Arquivo

Livros

Posts em Livros.

dois (bons) livros que viraram filmes

Assisti nesse final de semana o filme A Menina que Roubava Livros (baixei do CP Turbo, está com uma qualidade ótima) e adorei. O filme está bem fiel ao livro e a caracterização dos personagens também. A história ficou muito bem feita e emocionante, porém o livro é infinitamente melhor. Livro sempre surpreende mais, né? E lembro que quando li foi impossível não chorar, é da minha lista de livros preferidos. Se você está pensando em ver o filme e ler o livro, mas não sabe por qual dos dois começar, eu recomendo muito ler o livro primeiro.

menina-que-roubava-livros-horz

Vi também que saiu o trailer de um filme que foi inspirado em um livro: A Culpa é das Estrelas. Por umas três vezes quando eu estava na livraria e peguei este livro na mão, mas acabei não comprando (eu tenho essa mania, uma vez que estou com bastante livros em casa pra ler) mas uma coisa puxou a outra e depois que vi o trailer, acabei me interessando mais ainda pela história. No sábado ganhei de presente da minha querida amiga Elaine que foi uma manhã muito legal e divertida entre a gente, demos muitas risadas e eu amei a surpresa. Terminei as 4 Estações (finalmente) e comecei ontem mesmo a ler esse e posso dizer? Estou amandoooo e assim que terminar prometo uma resenha sobre ele, mas já estou preparando e prevendo muitos lencinhos pras lágrimas…

a-culpa-e-das-estrelas-john-green-horz

E vocês, o que andam assistindo e lendo de bom?

Juliana Esgalha Post por

Ler faz bem…

Ler antes de dormir melhora o sono e diminui o estresse

“O levantamento mostrou que ler é uma estratégia mais eficaz, para diminuir o estresse, do que ouvir música ou caminhar. Durante o estudo, os voluntários chegaram a amenizar em 68% o nível de tensão ao folhear um livro por alguns minutos. A justificativa dos pesquisadores para os resultados encontrados é a de que, ao acompanhar uma história, nos desligamos, temporariamente da nossa realidade. Ocorre um alívio das tensões musculares e uma diminuição significativa no ritmo dos batimentos cardíacos.”

tumblr_mf5gdz9HwL1s0ew5no1_1280

Meu amigo me mandou ontem esse link e achei muito interessante esse levantamento feito. No meu caso, eu ainda não sei se seria tão efetivo pro sono, mas por conhecimento de causa posso afirmar que ler antes de dormir me relaxa bastante. É claro que isso depende muito do tipo de história do livro que você está lendo, é meio difícil relaxar lendo um terror por exemplo (embora eu acredite que pra algumas pessoas isso não seja um problema), mas o hábito da leitura é algo que “só” traz benefícios. Confesso que ando muito relaxada com minhas leituras e as vezes a noite acabo ficando na internet navegando pelo celular ou jogando Candy Crush (afffff dear lord, não acredito que estou contando isso) ao invés de pegar meus livros. Shame on me. Péssimo, muito péssimo isso, eu sei… E as vezes fica até bem difícil se desvencilhar de manias ruins como essa, mas aos poucos estou me livrando disso. Juro. Livros não me faltam, estou com um estoque bem generoso em casa, então é mais um motivo pra eu voltar com esse bom hábito que sempre foi um hobby pra mim.

No momento estou com o “4 Estações” do Stephen King que ganhei de presente de um amigo no meu aniversário do ano passado.

sam_3822

São 4 contos que inclusive 3 já foram adaptados pro cinema: Um Sonho de Liberdade, O Aprendiz (que estou lendo), O Outono da Inocência (filme Conta Comigo) e Método Respiratório que foi o único que ainda não virou filme, mas tempos atrás li que já estavam cogitando isso, enfim, acho que bom gosto também não me falta né? Por isso que eu resolvi escrever esse post também, além de ser um incentivo pra qualquer pessoa, é um puxão de orelha em mim mesma pra eu tomar vergonha na cara de uma vez por todas e retomar minhas leituras.
Bora se apegar nos bons hábitos? 🙂

Juliana Esgalha Post por

Trailer: A Menina que Roubava Livros

Li ‘A Menina que Roubava Livros’ no começo de 2008 e foi uma das histórias mais lindas que já li na vida, todos que conheço que leram esse livro se emocionaram com a história, agora o livro virou um filme com a estreia para 31 de Janeiro de 2014. Direção de Brian Percival e roteiro de Michael Petroni e já saiu o trailer do filme e pra primeira impressão super gostei, se o filme for pelo menos 1/3 do quão incrível é o livro, já vale a entrada no cinema!

Juliana Esgalha Post por

Dia Nacional do Livro

Dia Nacional do Livro

Feliz Dia Nacional do Livro. Selecionei algumas (muitas) frases inspiradoras para amantes de livros e para aqueles que deveriam ter o hábito da leitura, aproveitem, se inspirem e leiam um livro:

“Saber ajuda a viver e que ler livro bom dá felicidade.” – Gilberto Amado, in “Depois da política” – Página 29, de Gilberto Amado – Publicado por J. Olympio, 1960.

“O casamento é um livro cujo primeiro capítulo é escrito em verso, e os demais, em prosa”. – Marriage – a book of which the first chapter is written in poetry and the remaining chapters in prose.

“A única exigência que faço aos meus leitores é que devem dedicar as suas vidas à leitura das minhas obras.” – the demand that I make of my reader is that he should devote his whole Life to reading my works.

“Onde se queimam livros, acaba-se queimando pessoas.” – Heinrich Heine
“Publicamos para não passar a vida a corrigir rascunhos. Quer dizer, a gente publica um livro para livrar-se dele.” – Jorge Luis Borges

“A educação (…) criou uma vasta população capaz de ler, mas incapaz de reconhecer o que vale a pena ser lido.” – G. Trevelyan


“Há livros de que apenas é preciso provar, outros que têm de se devorar, outros, enfim, mas são poucos, que se tornam indispensáveis, por assim dizer, mastigar e digerir.” – Francis Bacon

“Agora, livro meu, vai, vai para onde o acaso te leve.” – Paul Verlaine

“Nenhum lugar proporciona uma prova mais evidente da vaidade das esperanças humanas do que uma biblioteca pública.” – Samuel Johnson

“Um livro deve ser o machado que quebra o mar gelado em nós.” – Franz Kafka

“Se quer compor o livro, aqui tem a pena, aqui tem papel, aqui tem um admirador; mas, se quer ler somente, deixe-se estar quieta, vá de linha em linha; dou-lhe que boceje entre doutros capítulos, mas espere o resto, tenha confiança no relator destas aventuras.” – Machado de Assis


“Ler um livro é para o bom leitor conhecer a pessoa e o modo de pensar de alguém que lhe é estranho. É procurar compreendê-lo e, sempre que possível, fazer dele um amigo.” – Herman Hesse

“A leitura é para o intelecto o que o exercício é para o corpo.” – Joseph Addison
“Um dos principais deveres do homem é cultivar a amizade dos livros.” – Thomas Carlyle

“Tudo o que a humanidade tem sido, feito, pensado ou lucrado, encontra-se como que magicamente preservado nas páginas dos livros.” – All that mankind has done,thought, gained or been: it is lying as in magic preservation in the pages of books.

“Os livros podem ser divididos em dois grupos: aqueles do momento e aqueles de sempre.” – John Ruskin

“Quem lê nunca está só.” – Helder Simone

“Se tiveres uma biblioteca como jardim, tens tudo.” – Cícero

“Os livros nos dão conselhos que nossos amigos não se atreveriam a dar-nos.” – Boudet Numa

“Uma casa sem livros é como uma casa sem janelas.” – Horace Mann


“Uma casa sem livros é como um quarto sem janelas.” – Heinrich Mann citado por Vladimir Wertsman, que indica que esta expressão foi citada em “NDT, 341”

“O mundo é um belo livro, mas pouco útil para quem não sabe ler.” – Goldoni

“Os livros que provocam o medo têm o dom de se darem ao abandono a quem não está preparado para os acolher, por não terem amadurecido o modo de entrar na Casa (texto) – é uma questão de persistência e de crescimento.” – Carlos Vaz

“Muitos já iniciaram uma nova era em sua vida ao ler um livro.” – Henry David Thoreau

“A biblioteca de um homem é uma espécie de harém.” – R. W. Emerson

“Livros já levaram mais de um à sabedoria e mais de um à loucura.” – Plutarco

“Lê tudo que encontrares, mas não creias em tudo o que leres.” – Petrus Alphonsi

“Os livros não mudam o Mundo, quem muda o Mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas.” – Mario Quintana

“Ler um livro é para o bom leitor conhecer a pessoa e o modo de pensar de alguém que lhe é estranho. É procurar compreendê-lo e, sempre que possível, fazer dele um amigo.” – Hermann Hesse

“O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado.” – Mário Quintana

“Uma casa cheia de livros é um jardim cheio de flores.” – Andrew Long

“A vida é um livro, no dizer de todos os poetas. Negro para uns, dourado para outros. Nao o tenho negro; mas os parenteses que se me abriu no meio das melhores paginas, esse foi angustioso e sombrio.” – Machado de Assis

“Alguns livros são esquecidos injustamente, mas nenhum é lembrado sem razão.” – Wystan Hugh Auden

“Um livro aberto, é um cérebro que fala; fechado, um amigo que espera; esquecido, uma alma que perdoa; destruído, um coração que chora.” – Camilo Castelo Branco

“Livro: remédio da alma.” – Diodoro de Sicília

“Para mim, a televisão é muito instrutiva. Quando alguém a liga, corro à estante e pego um bom livro.” – Groucho Marx

“As livrarias são universidades onde todos podem entrar.” – Tony Benn

“Livros são os mais silenciosos e constantes amigos; os mais acessíveis e sábios conselheiros; e os mais pacientes professores.” – Charles W. Elliot

“Ó! Bendito o que semeia livros… livros à mão cheia e manda o povo pensar! O livro caindo n’alma é germen – que faz a palma, é chuva – que faz o mar.” – Castro Alves in: O Livro e a América

“A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde.” – André Maurois

“O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive.” – Antonio Vieira

“Livros são pequenos pedaços portáteis e divertidos de pensamento.” – Susan Sontag

“Não há melhor fragata que um livro para nos levar a terras distantes.” – Emily Dickinson

“Acontece com os livros o mesmo que com os homens; um pequeno grupo, desempenha um grande papel.” – Voltaire

“Um aposento sem livros é um corpo sem alma.” – Cícero

“Durante a revisão os erros se escondem, fazem-se positivamente invisíveis, mas assim que o livro sai, tornam-se visibilíssimos, verdadeiros sacis a nos botar a língua em todas as páginas.” – Monteiro Lobato

Juliana Esgalha Post por

Os Colegas de Anne Frank

Os Colegas de Anne Frank

Neste ultimo domingo o Fantástico mostrou uma reportagem muito interessante de uma senhora que mora aqui no Brasil e que foi amiga de Anne Frank. Quem me acompanha aqui sabe que já li alguns livros sobre a Segunda Guerra Mundial assim como assisti vários filmes, documentários e a história de Anne Frank (tanto no livro como no filme que falei sobre ele aqui), que é claro que está entre tudo isso!

Dessa vez tenho que parabenizar o jornalista Marcelo Canellas que conseguiu no Fantástico fazer uma matéria com mais de 5 minutos e muito interessante de se assistir… Eu que já li alguns livros, assisti a vários filmes e que visitei, inclusive, um campo de concentração na nossa viagem do ano passado, me emocionei muito durante essa reportagem…

Tantos anos já se passaram, mas é estranho como tudo ainda parece tão recente. Na entrevista a senhora Nanette Konig – foi amiga de Anne Frank, estudou com ela e estava inclusive no aniversário de 13 anos de Anne – dia em que ela ganhou o diário e que anos mais tarde se transformaria no livro que até hoje é o mais traduzido no mundo. Não vou ficar aqui detalhando tudo, porque né… É mais interessante assistir:


Nanette e mais 5 amigos que foram amigos de Anne Frank se reuniram e Theo Coster escreveu o livro: ‘Os Colegas de Anne Frank’ – livro que é citado na reportagem e que conta a história dos judeus sobreviventes que estudaram na mesma sala de aula que ela, contada por eles mesmos. Histórias diferentes de durante e do pós-guerra e a relação e lembranças que cada um tem de Anne Frank…


By the way, o livro tem pra vender na Saraiva por R$ 25,40.

Juliana Esgalha Post por

Livro: O Cemitério de Stephen King

Livro: O Cemitério de Stephen King

‘Cemitério Maldito’ (Pet Sematary) é uns dos filmes entre todos os de terror que mais me assusta até hoje. Sei que existem muitos outros filmes mais assustadores nesse gênero, mas por algum motivo ‘Cemitério Maldito’ sempre me assustou bastante. O filme é de 1989 e o roteiro é de ninguém menos que Stephen King autor também do livro (de 1983) que deu origem ao filme.


E aí que por empréstimo de um amigo, na semana passada eu comecei a ler o livro ‘O Cemitério’ porque sim, eu adoro histórias de terror, mas gente?!?!


O livro consegue ser mais assustador que o filme, até mesmo porque Stephen King é um gênio do terror, ele consegue te prender nas histórias, principalmente quando ele descreve com detalhes perfeitos o que se passa na cabeça da personagem principal. O Iluminado (livro) também é contado nessa mesma linha da história e eu gosto mais do livro do que do filme!

‘O Cemitério’ é realmente excelente e claro que muitas coisas que não tem no filme, tem no livro. Em vários momentos Stephen King faz referência a banda Ramones que por sinal fizeram a trilha sonora do filme também! No filme Stephen King aparece como o Padre do velório, curiosidade essa que eu acho que muitos sabem disso, mas nem todo mundo se liga nesses detalhes. Pra quem gosta de livros de terror e especialmente fã das histórias de Stephen King eu super recomendo!

Eu adoro ver como estão os atores desses filmes mais antigos hoje em dia, o menininho medonho do filme cresceu e hoje ele é assim:


Então… O ~menininho medonho~ é o ator Miko Hughes que fez participações em alguns seriados e filmes como ‘Um Tira no Jardim da Infância’ e ‘A Hora do Pesadelo 7’ – que não me lembro dele em nenhum dos dois por sinal.

Juliana Esgalha Post por

Livro: O Menino do Pijama Listrado

Livro: O Menino do Pijama Listrado

Recentemente terminei de ler “Treblinka” e na sequência comecei a ler “O Menino do Pijama Listrado” de John Boyne. Mês passado eu assisti o filme, me emocionei horrores e decidi ler o livro também (tem no Submarino), já estou na metade e pelo que já li, achei que o filme foi bem fiel ao livro.


A história é sensacional, eis aqui a descrição:

Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os Judeus. Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. “O Menino do Pijama Listrado” é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

Bruno por não ter a noção da guerra, em várias partes do livro o autor faz umas jogadas bem inteligentes que são nada mais que os pensamentos e a inocência do próprio menino, por exemplo – quando eles se mudam de Berlim e a irmã mais velha diz ao Bruno que eles estão em “Haja-Vista.” Bruno, sem entender nada pergunta: “Como assim Haja-Vista? Haja vista o quê?” quando na verdade Haja Vista é Auschwitz (nome de um grupo de campos de concentração que fica na Polônia) ou quando ele diz que o “Fúria” certa vez foi jantar na casa dele com uma loira muito bonita. O “Fúria” é o Führer – Hitler.

O livro já é bom pela própria história e achei deveras sublime essa perspicácia do autor em trocar os nomes de coisas tão tristes e feias, mas que só de ler você já se liga na hora ao que ele se refere. Pra resumir bem: a história conta a vida de dois meninos da mesma idade nascidos, inclusive, no mesmo dia, mas que fazem parte de “mundos” completamente diferentes: um (Bruno) que não tem a mínima noção dos horrores da guerra e o outro (Shmuel) que vive e sente da maneira mais dolorosa e precoce esse horrores… E mesmo nesses dois mundos tão diferentes entre Bruno e Shmuel que é separado pela guerra, nasce a amizade.


É uma história incrível que se depender, você devora o livro em poucos dias, eu estou adorando e vou aproveitar o carnaval pra terminar de ler. Recomendo tanto o livro como o filme (que nem é recente – é de 2008, mas só agora tive a oportunidade e a curiosidade de assistir), aqui o trailer:

Juliana Esgalha Post por