Munique – Alemanha

Munique – Alemanha

Saindo de Berna, passando por Zurique e depois pela Áustria, finalmente chegamos em Munique na Alemanha. Nosso albergue (que mais parecia um hotel) não era tão perto da estação de trem e quando chegamos lá estava bem frio, mas depois com o quarto maravilhoso que ficamos tudo acabou compensando.


Bem ao lado do Hostel e que friooooo

Chegamos em Munique dias depois quando tinha terminado a Oktoberfest e Rick ficou um pouco frustrado por isso, mas em contra partida, como um grande apreciador de cervejas, ele diz que foi aonde tomou as melhores, até então…


Munique é uma cidade bonita e o centro é BEM agitado. Atravessada pelo Rio Isar, Munique possui inúmeas igrejas e monumentos.


Prefeitura da cidade


Nos dois dias em que estivemos lá jantamos em um restaurante muito legal: com mesas compridas e ambiente aconchegante você se senta com outras pessoas que estão alí e come numa boa, uma pena que nem eu e nem o Rick falamos Alemão, senão possivelvente teríamos feito algumas amizades por lá.

A dona do restaurante – um amor de pessoa, não falava porra nenhuma de inglês, mas entendia um pouco de Italiano (que Rick é fluente, ufa!), então Rick falava em italiano com ela, mas ela respondia tudo em Alemão o que no fim dava tudo certo. De sobremesa no primeiro dia eu pedi Apfelstrudel (ir pra Alemanha e não comer um desses é o mesmo que ir pra Suíça e não comer chocolates) e no segundo dia em que estivemos lá, como ela já nos conhecia ela apenas me perguntou: “Apfelstrudel?” e eu respondi que sim, foi o melhor que já comi até hoje!

Conhecemos o Allianz Arena – o estádio que sediou o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2006, fomos até lá de metrô que por sinal, vale mencionar que as linhas de metrô da cidade são exemplares e muito bonitas.


Munique foi fundada em 1158 e estando na Alemanha não tem como você deixar de pensar na Segunda Guerra Mundial… Munique foi uma das cidades destruídas pela metade durante a guerra, porém foi reconstruída e, felizmente, andando pela cidade não se vê nenhum resquício dessa parte cruel e triste da história…


… Até chegarmos em Dachau – um campo de concentração e extermínio nazista que fomos conhecer no segundo dia em que estivemos lá e que vou fazer questão de contar todos os detalhes e a tristeza que é entrar num lugar tão pesado como esse, mas esse será um assunto para um próximo post.

Juliana Esgalha Post por