despertador do celular (isso já aconteceu comigo) mmmeheueheueh.


Hoje, como já estou em ritmo louco de viagem (15 dias), fiz uma lista de músicas que pelo menos para mim tem a cara de tudo isso: viagem, férias (principalmente aquela viagem que você está planejando há tempos), passeios, lugares e afins. Pra falar a verdade essa lista começou com 10 músicas apenas, aí perguntei no twitter se seria interessante aumentar pra 20 e todo mundo apoiou, aí eu exagerei mais um pouco e aumentei pra 40… Ainda não contente, uma semana depois coloquei mais 10 músicas e virou um top list de viagem com 50 músicas! Tá bom já, néam?

E informo: são músicas bem legais que dá pra ouvir em qualquer ocasião – festinha, relax, no carro, no bus, fazendo exercício, lavando a louça. Percebam que alí tem um mix que vai desde Beatles à uma baladinha dos anos 90 como Haddaway (nuuóóóóssa), mas que pra mim é tudo PLAYLIST DE VIAGEM!!!

Segue aí as 30, 40 (na verdade) 50 músicas para se curtir numa viagem, clique em cima da fita k7 (super moderno, ui) vacation playlist que em seguida você será direcionado pra outra tela e poderá ouvir todas músicas:


Se não abrir a outra tela, é só clicar aqui.

P.S. Geeeeeente, desculpa mas eu não consegui tirar a opção de começar a tocar automático nessa bodega, então todas vezes que vocês entrarem no blog, não se assustem se começar a tocar Beatles, é só ir lá e pausar o raio do botão, quem souber como tira isso do automático, me ensina, porfá!. Resolvi ehehehhe!

26 set, 2011

O fim do R.E.M

O fim do R.E.M

Nessa ultima quarta-feira o R.E.M anunciou o fim da banda que já tinha 31 anos de carreira. e juro, como fiquei triste. R.E.M é uma das minhas bandas preferidas (e sempre vai ser) e ainda sonhava em ir a um show deles algum dia (kuén, kuén, kuén), mas né… Agora é tarde demais. Lembro que eu tinha a fita k7 (porra faz tempo) do álbum “out of time” e com certeza “losing my religion” foi de cara a primeira música que me faz apaixonar por essa banda! O UOL fez uma matéria muito legal relembrando os 10 momentos mais marcantes da carreira deles, muitos momentos que até então eu mesma desconhecia, dá só uma olhada, vale a pena ler:


E pra terminar algumas das minhas músicas preferidas deles:


R.E.M vai deixar muitas saudades!!!

Uma das coisas grandiosas sobre estar no REM foi o fato de que os registros e as canções que escrevemos significaram tanto para os nossos fãs quanto significaram para nós – Peter Buck

23 set, 2011

Dica de Viagem: Trens na Europa

Dica de Viagem: Trens na Europa

Viajar de trem na Europa é muito fácil. Fácil porque dependendo do lugar em que você está, você consegue de trem ir de um país para o outro na maior moleza. Os trens da Europa são excelentes: poltronas super confortáveis (e algumas com mesa), banheiros, tomadas para recarregar seus equipamentos como notes, celulares, câmeras, sem contar que alguns trens possuem wi-fi de graça e lanchonete pra você comprar um café ou até mesmo fazer um lanchinho dentro do próprio trem.

Acontece que esses bilhetes de trem, se comprados lá, saem muito mais caros dependendo é claro do quanto você vai usar. Se você vai viajar, por exemplo, pra Londres e pretende ficar somente na cidade, então não há necessidade de comprar bilhetes de trem, mas se de Londres você quer se deslocar pra alguma outra cidade é aí que o site Rail Europe entra nessa história toda.

Por que compensa comprar antecipadamente e pela internet?

Porque sai muito, mas muitoooo mais em conta. A diferença de preço chega a ser absurda e os bilhetes têm uma grande vantagem: você paga por dias e não pelo numero de lugares que irá passar. Por exemplo: pra Itália compramos bilhetes pra 8 dias. Esses 8 dias não são corridos, são alternados de acordo é claro com o nosso planejamento de viagem. Então funciona da seguinte forma: se no primeiro dia de bilhete você vai de Milão até Verona e depois de Verona até Veneza e no mesmo dia quer voltar de Veneza direto pra Milão, o bilhete só vai contar pelo dia da viagem e não pelo numero de cidades que você passou.

Portanto, a matemática é essa: se no mesmo dia você quiser visitar 20 lugares diferentes usando o bilhete de trem você não vai pagar a mais por isso, pois como disse, ele é contado por dia e não pelo número de viagens. Agora imaginem então a economia, no quanto você gastaria se tivesse que comprar todos esses bilhetes pra poder viajar levando em conta que, se eu bem me lembro de preços, o mínimo de um bilhete é de mais ou menos uns 40 euros (por pessoa e só a ida). Entenderam então aonde entra a grande economia e a vantagem do babado?


Os bilhetes dependendo do país/cidade podem ser validados na própria estação central de trem e depois que você entra, sempre tem um funcionário de chapeuzinho e uniforme que vai passando pelos vagões e validando o bilhete da galera (é necessário apresentar o passaporte junto) e eu acho isso muito glamour ehehehehe. Quando viajamos pra Inglaterra nossos bilhetes só valiam pras viagens dentro do país, porém, queríamos ir também pra Escócia e fomos até New Castle – uma cidade da costa da Inglaterra quase já com a fronteira de Edimburgo.

No dia, quando fomos de New Castle pra Escócia perguntamos antes pro bilheteiro se assim, só por um acaso, poderíamos ir pra Escócia com aquele bilhete… Vai que né…. E ele disse que sem problemas, que poderíamos ir e ainda brincou com um sorriso bem simpático naquele delicioso sotaque britânico “a Escócia já está pertinho” e então, conseguimos sair do país com o mesmo bilhete e nessa brincadeira economizamos a bagatela de 96 libras por pessoa (e só a ida).


Em 2008 indo pra Escócia, nesse dia conseguimos uma poltrona com mesinha!

Eu não me lembro exatamente o site em que compramos os bilhetes pra Inglaterra, mas dessa vez pra Itália compramos pelo Rail Europe que também vende bilhetes pra todos os países da Europa! Ah e claro: antes de comprar, primeiro de tudo saiba quantos dias você irá precisar pra se locomover de trem pra não comprar nem muito a mais e nem muito a menos, no nosso caso, como disse – compramos pra 8 dias de acordo com os nossos planejamentos de viagem.

O site da Rail Europe é muito fácil de comprar, dá pra abrir a página escolhendo o idioma português e nele tem bastante informação que com certeza ajuda muito na hora da compra. Você paga com o cartão internacional (não tem paypal), mas sem medos porque é super seguro. Pra vocês terem uma idéia, nós compramos em um domingo e recebemos os bilhetes na terça, a entrega não é feita pelos correios (ainda bem, néam?) e sim pela DHL, por isso a rapidez.


Enfim… Espero que com essas informações eu tenha ajudado vocês, pelo menos um pouquinho, néam? Recebi alguns pedidos pelo twitter e nos comentários aqui do blog pra escrever de como é o esquema de viagens de trens por lá e se tiverem mais alguma dúvida podem perguntar nos comentários que com certeza eu respondo.

19 dias…

21 set, 2011

Dica de Viagem: Albergues

Dica de Viagem: Albergues

Eu sempre falei que ficamos em albergues quando viajamos pra Europa e dessa vez tirando alguns dias de hotéis (de um pacote que fizemos entre a agência e a TAM), nos demais dias todos serão em albergues (tirando Londres, que vamos ficar na casa do Marcelo). Além de ser uma opção extremamente econômica se comparada ao preço de uma diária de hotel, existem outros motivos que fazem dos albergues uma boa opção de hospedagem. Pra começo de conversa, quando se viaja – pelo menos comigo e o Rick funciona assim: acordamos super cedo, tomamos café, passeamos o dia inteiro e só voltamos à noite pra um banho, comer alguma coisa e dormir. Nada mais que isso. Logo, pra quê pagar hotel caro? É lógico que não vou dormir em qualquer pulgueiro, mas não dou aquela super prioridade pra um extremo conforto cheio de frescuretes das quais eu nem vou usufruir.

Antes de viajar é importante reservar o hostel/albergue bem antes, principalmente se for em alta temporada. Os albergues na Europa funcionam da seguinte forma: você faz a reserva pela internet (que já já vou indicar um site ótimo) e no site mesmo você já faz a escolha da opção que: tanto pode dividir o quarto com uma galera de até mais ou menos 20 pessoas (ou menos… ou mais… rs) ou pode ter um quarto só pra você com a opção de banheiro dentro do quarto ou não. Nem todos os albergues têm esse tipo de quarto disponível, em 2008, apenas em Paris que conseguimos um quarto só pra nós dois e com banheiro. Já dessa vez, todos os albergues que vamos passar serão quarto + banheiro só pra gente. O que notei é que, dessa vez, a diferença de preço entre um quarto private e um quarto compartilhado era ridícula de mínima e não sei exatamente o motivo disso… Talvez porque estamos indo fora de temporada ou talvez até mesmo por conta da crise financeira que a Europa está passando, enfim… O que importa é que fizemos boas escolhas.

Albergues, além de serviços de internet gratuita, cofre (nem todos), lounge, também tem cozinha, sala de tevê e lavanderia (lavanderia não todos), o que é óteeeeemo: à noite você compra algo no mercado, cozinha no albergue, come, toma um banho e vai dormir. Na cozinha cada um lava o que sujou, etiqueta o que comprou e assim não vira problema pra ninguém. O café da manhã também está incluso na hospedagem, é claro que não é assim um puuutaaaa breakfast, mas pão (geralmente uns 2 tipos no mínimo), manteiga, geléia, leite, café e suco nunca faltam (aliás, os sucos da Inglaterra são horríveis, passem longe).

Em alguns albergues da Itália que vamos ficar, tem uma opção que eu achei deveras interessante: aluguel de bicicletas!!! Eu já fiquei empolgada antes até mesmo de saber que tipo de bicicleta é, (vai que né… São monociclos ahauauhauha) então, com certeza já planejamos alguns passeios de bike por lá.

Uma dica muito importante antes de escolher qualquer albergue é a localidade: se é no centro ou pelo menos próximo, dê sempre preferência pra aqueles albergues que tem uma estação de metrô ou de trem por perto, isso economiza um tempo super valioso e quanto mais perto de tudo, é melhor. O albergue que vamos ficar em Roma, por exemplo, fica a duas quadras do Coliseu, o de Verona a três quadras da Casa da Julieta (óóóóiiiiiwwwww). Surreal, né?

Outra dica muito boa e obrigatória saber: muitos albergues têm recepção 24 horas, já outros não. Portanto, sempre se informe sobre isso se de repente você pretende pegar uma baladeeeeenha e chegar mais tarde, do contrário, vai correr o risco de dormir na calçada (não, e isso nunca aconteceu com a gente).

De todos os albergues que passamos na viagem de 2008 e olha que alguns eram bem, digamos… Excêntricos mmmehehehehe, NUNCA tivemos problemas com roubos, nem nada do tipo. É claro que você sempre anda com sua mochila com o passaporte, dinheiro, câmera tudo dentro, mas lá todo mundo respeita isso e cada um sabe cuidar do seu próprio espaço sem invadir o do outro, o que sinceramente acho que aqui no Brasil é uma regra que jamais funcionaria, mas enfim…

Por ser albergue entenda que você verá gente do mundo inteiro e isso é algo muito legal porque, num espaço pequeno você consegue ver milhões de diversidades e costumes de pessoas que saem de suas casas dos quatro cantos do mundo e que são completamente diferentes de você e dos seus costumes, é muito divertido isso. No albergue de Londres, por exemplo, conhecemos um italiano que não sabia fazer macarrão e um francês (bem tiozão, já) que não sabia cozinhar porra nenhuma ahauhauhauhauha, já no da Irlanda conhecemos um húngaro com poucos dentes na boca e que era motorista de um cara muito rico de lá, detalhe: ele dirigia a Ferrari do cara e provou pra gente mostrando várias fotos.

Um site muito legal para reservar albergues é o Hostels Club e foi por ele que fizemos TODAS as nossas reservas. No Hostels Club estão cadastrados quase todos e os melhores albergues da Europa e do mundo e com telas bem intuitivas é super fácil de usar/reservar/pagar. Todos os albergues possuem fotos, tipos de serviços oferecidos, localização no mapa e avaliação de quem já passou por eles. No próprio mapa dá pra restringir a localidade e cotar os que ficam no centro, mostrando inclusive os pontos turísticos próximos do lugar, bem como linhas de metrô e trem.


A reserva é feita pelo cartão de crédito internacional (não tem a opção de paypal) e assim que concluído você recebe um email com todos os dados da reserva, imprime e apresenta quando chegar ao destino. No Hostels Club você pode montar um roteiro de viagem online e conforme você vai passando pelos lugares que se hospedou você pode publicar no Twitter ou no Facebook. Outra opção muito interessante é o cartão fidelidade do Hostels Club – pagando uma taxa de apenas 10 euros, com ele você tem descontos em restaurantes, passeios turísticos e não paga a taxa de reserva nos albergues credenciados ao site, (restaurantes e passeios vale lembrar que os descontos são aqueles credenciados ao site também) e acredito que essa ferramenta seja um custo X benefício que super compensa!

Pra terminar, essas são algumas fotos de alguns albergues que vamos passar:


Munique – Alemanha


Verona – Itália


Praga – República Tcheca


Veneza – Itália


Genteeeeennn, desculpem, mas só agora que terminei de escrever que notei o post enorme que ficou, mas espero que isso ajude quem esteja também com planos de viagem (independente do lugar do mundo) e que prefere algo econômico pra depois poder gastar o dinheiro com outras coisas legais, quem tiver dúvidas pode deixar nos comentários que eu respondo. =D

21 dias…