Arquivo

Fevereiro 2012

Posts em Fevereiro 2012.

Salisbury – Inglayterra e Stonehenge

Salisbury – Inglaterra e Stonehenge

Salisbury – Inglaterra e a visita novamente ao Stonehenge é o nosso ultimo destino dessa viagem aqui no blog. Como disse beeem lá atrás, um dos roteiros ao voltar à Inglaterra seria novamente visitar o Stonehenge, é um lugar mágico que me emocionou da primeira vez e me emocionou mais ainda da segunda vez também que visitei. Lembro quando em 2008 eu escrevi o post falando sobre esse dia, e terminei me perguntando em pensamento se um dia eu voltaria lá e uma voz na minha mente me respondeu: “é claro que vai, bobinha.”

E eu voltei.

Dessa vez o Lau foi junto com a gente e foi um dia muito divertido. Pra se chegar até lá funciona assim: você compra o bilhete pra Salisbury na Victória Station e quanto mais pessoas mais barato o valor do bilhete fica. Chegando a Salisbury você compra um outro bilhete de ônibus que não passa de 12 libras (acho que é isso, ou até menos) e que te dá direito ao Stonehenge e mais dois passeios pelo o dia inteiro. Saímos de Londres cedinho e depois de uma hora e vinte (mais ou menos), chegamos a Salisbury. Almoçamos em um pub muito legal com direito a um fish and chips maravilhoso e de lá voltamos até a estação e pegamos o ônibus (exclusivo) que vai direto para o Stonehenge e que fica a 20 minutos de Salisbury.


Chegamos lá com um sol lindo (e um frio também) e gente… Eu não sei explicar o porquê que Stonehenge me encanta TANTO. Talvez principalmente pelos livros que li, mas ele por si só já tem a sua magia. O Stonehenge é o monumento mais antigo do mundo (4.000 a.C.), mais antigo até que as pirâmides do Egito. Existem milhões de especulações e estudos sobre o porquê daquelas pedras e de como elas estão em posições estratégicas com os solstícios e o equinócio quando foram colocadas ali… No meio do nada. A verdade é que você não precisa ser um historiador e nem pesquisar muito pra saber que muita coisa aconteceu lá e que se esse lugar tão antigo ainda existe é porque teve um grande propósito que, possivelmente, nunca e ninguém irá descobrir o real motivo.


Eu me emocionei de novo e me permiti desligar por alguns minutos pra ficar diante de tudo aquilo: apenas eu, meus pensamentos e mais nada ou ninguém. Novamente como tradição (se é assim que posso chamar) peguei algumas graminhas de lá (que guardei na caixinha do iluminador de Benefit ahahahahahah) e como prometido trouxe pra minha mãe por no meio dos livros que temos, que falam do Stonehenge e que amamos tanto (As Brumas de Avalon, As Crônicas de Artur e Stonehenge são alguns deles). Minha mãe é louca pra conhecer lá, em parte pelos livros que já lemos e em grande parte pelo tanto que já contei, descrevi e narrei como é… Ela sempre me diz: “Eu preciso muito conhecer esse lugar, meu Deus.”


Stonehenge é um passeio diferente de qualquer coisa e tenho certeza que ainda voltarei de novo e me emocionarei da mesma forma. Como disse, chegamos lá com um sol incrível, mais tarde entramos na loja de souvenirs pra comprar umas coisinhas e quando saímos – a surpresa… Estava chovendo! Chuva e sol ao mesmo tempo, os passarinhos (que nesse dia tinha muitos, mas muitos mesmoooo) ficaram loucos de alegria. Aaaah…. Coisas da Inglaterra.

Na volta, visitamos novamente a Catedral de Salisbury com o Lau já que ele ainda não conhecia. A Catedral de Salisbury foi fundada em 1075 e sendo edificada entre 1220 e 1280. É a maior Catedral do país, nela está o relógio medieval AINDA EM USO mais antigo do mundo e uma das cópias da Carta Magna que obviamente não foi possível tirar fotos, mas é impressionante de ver uma parte importantíssima da história a poucos centímetros do seu nariz.


Passeamos um pouco pela cidade e depois voltamos pra Londres. Se antes eu me perguntava se um dia eu voltaria ao Stonehenge, hoje eu tenho certeza de que voltarei mais e mais vezes. Foi o mesmo que realizar o mesmo sonho, de novo.


Enfim… Com este post encerrei o ciclo dessa nossa ultima viagem, possivelmente mais pra frente eu ainda monte um clipezinho com as melhores fotos e tudo mais, eu só preciso pegar o jeito da coisa (leia-se saco) que pra ser bem sincera eu nunca tentei ehehehehe. Mas espero de verdade que eu tenha conseguido pelo menos um pouquinho, transmitir pra vocês algo de cada lugar que passei… Que sirva como dica de viagem, como história, como relatos, whatever… O mundo pode ser pequeno quando se trata de pessoas, mas quando se viaja ele se torna infinito. E torçam por nós, pois agora estamos focados na nossa cidadania italiana, mas quem sabe pro final do ano ainda role uma viagem pra Machu Picchu no Peru… Quem sabe! =D

Livro: O Menino do Pijama Listrado

Livro: O Menino do Pijama Listrado

Recentemente terminei de ler “Treblinka” e na sequência comecei a ler “O Menino do Pijama Listrado” de John Boyne. Mês passado eu assisti o filme, me emocionei horrores e decidi ler o livro também (tem no Submarino), já estou na metade e pelo que já li, achei que o filme foi bem fiel ao livro.


A história é sensacional, eis aqui a descrição:

Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os Judeus. Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. “O Menino do Pijama Listrado” é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

Bruno por não ter a noção da guerra, em várias partes do livro o autor faz umas jogadas bem inteligentes que são nada mais que os pensamentos e a inocência do próprio menino, por exemplo – quando eles se mudam de Berlim e a irmã mais velha diz ao Bruno que eles estão em “Haja-Vista.” Bruno, sem entender nada pergunta: “Como assim Haja-Vista? Haja vista o quê?” quando na verdade Haja Vista é Auschwitz (nome de um grupo de campos de concentração que fica na Polônia) ou quando ele diz que o “Fúria” certa vez foi jantar na casa dele com uma loira muito bonita. O “Fúria” é o Führer – Hitler.

O livro já é bom pela própria história e achei deveras sublime essa perspicácia do autor em trocar os nomes de coisas tão tristes e feias, mas que só de ler você já se liga na hora ao que ele se refere. Pra resumir bem: a história conta a vida de dois meninos da mesma idade nascidos, inclusive, no mesmo dia, mas que fazem parte de “mundos” completamente diferentes: um (Bruno) que não tem a mínima noção dos horrores da guerra e o outro (Shmuel) que vive e sente da maneira mais dolorosa e precoce esse horrores… E mesmo nesses dois mundos tão diferentes entre Bruno e Shmuel que é separado pela guerra, nasce a amizade.


É uma história incrível que se depender, você devora o livro em poucos dias, eu estou adorando e vou aproveitar o carnaval pra terminar de ler. Recomendo tanto o livro como o filme (que nem é recente – é de 2008, mas só agora tive a oportunidade e a curiosidade de assistir), aqui o trailer:

Show do Morrissey!!!

Show do Morrissey!!!

Ontem a Lita me mandou um link pelo facebook que até então eu, ontem mutcho da perdida, nem estava sabendo:

Morrissey fará shows em São Paulo e no Rio! Venda de ingressos começa na sexta (ou seja: HOJE).

Enlouqueci! Sempre sonhei em assistir um show do Morrissey da mesma forma que sonho em ver um show da Madonna e que se Deus quiser essa vaca virá prá em dezembro. Acontece que eu e Rick estamos atrás do nosso processo de Cidadania Italiana que pra nossa surpresa antecipou pra esse ano, o que significa que estamos tendo que economizar cada centavo pra isso, até porque depois de legalizado os documentos, Rick terá que ir pra Itália e enfim…

O foco AGORA é economizar grana pra isso.

Acontece que depois que eu soube que o Morrissey vem pra São Paulo a minha cabeça não me deu mais sossego. Lembram? “A Juliana quando encasqueta com uma coisa…” e aí sondei o marido ontem, daquele jeitinho feminino que toda esposa tem, perguntando (do meu jeito – bem assim, na caruda) o que eu ia ganhar de aniversário. Ele que me conhece mais até do que meus próprios pais já lançou: “O que você quer de presente JULANA?” (ele sempre me chama de “JULANA” pra brincar comigo) e eu como também não sou de muitos rodeios respondi:

“OShowdoMorrissey!”

Bom, aí ele me olhou com aqueles olhos castanhos escuros que eu tanto amo e conversou comigo que temos que economizar grana pro lance da cidadania (e porra, temos mesmo) e blá blá blá e eu entendi… Mas fiquei murchinha, com o farol baixo e mesmo entendendo todo nesse lance economizar grana, fui dormir tristinha.

Quando foi hoje de manhã ele me mandou um sms: “abre o seu email” e quando abro o que estava lá? OS.INGRESSOS.DO.SHOW!!!!


Gente?!?!?!?!?! Eu quase caí da cadeira, quase enloqueci e quase deixei meu pai enlouquecido também, liguei pra ele na mesma hora tremendo e chorando (eu já falei que sou emotiva no créu velocidade 10), vocês não tem noção do QUANTO eu sempre sonhei em ir num show do Morrissey. Foi o melhor presente de aniversário que eu podia ganhar (detalhe: meu aniversário é no dia 25…. de MARÇO ahahahahahaha) do melhor marido do mundo!!!!! Como diz minha comadre Fer: “aaaah esses meninos fazem tudo pela gente!” E fazem mesmo.


The charming man que me aguarde, dia 11 de março nos veremos! =D

FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!
FELIZ!

Stand Up da Nany People: "Então… Deu no que Deu"

Stand Up da Nany People: “Então… Deu no que Deu”

Quinta feira passada eu, Rick, Junior, Ivan, Pedro e mais uma galera fomos ao Teatro Nair Belo (no Shopping Frei Caneca) assistir o Stand Up da Nany People.

O espetáculo chama-se “Então… Deu no que Deu”, idealizado por ela mesma que satiriza o dia a dia do cotidiano das pessoas, fatos (engraçadíssimos) sobre sua vida e algumas pitadas boas de lições para a vida também. Foram duas horas de espetáculo que você ri do inicio ao fim, eu sai de lá com o rosto doendo de tanto dar risadas. Nany People tem uma presença de palco incrível e, é claro que com todas as suas formações teatrais garantem o “Então… Deu no que Deu” um espetáculo digno de um Stand Up de verdade e de HUMOR INTELIGENTE, ela interage com o público também o que deixa tudo ainda mais engraçado e sem qualquer constrangimento.


Já assisti o Stand Up do Marco Luque quando ele esteve aqui em São Caetano e foi legal, mas não passou de uma hora e posso dizer que ela colocou o dele e coloca o Stand Up de qualquer outro CQC no chinelo. Lembro muito da Nany People na época em que ela fazia suas apresentações na Tunnel (sim, já fui em muita balada gay, são as melhores quando o mundo vai acabar e você só quer dançar, dançar…) e se bem também lembro, tenho até uma foto com ela. Tudo aquilo que ela passa; seja no teatro ou o que mostrou ser no reality “A Fazenda” é o que ela realmente é – Nany People sem máscaras, sem papas na língua, super engraçada e como já disse, ainda de quebra ela te dá algumas lições sobre a vida que te faz refletir também!

Uma pena que ela só estará nessa quinta e na outra no Frei Caneca, depois disso ela irá partir com o “Então… Deu no que Deu” por todo o Brasil.

Amigos queridos de São Paulo, sei que a dica é meio em cima da hora, mas se puderem: ASSISTAM! Vale muito à pena!

Local: Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca) – Piso 3
Horários: quintas, às 21h00
Temporada: De 19 de janeiro a 16 de fevereiro de 2012
Preço: R$ 40,00 (carteirinha de estudante paga meia)
Duração: 1h50
Classificação Etária: 14 anos

UPDATE:


Tá, môbeim?