Peru: Machu Picchu

Primeiro de tudo: desculpem a demora! Estou há dias prometendo o post de Machu Picchu que só agora saiu e deixei esse lugar por ultimo porque né… É Machu Picchu. Quando se viaja existem alguns lugares que são mágicos por sua existência, é aquele tipo de lugar que quando você visita não tem como não sentir a energia que transmite, não só pelo lugar, mas pela história, o quão antigo é… Enfim… Muitas coisas. Nas nossas viagens, alguns lugares que eu senti muito essa energia foram: Stonehenge, Coliseu em Roma e claro, Machu Picchu.

Não dá pra transmitir como é tudo isso em palavras. É o tipo de lugar no mundo que tem que ir por você e conhecer pra ver/sentir por si mesmo. É aquele tipo de lugar que você fica por muitos minutos olhando e não acreditando que tudo aquilo está diante dos seus olhos. É um lugar que não tem como não se emocionar, que não tem como não te dar arrepios, que torna você muito pequeno diante de tantas maravilhas que tem no mundo, que tudo aquilo que você já viu em fotos, filmes ou qualquer outra coisa, não é nada, quando se está diante de um lugar como Machu Picchu.

 photo 2013-05-03130932_zpsee1f75aa.jpg

 photo 2013-05-03082704_zpsdc883930.jpg


Machu Picchu tem uma história muita louca e muitas teorias. É Patrimônio Mundial da UNESCO, em quíchua leva o nome “velha montanha” e, é chamado também como a “cidade perdida dos Incas”, fica localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba e possivelmente por ser no meio da montanha, Machu Picchu só foi descoberto em 1911. Ainda há controvérsias sobre o verdadeiro descobridor. Aqui explica rapidamente o motivo.

O fato é que Machu Picchu é um lugar no mundo incrível, é um lugar que todos os amantes de viagem devem um dia conhecer e mesmo pra aqueles que nem pensam tanto em viajar, mas é algo tão único, que todos no mundo, um dia deveriam conhecer.

Indo pra Machu Picchu:

Fomos de Cusco até uma cidade (que esqueci o nome agora) de ônibus, antes o trem ia direto de Cusco pra Machu Picchu, porém, por motivos de reforma, tivemos que sair dessa cidade e ir até Águas Calientes. Lá é tipo uma vila (muito bem estruturada por sinal) e que fica bem próxima de Machu Picchu. Dessa cidade (que puta merda, ainda não lembrei o nome), fomos pra Águas Calientes de trem… É um passeio que vale muito à pena. Em Águas Calientes, nós passamos o dia, há vários restaurantes legais alí, dormimos uma noite (em albergue) e no outro dia, antes mesmo do sol nascer, fomos pra Machu Picchu E Huayna Picchu – que expliquei como esses dois passeios funcionam nesse post aqui.

 photo 2013-05-02092916_zps92d091df.jpg

 photo 2013-05-02101831_zps796d5cfa.jpg

 photo 2013-05-02104129_zpsb1024a18.jpg

 photo 2013-05-02153814_zpsc791f9fa.jpg


Como chegar?

Acordamos super cedo quando estávamos em Águas Calientes, um dia antes você compra o ticket de ônibus (ida + volta) que te leva pra lá, eles saem a todo o momento, mas quanto mais cedo você chegar, é melhor. O ônibus sobe a estrada de Águas Calientes que liga ao parque. É uma estrada bem sinuosa, dalí já dá pra sentir que o passeio do dia será no modo aventura e muita gente faz essa subida da estrada a pé. Chegando lá, antes de entrar no parque, existem alguns serviços que é bom saber e que pouca gente informa: banheiros, lanchonete, guias (paga à parte) e guarda volumes (paga à parte também). Pra entrar lá você precisa estar com o ticket do passeio (duh! óbvio), passaporte ou outro documento com foto. Não pediram a carteirinha de vacinação da Febre Amarela, mas, independente de terem pedido ou não, eu acho super importante tomar a vacina. Logo que chegamos, passamos por Machu Picchu, mas fomos direto para Huayna Picchu, pois o nosso grupo era o primeiro – das 7 horas da manhã. Muito protetor solar, repelente e água – essas são as 3 principais coisas que você precisa pra visitar Huayna, além é claro, de um tênis confortável e roupas confortáveis. Evite regatas, bermudas e claro, tenha disposição e (muita) coragem. Huayna Picchu é a montanha da foto mais clássica de Machu Picchu que todo mundo conhece e nós subimos até o topo dela.

 photo 2013-05-03085201_zps57176a99.jpg

 photo 2013-05-03090801_zps534680e2.jpg

 photo 2013-05-03094806_zps31e67643.jpg


Vale a pena? Muito. Vale a pena pela trilha, pela vista e principalmente pela superação por cada passo que você dá até chegar lá em cima.

É fácil? Não. Mas não é impossível. Cada um faz no seu ritmo e todos chegam lá. É cansativo, o cuidado tem que ser grande, a altitude judia bem, é alto pra cara#$%@, mas mesmo pra quem tem fobia de altura (eu acho que) dá pra fazer. Nosso lema do começo ao fim foi: “firma o pé e não olha pra baixo” ahauhauhauhauhauhauhauh, achei a descida mais difícil que a subida, justamente porque na volta, o cansaço é maior e alguns lugares eu diria que, o melhor mesmo, é não olhar pra baixo.

 photo 2013-05-03094903_zpsf832c22d.jpg

 photo 2013-05-03095626_zps9dbe1d92.jpg

 photo 2013-05-03095907_zpse1868a1b.jpg


Mas a vista lá de cima é maravilhosa, paga com juros cada medo e cada passo… Pra mim foi uma superação, foi uma descarga de adrenalina maravilhosa… Machu Picchu visto de lá de cima parece um desenho, parece brinquedo. Você chega ao topo de Huayna Picchu e a primeira coisa que pensa é: “eu não acredito que consegui chegar até aqui” e chegou. 🙂

 photo 2013-05-03100041_zpsb043a0c9.jpg

 photo 2013-05-03100525_zps802ddc07.jpg


A descida é mais ou menos o tempo da subida: entre uma hora/uma hora e vinte, isso depende é claro, do ritmo de cada um, mas é média é essa. Quando estávamos descendo já tinha uma galera subindo que era o grupo das 10 horas, o sol estava mais forte então o que eu recomendo pra quem pensar subir Huayna Picchu é: escolha o primeiro grupo que é o das 7 horas porque depois de Huayna, você vai ter Machu Picchu pra conhecer e lá você também anda e MUITO.

 photo 2013-05-03125134_zps4a505efb.jpg

 photo 2013-05-03125747_zps08f7c5a7.jpg

 photo 2013-05-03125832_zpsc08eeee9.jpg

 photo 2013-05-030834-horz_zpsb9d128dd.jpg


Quando voltamos pra Machu Picchu, nós saímos do parque pra comer alguma coisa, fazer pipi, dar uma recuperada na dignidade. Entramos de volta no parque e aí sim, pudemos andar por todo Machu Picchu e conhecer cada canto daquele pedaço de mundo incrível. Essa é uma das coisas de viajar que ninguém mais tira de você, essa experiência gratificante de conhecer algo tão rico em história, tão antigo, tão misterioso… TÃO ÚNICO! Por mais que eu descreva com palavras, nunca vou conseguir expressar nem 0,5% do que foi conhecer Macchu Picchu e a lição de superação que foi subir Huayna Picchu. A única coisa que posso dizer à vocês é: visitem Machu Picchu, tenho certeza que será algo totalmente diferente e inédito na vida de cada um. É isso que a gente leva dessa vida.

Eis dois vídeos que achei muito digno fazer só com as fotos de Machu E Huayna Picchu (algumas fotos sairam repetidas, mas nhá, faz de conta que vocês não viram) e outro que filmei pelo celular mesmo:


E no celular:

2 comentários Comentário

  1. Que lugar lindo *_____*
    e que sensação de liberdade ao ver essas fotos!
    parabéns pelo passeio!
    bjsss

    Responder
  2. Adorei seu blog. To ino semana que vem.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *