Querido Diário

Semanas atrás eu terminei de ler “A Terra Inteira e o Céu Infinito” e apesar de achar o livro meio maçante em alguns pontos, a base da história é muito boa: uma escritora chamada Ruth encontra na costa de uma ilha do Canadá em que mora, o diário de uma adolescente de Tóquio que provavelmente foi trazido pelo tsunami – “Estou esticando o braço para tocar em você” é como começa o diário de Nao e que a partir daí desenrola toda a história. Não vou me estender muito sobre ele, pois a ideia do post não é essa, mas o livro foi um dos grandes incentivadores a começar de vez essa minha ideia que já vinha pensando há um tempo: Escrever um diário.

Photo-14-May-2013-22-23

Sim, eu já tenho um blog que posto muitas coisas minhas, mas acredito que todo mundo tenha coisas a contar que prefere por em palavras e guardar pra si a ter que ficar contando pra alguém. Não se trata exatamente de um segredo, mas sempre pensei que os diários são uma ótima maneira de você se conhecer melhor, refletir sobre suas ações, planejar, expressar sentimentos, exercitar o cérebro, a escrita, divagar sem medo de ser feliz e por em palavras muitas das coisas que as vezes não conseguimos dizer. Tipos de diário não faltam: pode ser um diário de viagem, pode ser aquele que você escreve diariamente detalhando tudo o que faz no dia a dia, pode ser um diário pra por os pensamentos quando simplesmente dá aquela vontade de escrever – acho que essa é a ideia que mais combina com o que estou pensando e querendo fazer a respeito disso, também pretendo carregar ele nas minhas viagens, mas basicamente será usado para expressar meus pensamentos quando simplesmente eu sentir a vontade de colocar isso num papel.

Falar em papel… Eu realmente sinto falta de escrever, no sentido literal mesmo, de sentir o peso da caneta na folha e observar o quanto – modéstia a parte – minha caligrafia é realmente bonita. O máximo que faço de uns bons anos pra cá em relação a escrita é preencher cheques e eu acho muito triste quando um hábito como esse, vai sendo deixado de lado. Rick comprou um mega estojo de canetas coloridas da Stabilo pra mim porque acho que já deu pra perceber que adoro um colorido em tudo. Aliás, o diário em si é o mais legal: foi uma ideia que tive e que achei muito simbólico e depois de muito pesquisar eu comprei um que é exatamente a réplica do diário da Anne Frank – xadrez em vermelho, que comprei no Elo 7 de uma pessoa que faz vários tipos diários artesanalmente, estou esperando chegar.

Como uma coisa sempre puxa a outra, também fiquei pensando nos filmes em que os personagens escrevem em diários e nossa, tem um mooooonte: O Diário de Bridget Jones, Diário de uma Paixão, Na Natureza Selvagem… São tantos filmes que a lista seria enorme, mas o primeiro que me veio à cabeça quando pensei nisso foi “As Vantagens de Ser Invisível” e que contribuiu pra essa minha nova inspiração também.

perksdiario

Enfim, acho que nada mais justo que registrar no meu blog que vou começar a escrever em um diário, depois eu faço um post mostrando como ele é.

Juliana Esgalha Post por