Arquivo

Notícias

Posts em Notícias.

A Fazenda 7

Chegou o tão esperado post sobre o reality que consegue ser mais trash que o Big Brother e por que o mais trash? Porque só pelo fato de colocar na profissão “personalidade da mídia” já dá margem pra zueira never ends, a gente sempre acha que na Fazenda nada é tão ruim que não possa piorar e a Record consegue sempre se superar nas escolhas dos participantes, observem:

afazenda

Bruna Tang – 36 anos. Casada, apresentadora e cantora. É o tipo de ~~~~celebridade~~~~ multifacetada que de tanta coisa que se diz ser, nunca ninguém ouviu falar. Vai dizer que ama todo mundo no primeiro dia e no segundo vai descer a foice na cabeça de alguém alegando que ninguém entende ela.

Roy Rosselló – 45 anos. Casado, ex-Menudo, foi empresário, intérprete, compositor, autor, produtor, ator, diretor, cameraman, locutor de rádio, engenheiro de som, técnico de som e também pintor de carros. Atualmente, ele prepara um show novo em Las Vegas, nos Estados Unidos, onde reside. GENTE?!?!?! Pra que tanta informação se a gente só precisa saber que: é o ex-Menudo que ninguém lembra? Vai ficar em cima do muro em todas as discussões, vai chorar abraçado nas fotos com saudades de família, vai ser um porre de chato e todo mundo vai dizer que o Ricky Martin tá um milhão de vezes melhor que ele.

MC Brunninha – 21 anos. Cantora (AHAHAHAHAHAHA) desde os 13 anos de idade, Brunninha ficou famosa ao se envolver em um processo contra a funkeira Anitta, que supostamente teria plagiado uma música sua, de autoria de sua mãe Janne Lopes. Ou seja, ela só ficou famosa porque meteu processo na bunda da coleguinha, só vai tomar banho uma vez por semana e vai tomar um corte do Britto logo na primeira roça porque, ao invés de falar logo em qual porra de pessoa vai votar, vai querer ficar mandando beijo pra famíZzzzZZZZZzzlia. Chata!

Andréia Sorvetão – 42 anos. Casada, é ex-paquita, fez muito sucesso nos anos 80. Atualmente é empresária e tem um buffet infantil. Não evoluiu muito dos anos 80 pra cá e eu nunca fui com a cara dela mesmo, então foda-se, mas a gente aposta em barracos com ela por conta de comida, sobre quem vai cuidar dos porcos e louça sem lavar. Tem simpatia forçada, ninguém vai querer a Sorvetão por perto.

Leo Rodriguez – 25 anos. Solteiro, cantor sertanejo cujo principal hit é a música “Vai no Cavalinho”. Sinceramente eu não sei o que dizer sobre uma pessoa que se auto denomina cantor e que tem um “””hit””” chamado “Vai no Cavalinho” e vão tacar nisso na cara dele quando começar a surgir os desafetos, tipo: “você pensa que é quem com aquela música do cavalo?” Climão. Eu teria vergonha de ser ele, honestamente.

Cristina Mortágua – 44 anos. Divorciada, modelo. Viveu um romance com o jogador de futebol Edmundo, pai de seu filho e atual desafeto. Também já desceu o sarrafo numa delegada quando foi presa, loucaaaaa!!! É a cota de medicação controlada e eu só tenho uma coisa a dizer sobre essa mulher: MUSA!!!!!!!!!!

Débora Lyra – 26 anos. Solteira, Miss Brasil 2010. Eu não sei se com vocês é assim, mas me dá um sono essas missZzzzzZZZzzzz. Vamos apostar nela pra ser o chorume da fazenda e a que tem nojinho de tudo – assim ela sai logo porque na boa, eu não tenho paciência com quem está começando.

Oscar Maroni – 63 anos. Casado, é psicólogo de formação. Maroni é mais conhecido como empresário de entretenimento adulto: é dono do Bahamas – “um local onde ninguém dorme”. Maaaaaas isso pra mim tem um nome mais sucinto: puteiro. Na foto no R7 ele está vestindo um hobby com estampa de onça e isso já ganhou minha simpatia porque eu adoro gente sem noção alguma. Tem cara que lava louça, passa o pano no chão, faz comida pra todo mundo, mas vai jogar a frigideira na cara do primeiro que bagunçar na cozinha dele.

Diego DH Silveira – 27 anos. Solteiro, vocalista da Banda Cine. Li também que ele ficou conhecido por ter umas briguinhas com um Restart. Esse tipo de subcelebridade pra mim é sempre uma incógnita porque eu não sei o que dizer sobre alguém que consegue ter uma banda pior que Restart.

Babi Rossi – 24 anos. Solteira, ex-panicat. É a que deixou rasparem o cabelo dela em rede nacional, tudo pela fama (nunca adquirida). FIM!

Marlos Cruz – 35 anos. Modelo e ator. E a pessoa acha que realmente vai fazer algum tipo de sucesso na mídia com nome desses né? Tá lá nas frases dele: “Meu pior defeito é achar que eu sempre tenho razão.” Ai cêjura, migo? Ótimo, porque nós queremos brigas. Muitas.

Heloisa Faissol – 44 anos. Solteira, socialite, virou funkeira e atende também pela alcunha Helô Quebra-Mansão. É SÉRIO??????????? AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA eu nunca vi essa entidade na minha vida, meu Deus como a Record escolhe a dedo (podre) essas pessoas… Vão colocar ela pra dormir na horta porque ninguém vai aguentar essa mulher por perto, não vai precisar de muito pra surtar.

Felipeh Campos – 40 anos. Solteiro, jornalista, ficou famoso por fazer dublagens no extinto “Qual é a Música?” E eu não escrevi errado, o nome dele tem esse P no final porque subcelebridade adora xoxar os próprios nomes achando tudo muito cabalístico e que vai trazer algum tipo de sorte. Mas ele é muito muso, principalmente quando ele fazia as dublagens do “Qual é a Música?” e virava o rosto todo pintado com aquela pintura típica de festa de buffet infantil. Eu sempre achei isso muito sensacional.

Diego Cristo – 35 anos. Solteiro, ator e modelo. Vai fazer par com a missZZZZZzzzzzzZZZZ, mas lá pro meio do programa vão brigar e cada um vai ficar de chorume pelos cantos da casa, que é claro vai ser consolado pela Mortágua – a mãezona de todos. Vai andar o dia inteiro, a noite inteira de sunga, em suma: chato pra caraio.

Robson Caetano – 50 anos. Solteiro, ex-atleta. Corre muito, mas é preguiçoso pras tarefas da casa, não vai limpar direito o laguinho dos patos e a casa toda vai tomar punição por isso: sem água quente, o que será um bom motivo pra funkeira lá em cima usar como desculpa pra botar os banhos no bolsinho. Se ele não surtar, será um forte candidato pra final.

Lorena Bueri – 26 anos. Solteira, modelo, Gata do Paulistão e Musa da Copa. A “coitadinha” da casa que vai colocar a culpa em “ser bonita” por toda vez que ir pra roça, todo mundo vai ter inveja dela (só na cabeça dela, claro), nas brigas vai argumentar (?) com alguma coleguinha que tem a bunda grande e por isso é super querida ‘lá fora’, vai apelar pra sombra laranja e batom snob nos dias de eliminação. Menos querida, bem menos.

Exposição sobre Anne Frank em São Paulo

Gente, começou na terça-feira, em São Paulo, uma exposição sobre a vida de Anne Frank chamada “Anne Frank – Histórias que Ensinam Valores” cuja proposta é estimular a reflexão sobre todos esses acontecimentos. Essa mostra vai ficar até o final de 2016 percorrendo todas as bibliotecas do Senac de São Paulo, portanto, não é desculpa dizer que não teve tempo. Quero muito conhecer, sou fã de Anne Frank e em tempo vale a pena conferir o post que fiz sobre o anexo de Anne Frank em Amsterdam que visitei esse ano.

anne frank

EXPOSIÇÃO: “Anne Frank – Histórias que Ensinam Valores”
Quando: até o dia 23/08 de segunda a sexta, das 8h às 21h e aos sábados das 8h às 15h
ONDE: Na biblioteca do SENAC Lapa Tito, Rua Tito, nº54 na Vila Romana
QUANTO: GRÁTIS!!!

Goodbye, Orkut

Google decide de tirar o Orkut do ar neste ano

Há anos que eu já tinha deletado meu Orkut. Mas ao ler essa notícia, confesso que me deu uma pontada de tristeza e saudade. Foi a primeira rede social que participei e quiçá, a mais insana também. O Orkut era assim; com comunidades divertidas e sem finalidade alguma (“pq a Hello Kitty não tem boca?” “Niilismo miguxo”, “dançando e ofendendo”, “cabras não tem muitas ambições” e assim ia…), sem contar os depoimentos (“o que dizer dessa pessoa que…”), os buddy pokes, a sorte do dia, a porcentagem dos gelinhos, carinhas e corações que respectivamente correspondiam ao legal, confiável e sexy que cada pessoa era, a falta de segurança que a rede tinha e vira e mexe algum amigo tinha a conta ou uma comunidade invadida, os “no donut for you” que deixava todo mundo louco quando saia (quase sempre) do ar ou quando no começo de tudo, era até um motivo de agregar valor ao camarote dizer que tinha recebido um convite pra entrar no Orkut e no final – quando tudo já tinha descambado e você resolvia deletar a conta, a palavra “orkutizou” já explicava todo o motivo da saída e ouso em dizer que essa poderia ter até entrado pro dicionário. Eram muitos detalhes e muitas outras coisas que só quem conheceu o Orkut irá entender…

orkut

Acho que boa parte da saudade que o Orkut irá deixar é que diferente de como está o Facebook, o Orkut não tinha cagação de regras, chorumes ou mimimis em proporções épicas como tem hoje. As pessoas eram menos chatas e mais suaves principalmente com as palavras. Aliás, pessoas essas que boa parte, são as mesmas que estavam no seu Orkut e que hoje estão no seu FB, mas que por algum motivo, eram mais legais antigamente – mesmo que, se essas mesmas pessoas teimavam em deixar aquelas imagens em .gif cafonas e piscantes de “passando aqui pra desejar um bom final de semana” no seu scrapbook e que você sempre deixava um recado de aviso já pronto: “leio e depois apago” (eu mesma, fazia isso).

O Orkut tinha as brigas sim, mas em bem menor escala como é hoje no Facebook e por mais que tivesse alguma (ou todas, pensando bem) falha na segurança e falhas em mais um monte de coisas; de alguma forma, a gente se sentia mais feliz e com o coração quentinho no Orkut… Algo que no Facebook, a grande maioria não se sente mais assim porque por muitos motivos que nem vou perder meu tempo em listar, simplesmente encheu o saco de muita gente. Acho que esse breve resumo que dei, é a nostalgia que o Orkut, agora com um fim próximo, causou nas pessoas… A gente era feliz e não sabia, mas não teria uma volta e foi bom enquanto durou na vida cibernética de cada um. Mas sim, vai deixar saudade principalmente porque, por mais insano e sem noção que fosse, o Orkut – ao seu modo – ensinou pra gente o real significado de uma REDE SOCIAL.

Eu e Rick na Folha de São Paulo

Saiu ontem na no jornal Folha de São Paulo o publieditorial de férias de julho feito pela jornalista e amiga Paula Craveiro que contou com participação minha e do Rick sobre a Europa e novos destinos como os Países Escandinavos, além dessa matéria há outras bem legais falando sobre Orlando, Rio de Janeiro, Chile e Florianópolis com dicas bem legais. Na verdade pra mim foi uma surpresa pois o Rick guardou até ser publicado e eu fiquei muito feeeeeeeeliz.

europafolhadesaopaulo

Quem quiser conferir todos os links estão aqui:

Europa
Rio de Janeiro
Orlando
Florianópolis
Chile

E obrigada Paulinha pela confiança, fiquei muito feliz em ter participado.

A volta pra casa…

Voltei. E apesar de estar com saudades de casa e de (quase) todos, a volta é sempre muito difícil e claro que depois de 38 dias viajando e conhecendo lugares maravilhosos, a saudade bate. É aquela depressão pós viagem que dá aquela vontade louca de correr pro aeroporto, se fechar em posição fetal e gritar pra te levarem de volta. Eu cheguei na sexta à noite, por sorte teve um feriado na segunda e voltei a trabalhar hoje – ainda estou me ajeitando com a rotina, porque parece que ainda estou em algum espaço aéreo ehehehe, mas isso até o final da semana já estará na sua programação normal.

Eu visitei muitos lugares e conheci muita coisa, mas MUITA coisa mesmo! Foram 38 dias in loco, sem pausa pra nada e viajando incansavelmente de um lugar para o outro, eu dormia em um país e acordava em outro – literalmente! Voltei fisicamente cansada, mas com a cabeça leve e a mente em paz, então acho que cumpri com esse objetivo também. Eu tenho muitas coisas pra escrever aqui, então preparem-se que serão bastante posts, mas quero fazer tudo isso com muita calma pra deixar tudo bem registrado como exatamente foi essa viagem pra mim. Assim que eu colocar tudo em ordem com fotos, lugares, enfim eu começo com as postagens por aqui.

Restaurando a fé na humanidade

Após denúncia de maus-tratos, grupo invade laboratório e leva cães beagle

Adote um animal resgatado do Instituto Royal

3 motivos para ser contra testes em animais (obrigada, Renata)

11 de março de 2013: um marco histórico | União Europeia proíbe comercialização de cosméticos testados em animais

 photo ativista_zpse4f34bf0.jpg

Esse assunto, por mais cruel que seja, mesmo assim dividiu opiniões… Muitas pessoas nessas horas sempre apontam o dedo e balbuciam: “ajudam um cachorro, mas não ajudam um mendigo na rua.” Colega, o fato de você ajudar pessoas não te faz mais herói ou mais nobre do que aquele que ajuda animais – seja um passarinho ou um elefante, seja você ajudando um mendigo ou um cego a atravessar a rua. O bem comum de quem ajuda é o mesmo: SALVAR VIDAS.

Ouso em dizer que, quem aponta o dedo nessas horas, não ajuda nem pessoas, nem animais, nem a si mesmo… Não ajuda nada, pensando bem. Mas adora criticar só pra polemizar plantando aquela sementinha do azedume, como se nada de bom que os outros fazem, fosse suficiente nesse mundo que está sobrando críticas desnecessárias e faltando amor. Há também aqueles que disseram: “mas só criou essa polêmica toda porque são cães de raça” (sim, mas é claro que ia aparecer essa pérola). Vou dizer uma coisa bem sincera: Minha fé na humanidade ultimamente não anda muito positiva por muita coisa que vem acontecendo no mundo como um todo – armas químicas, pessoas morrendo, pessoas matando por pura crueldade… Enfim… É muita coisa. Mas dizer que houve polêmica só porque são cães de raça é o mesmo que dizer que você não faria nada pra melhorar isso e desmerecer a atitude das pessoas que estavam lá ou daquelas que estão ajudando indiretamente. São pessoas que sensibilizaram, que ajudaram e fizeram… Quem diz isso, deveria com urgência rever seus conceitos ou pelo menos mudar a bunda de lugar no sofá e refletir, afinal, aonde senta já está marcado de tanta inércia + ignorância.

A fé na humanidade pode estar meio abalada pra muita gente, mas olhe pra si e olhe pras pessoas mais próximas (acredito que cada um tenha o bom senso de escolher companhias do bem) e acredite que nem tudo foi pro buraco, não deixe seu coração tão duro assim e se não quer fazer nada, então também não diga nada. Há um tempo atrás, postei um excelente texto falando justamente sobre os protetores dos animais e lembrei desse trecho hoje, acho que vale a reflexão:

“O número de pessoas dedicando-se à “causa animal” está aumentando. Que movimento é esse que toma conta do Brasil e de outros vários países pelo mundo? São pessoas que se unem por um motivador subjetivo, algo que faz com que o pensamento capitalista seja deixado para segundo plano e seu tempo passe a não valer mais dinheiro e sim o número de vidas inocentes que são resgatadas por dia. Isso não seria tão diferente dos casos em que pessoas se dedicam a minorias sofridas se as vítimas não fossem seres considerados tão inferiores e, para muitos, insignificantes. Ah! E com um agravante: os sacrificados não podem levantar seu clamor pelos seus direitos. (…) Se formos esperar que a história siga seu curso, resta saber de onde virá a Princesa Isabel, a Redentora, que virá abolir a situação triste, submissa e humilhante em que vivem nossos irmãos, chamados pela sábia ciência desavisada de “irracionais”. Em 1986, a atriz francesa Brigitte Bardot fundou uma instituição em defesa dos animais. A atriz declarou: – “Quando se é capaz de lutar por animais, também se é capaz de lutar por crianças ou idosos. Não há bons ou maus combates, existe somente o horror ao sofrimento aplicado aos mais fracos, que não podem se defender.”