Arquivo

Vídeos

Posts em Vídeos.

meu processo para o veganismo até o momento

4 meses sem nenhum tipo de carne animal e agora estou no processo do vegetarianismo para o veganismo, ou seja, não só a carne, mas nada de origem animal (leite, laticínios, ovos) também. Há também muito do que você veste e consome: couro, cosméticos, maquiagens testados em animais e algumas pequenas mudanças eu já fiz nisso também, porém, essa parte será pauta pra um outro post. Leite ainda não cortei totalmente, mas diminui MUITO principalmente depois que descobri da ligação do leite e laticínios com a rinite alérgica, uso o leite mais em receitas (e pra terminar logo as caixas que ainda tenho em casa) e mesmo assim substituo sempre que posso porque também aprendi a fazer vários leites vegetais, até o momento o que mais estou consumindo e gostando é o leite de aveia: fácil de fazer e delicioso.

Ovo eu nem lembro da ultima vez que consumi, seja pra mim ou cozinhado algum prato. Nas minhas pesquisas descobri que a banana é um ótimo substituto do ovo nas receitas, além de muitos outros ingredientes e dá super certo mesmo. Queijos eu evito ao máximo (acho que esse será o mais difícil pra mim), mas como disse, veja bem, eu sou uma vegetariana que está em processo para o veganismo.

Fisicamente me sinto ótima. Não sinto cansaço e nenhum tipo de fadiga ou desanimo, principalmente quando corro ou estou na academia, posso dizer que meu rendimento até melhorou. Não tive mais aquele inchaço que tanto me incomodava e minhas refeições tem sido maravilhosas porque antes era basicamente uma proteína animal + salada na janta, sendo que no almoço era a mesma coisa só que aí eu acrescentava um carbo. Em casa, todos nos dias na janta, tem ao menos umas 3 coisas diferentes no meu prato, descubro sempre receitas deliciosas e fazer a minha própria comida com nada de origem animal e nada industrializado (muito embora eu já evite isso há muitos anos) tem sido algo tão prazeroso que, chega a ser uma terapia pra mim.

Psicologicamente/Espiritualmente digo e afirmo de todo coração que não sinto vontade de comer carne, de verdade, não sinto mesmo. Acredito que em parte isso se deve ao fato de eu estar comendo melhor, com uma gama enorme de variedades de alimentos e também porque foi mais fácil do que eu pensava. Aos poucos é como se meu cérebro fosse acostumando o meu corpo a não aceitar mais as coisas de origem animal, sei que não é uma “mágica” que acontece do dia pra noite, é um processo gradual de descobrimento e também de muitas verdades que o Veganisno joga na sua cara – verdades essas que no passado eram simplesmente ignoradas, mas penso nisso como um despertar pra um novo começo e isso tem me trazido muita paz e a certeza de que fiz uma das melhores escolhas pra minha vida.

O vídeo a seguir mostra muito do que sinto e estou vivendo em relação ao veganismo. O difícil não é adequar a alimentação, mas muitas vezes lidar com o lado sombrio das pessoas quando te criticam ou fazem chacota sobre suas escolhas, nessas horas o melhor mesmo é a resiliência, o respirar fundo e o deixar pra lá, até mesmo porque eu já sabia desse revés no caminho, mas sei que faz parte… (muito embora eu preciso dizer: tive muito apoio de pessoas mais próximas a mim: marido, pais, amigos mais chegados e considero isso como uma grande sorte)

P.S. Ainda não passei com uma nutri, mas pretendo muito em breve fazer isso e já tenho algumas boas indicações de nutricionistas especializadas em alimentação vegana, contarei tudo. Ah! E não esqueci os posts sobre o Atacama também, be patient.

Juliana Esgalha Post por

minha loja no enjoei.com

Essa semana, com a ajuda de uma amiga, criei uma lojinha no Enjoei.com. Algumas coisas que estavam em casa, além de eu nunca ter usado, estavam ocupando um espaço que eu poderia estar aproveitando com outras coisas, enfim… Entre algumas coisinhas que já estou vendendo, há tempos estou querendo vender a minha Semi Pro da Sony que está há um tempão encostada e em ótimo estado, mas não levo nas viagens porque pra carregar, ela não é prática e como estou querendo [tipo… MUITO] uma GoPro, não teria necessidade de ficar com essa da Sony. Fiquei feliz que anunciei à noite e no outro dia já vendeu, acho que eu tive sorte mesmo, mas o fato é que gostei dessa ideia de vender o que não uso mais e é claro, que esteja em bom estado.

Quer ver minha lojinha? Clica aqui.

eunoenjoei

Sempre vou deixar o link disponível na barra de menus e na side bar do lado direito, quem quiser comprar alguma coisa e tiver alguma dúvida, pode me escrever. 🙂

Exposição sobre Anne Frank em São Paulo

Gente, começou na terça-feira, em São Paulo, uma exposição sobre a vida de Anne Frank chamada “Anne Frank – Histórias que Ensinam Valores” cuja proposta é estimular a reflexão sobre todos esses acontecimentos. Essa mostra vai ficar até o final de 2016 percorrendo todas as bibliotecas do Senac de São Paulo, portanto, não é desculpa dizer que não teve tempo. Quero muito conhecer, sou fã de Anne Frank e em tempo vale a pena conferir o post que fiz sobre o anexo de Anne Frank em Amsterdam que visitei esse ano.

anne frank

EXPOSIÇÃO: “Anne Frank – Histórias que Ensinam Valores”
Quando: até o dia 23/08 de segunda a sexta, das 8h às 21h e aos sábados das 8h às 15h
ONDE: Na biblioteca do SENAC Lapa Tito, Rua Tito, nº54 na Vila Romana
QUANTO: GRÁTIS!!!

“minha vontade de viajar não é passageira”

As vezes, quando alguma hora do dia está mais sossegado, gosto de ficar no Vimeo assistindo alguns vídeos… O primeiro tema que sempre procuro é sobre viagens e cidades, tem bastante coisa legal lá e hoje assisti um que resolvi compartilhar com vocês, especialmente pra aqueles que amam viajar:

Goodbye, Orkut

Google decide de tirar o Orkut do ar neste ano

Há anos que eu já tinha deletado meu Orkut. Mas ao ler essa notícia, confesso que me deu uma pontada de tristeza e saudade. Foi a primeira rede social que participei e quiçá, a mais insana também. O Orkut era assim; com comunidades divertidas e sem finalidade alguma (“pq a Hello Kitty não tem boca?” “Niilismo miguxo”, “dançando e ofendendo”, “cabras não tem muitas ambições” e assim ia…), sem contar os depoimentos (“o que dizer dessa pessoa que…”), os buddy pokes, a sorte do dia, a porcentagem dos gelinhos, carinhas e corações que respectivamente correspondiam ao legal, confiável e sexy que cada pessoa era, a falta de segurança que a rede tinha e vira e mexe algum amigo tinha a conta ou uma comunidade invadida, os “no donut for you” que deixava todo mundo louco quando saia (quase sempre) do ar ou quando no começo de tudo, era até um motivo de agregar valor ao camarote dizer que tinha recebido um convite pra entrar no Orkut e no final – quando tudo já tinha descambado e você resolvia deletar a conta, a palavra “orkutizou” já explicava todo o motivo da saída e ouso em dizer que essa poderia ter até entrado pro dicionário. Eram muitos detalhes e muitas outras coisas que só quem conheceu o Orkut irá entender…

orkut

Acho que boa parte da saudade que o Orkut irá deixar é que diferente de como está o Facebook, o Orkut não tinha cagação de regras, chorumes ou mimimis em proporções épicas como tem hoje. As pessoas eram menos chatas e mais suaves principalmente com as palavras. Aliás, pessoas essas que boa parte, são as mesmas que estavam no seu Orkut e que hoje estão no seu FB, mas que por algum motivo, eram mais legais antigamente – mesmo que, se essas mesmas pessoas teimavam em deixar aquelas imagens em .gif cafonas e piscantes de “passando aqui pra desejar um bom final de semana” no seu scrapbook e que você sempre deixava um recado de aviso já pronto: “leio e depois apago” (eu mesma, fazia isso).

O Orkut tinha as brigas sim, mas em bem menor escala como é hoje no Facebook e por mais que tivesse alguma (ou todas, pensando bem) falha na segurança e falhas em mais um monte de coisas; de alguma forma, a gente se sentia mais feliz e com o coração quentinho no Orkut… Algo que no Facebook, a grande maioria não se sente mais assim porque por muitos motivos que nem vou perder meu tempo em listar, simplesmente encheu o saco de muita gente. Acho que esse breve resumo que dei, é a nostalgia que o Orkut, agora com um fim próximo, causou nas pessoas… A gente era feliz e não sabia, mas não teria uma volta e foi bom enquanto durou na vida cibernética de cada um. Mas sim, vai deixar saudade principalmente porque, por mais insano e sem noção que fosse, o Orkut – ao seu modo – ensinou pra gente o real significado de uma REDE SOCIAL.