(mais um) novo membro na família: Morpheus

Uma pequena pausa com os posts sobre a viagem porque eu preciso contar que a família cresceu mais uma vez. Eu adotei MAIS UM GATINHO e tenho certeza que vocês, assim como eu, vão se emocionar com a história dele, um dos motivos pelos quais eu resolvi levá-lo pra casa:

No dia 29 de Abril a equipe do Corpo de Bombeiros aqui de São Caetano do Sul resgatou um filhote que estava há dias no cano de esgoto, a rua teve que ser fechada pelo SEMOB (departamento de transito da cidade), assim como uma via da avenida principal aqui da cidade e 3 bocas de lobo foram abertas. Como vocês podem perceber isso não foi um resgate fácil, durou cerca de 3 horas. Como ele foi parar alí? Ninguém sabe. O resgate foi acionado pela Ana Paula Demambro, uma pessoa maravilhosa que conheci sábado retrasado na festa de adoção da ONG e que depois disso ela também acionou a ONG para a ajuda no resgate. Sargento – como foi batizado o gatinho, ficou muito conhecido depois disso, teve até matéria no jornal da cidade com direito a foto e nada mais justo, pois além de ser um pequeno grande guerreiro, sua história de salvação foi realmente um milagre.

10305062_311131272370799_8542375988683465770_n

Resgate Morpheus

10151945_311132952370631_8688357500666575984_n

10246599_311133069037286_1015566847402357049_n

Semanas atrás, fui até a ONG como sempre faço e lá estava ele: ainda um pouco assustado, dormindo abraçado com um bichinho de pelúcia, mas sendo muito bem cuidado e acompanhado por todos da ONG. Amo gatos pretos e depois que me tornei oficialmente uma gateira (e de mão cheia, diga-se de passagem), sempre quis ter um gatinho preto. Sem contar que a adoção de um gato preto sempre tem que ser muito bem inspecionada e analisada, pois todos sabem que o que mais tem nesse mundo é gente ignorante e cruel, a ONG supervisiona muito bem isso, principalmente em relação os gatos pretos, pois eles são muito procurados principalmente para rituais cruéis e muita gente idiota ainda acredita naquela besteira de que gato preto traz azar, é muito triste isso. Me apaixonei pelo Sargento, peguei-o no colo e depois de aninha-lo entre meu ombro e pescoço, percebi que ele era do tamanho da minha mão, ou seja, muito frágil. Ele é realmente um tico e me pergunto como é que alguém é capaz de fazer mal pra um animal, aliás, independendo do tamanho. Eles são tão indefesos.

10157375_311124729038120_1938005394534783293_n

10329322_311133622370564_4711582048270557588_n

10259965_311133819037211_2881351347742845702_n

Me apaixonei pelo Sargento antes mesmo de conhece-lo. Li sua história na página da ONG e me emocionei, no fundo eu já sabia que ele, se já não fosse de alguém, seria meu. Quando fui na ONG, a Jô me disse: “se você quiser, ele é seu” e eu não pensei duas vezes. Acontece que não o peguei de imediato, porque naquela semana o Lennon seria castrado, eu estou em processo de mudança de casa e o Sargento ainda precisava de mais uns dias de observação e cuidados na ONG. Sábado retrasado teve uma festa de adoção de gatos + vacinas + consultas e eu trabalhei como voluntária. Devo dizer que isso me fez um bem imensurável que não sei me expressar com palavras, mas só sei dizer que fiquei muito feliz. Sempre quis trabalhar como voluntaria defendendo algum tipo causa e foi na causa animal que consegui me encontrar. Nesse ultimo sábado, estive novamente na ONG e trouxe o Sargento pra casa – que agora, por nós, foi batizado de Morpheus. A adaptação ainda está em processo de transição lá em casa, a Amélie solta os conhecidos “bufinhos” pra ele (e vice e versa) e o Lennon está desconfiadíssimo dele, mas nada que amor e paciência não resolva isso, by the way dicas de introdução de gatinhos ao novo ambiente que já tenha outros gatinhos são bem vindas…

(a cara da Amélie ao fundo está muito engraçada)

(a cara da Amélie ao fundo está muito engraçada)

Estou sempre batendo nessa tecla de adoção aqui no blog, porque hoje, mais do que nunca eu entendo perfeitamente o real, significativo e importante sentido dessa palavra, então acho que com um conhecimento de causa, eu posso falar disso com propriedade. Mas tão importante quanto a adoção, é a castração também. Todo mundo tem que ter a consciência que independente de adotado ou comprado, seu animal de estimação precisa ser castrado – isso diminui riscos e traz muitos benefícios… Se você pensa em cruzá-lo, tenha em mente os cuidados extras que precisa ter. Sempre penso que a partir do momento que você assume essa responsabilidade, você tem que zelar e ter a consciência que você está cuidando de uma vida que é tão importante quanto a sua própria, então aquela máxima de que “quem ama cuida” faz muito sentido numa adoção. Não compre, adote. Mas adote consciente. Esse post também não teria o menor sentido, se eu não divulga-se os nomes dos responsáveis por salvarem a vida do Morpheus e tudo só foi possível graças a Ana Paula Demambro, o Cabo Palácio, Soldado Batista sob o comando do Sargento Facco que são do Corpo de Bombeiros de São Caetano do Sul e claro, a sempre presente ONG SOS Cidadania Animal que eu amo de paixão e que está sempre fazendo trabalhos lindos em nome dos animais.

Morpheus também foi notícia no Anda News e no JusBrasil. Catcelebrissss.

Juliana Esgalha Post por