Livro: O Dia do Curinga

Jostein Gaarder é um escritor norueguês mundialmente conhecido, talvez eu falando assim você não se lembre de quem é, mas é o autor de “O Mundo de Sofia” que com certeza mesmo quem não leu este livro, sabe de qual estou falando. Eu ganhei de presente “O Dia do Curinga” de uma amiga e terminei tem algumas semanas.

Gaarder-Jostein

Jostein Gaarder tem o dom de te colocar dentro da filosofia principalmente se você faz parte do time “filosofia para não filósofos” – o que se encaixa perfeitamente no meu caso. Acho que por isso que gostei tanto dessa história porque nada fica cansativo, nada perde o fio da história. A história é sobre um garoto e seu pai que atravessam a Europa de carro em busca de sua mãe na Grécia que há alguns anos foi embora de casa para “se encontrar”. Essa história é paralelamente contada junto com outra de um livrinho (minúsculo no sentido literal mesmo) que o menino recebe de um padeiro em determinado ponto da história.

o dia do curinga

O Dia do Curinga é um livro incrível. Te faz pensar. Questionar. Refletir sobre coisas elementares das nossas vidas que por não sermos grandes filósofos nunca nos perguntamos, mas sempre estiveram ali. Tudo depende da absorção de cada pessoa como leitor, acho que pra cada pessoa é um conhecimento diferente. Te faz ver a sorte de ser alguém num mundo tão incrível que muitas vezes não enxergamos isso, um autoconhecimento que envolve muitas questões de acreditar ou não em Deus e todas aquelas questões “so clichê” de quem somos? de onde viemos?

Uma dica: recomendo ler esse livro bem devagar. Digo isso porque é interessante você ler sem pressa pra poder absorver toda a filosofia que está contida nele e em alguns momentos até voltar em certos trechos e ler novamente. Mas afinal: Quem é o Curinga? Leia e descubra. 🙂

“Vivemos nossas vidas num incrível mundo de aventuras, pensei. Apesar disso, a grande maioria das pessoas considera tudo isso “normal”. Em compensação, vivem em busca de algo fora do normal: anjos ou então marcianos. E isso se explica pelo simples fato de que elas não consideram um enigma o mundo em que vivem. Para mim a coisa era completamente diferente. Para mim, o mundo era um sonho muito estranho, e eu vivia em busca de uma explicação racional qualquer para esse sonho.”

Ganhou as 4 xícaras de café:

cafe2-horz

By the way, vou aproveitar e atualizar a lista do livros que já li em 2015:

– O Lado Bom da Vida
– A Lista de Brett
– Depois de Auschwitz
– Princesa
– As Filhas da Princesa
– Inverno na Manhã
– Os Três
– O Diário de Helga
– O Dia do Curinga
– Eu Sou Malala
(li em 3 dias, prometo uma resenha)
– Misery

0 comentários Comentário

Adicione um comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *