Arquivo

academia

Posts em academia.

Agora vai!!!

Vou começar esse post com uma confissão: dei uma relaxada feia na academia. Isso desde que voltei de viagem e se fui umas duas vezes, foi muito. Não justificando esse relapso da minha parte, mas muita coisa também aconteceu nesses últimos meses pra cá (e já passamos da metade do ano) e eu acabei dando uma desanimada… Isso sempre gerava uma desculpa (esfarrapada, é claro) a mim mesma e eu acabava não indo.

Semana passada eu resolvi tomar vergonha na cara e mais ainda uma atitude; renovei meu semestre na academia (pra vocês verem como eu estava há muito tempo sem ir) e junto com o Rick entrei pra natação também (por enquanto, ele só está na natação). Quando eu era criança eu cheguei a fazer natação, mas não fiquei muito tempo, o que significa que: eu não sei nadar. (Re)Comecei a academia ontem e hoje comecei a natação que será de terça e quinta na parte da manhã. Parece até loucura do tipo algum efeito placebo, mas já estou me sentindo bem melhor. Eu saio me arrastando; tanto da academia como hoje da piscina, mas é aquele tipo de cansaço gostoso, sabem? No quesito cabeça, ela fica mais leve com a consciência porque você mesmo se diz com aquele orgulhinho: “hoje eu fui”, mas o foda mesmo é manter isso, iiih eu bem sei.

foto_antigua_piscina

Eu tinha colocado como meta (ai que clichê) pra 2014 fazer alguma atividade além da musculação, e tinha pensado na natação. Mas só tinha pensado mesmo. Como o Rick cogitou precisou fazer, eu, como incentivo (pra mim e pra ele) acabei entrando junto. E por falar em incentivo, pode ser que muito em breve meu pai comece a fazer academia comigo também e aí terei que ir na parte da manhã e isso significa que terei que dormir mais cedo – o que pra mim, isso é ótimo. Honestamente, eu não sou o exemplo de pessoa quando o assunto é atividade física, e sei disso. Mas sempre considerei importante pra todo mundo e mais ainda pra mim, pra principalmente eu deixar de ser preguiçosa e sempre que bater aquele desanimo, eu vir aqui e ler esse post como incentivo (esse post está mais pra puxão de orelha, pensando bem). Mas vejam… Na minha aula de natação, além do Rick, tem mais 3 pessoas: uma mulher e dois homens, todos com mais de sessenta anos de idade e uma disposição maravilhosa que deveria servir de exemplo pra principalmente os mais novos, um deles nada tão bem que eu fiquei até com vergonha de colocar minha humilde pranchinha e sair batendo pernas com aquela “coordenação de paquiderme” típico de iniciantes AHAHAHAHAHAHAHA, mas brincadeiras a parte, ter eles ali é algo bem legal porque muitas vezes, as “dificuldades” só estão na nossa cabeça porque aquele bichinho pertinente da preguiça plantou.

Tô (re)animada. De verdade. Tipo… Comecei com aquele mantra de: Agora vai ou vai, porque na boa, se não for vai ser muito feio dizer que “pratico xadrez” na minhas atividades saudáveis e nem xadrez eu poderia, porque não sei jogar. Levantamento de copo tá tão batido que não vale mais. =D

Meu processo ‘acadêmico’: 1 mês!

Meu processo ‘acadêmico’: 1 mês!

Assim como a Dai (uma das minhas incentivadoras, aliás, já viram a ideia nova lá do TPM de #ummesligh?) que sempre relata seus avanços na academia e acho que isso é uma forma de incentivo muito legal, não só pra quem escreve como também pra quem lê, vou deixar meu pequeno relato de apenas um mês de academia aqui pra vocês… Ou se já completou um mês, não me lembro.


Na primeira semana de exercícios eu achei que FOCE MORRÊ! Tudo doía. Eu achei que tinha travado meu corpo. Meu amigo pra brincar comigo perguntava porque eu estava andando que nem uma pata choca e como o dedo médio, além da língua eram as únicas coisas que não doíam em mim, eu mostrava o dedo ~educado~ e soltava alguns impropérios pra ele e nhá… Coisas de amigo, vocês entendem. Mas na primeira semana, mesmo com as dores eu passei a dormir melhor. Nas semanas seguintes a história foi outra: as dores passaram, não se repetiram com aquela intensidade absurda e eu notei que gradativamente a minha disposição para os exercícios foi aumentando de uma maneira considerável.


Sinto fome, mas nada monstruosamente absurdo – como o suficiente no almoço, sem exageros e se passo um pouco da conta me sinto pesada. À tarde SE me dá fome eu como uma barrinha de cereal ou uma goiabinha (que tem menos calorias que a de cereal) e à noite como salada, carne e tomo leite antes de dormir, às vezes me permito um pedacinho de chocolate, mas me acostumei bem com a gelatina, acho que principalmente por conta desse calor do inferno. Chocolate! Isso é uma coisa que sou viciada, mas olha que maravilha: percebi que com a academia (sei lá, pressuponho que seja isso), aquela vontade de matar qualquer um por uma barra de chocolate diminuiu bastante, tanto que o pote de Nutella que está aqui no meu trabalho eu só comi com cream cracker na primeira semana e depois acabei literalmente esquecendo dele, meu pai até estranhou. ¬¬


Tenho aparelho de aferir pressão arterial em casa e em alguns dias à noite eu tenho aferido pra saber como anda esse lado de dentro et voylá: sempre ente 11×8, 11×7, 12×8 – perfeita. Na esteira até eu estou me surpreendendo com meu próprio pique e faço 30 minutos naquele ritmo de trote quase uma corrida e minha meta é sempre 3 quilômetros e meio, essa semana vou tentar chegar nos 4 quilômetros. Já estou pensando em dar um fim na minha mesa e cadeira de computador que tenho na sala porque agora só uso o notebook e enfiar uma esteira lá, mas quando vi o what fucking this prices? na internet, resolvi deixar esse plano mais pra frente eheheheh.

A academia tem feito bem pro meu corpo – já tenho bracinho que posso trocar lâmpadas (ahahahhahah), perdi medidas na cintura e na barriga, tem feito muito bem pra minha saúde, mas tem feito muito bem principalmente pra minha cabeça, saio de lá como se tivesse pisando em nuvens e com a cabeça leve e vazia.


Desço junto com meu pai bem cedo e confesso: é uma tortura pra acordar, mas o único dia que resolvi voltar pra cama me arrependi depois, portanto acordar cedo É preciso. Faço todos os exercícios e na maioria dos dias faço as duas séries juntas, tomo meu banho calmamente e subo pro trabalho. Achava que não ficaria uma semana pelo fato de eu estar indo sozinha – sem a companhia dos meus amigos (lembram? O Ju foi pra outra por conta dos exercícios aeróbicos e o Evandro só pode à noite), mas sabe que eu estou adorando muito essa ideia de ir só?

Não que eu não gostasse da companhia dos meninos, ao contrário, foi muito gostoso fazer com eles e se não fosse pelo incentivo dos dois eu nem teria sequer começado ou estava procurando por alguma até hoje, mas é gostoso você às vezes se desprender de tudo e todos e saber que não é um bicho de sete cabeças fazer algumas coisas sozinha, ao contrário, passa a ser até mais gostoso! Bem, acho que por ora é isso e nunca pensei que fosse dizer isso porque sempre falava o contrário, mas honestamente estou adorando fazer academia.

P.S. As imagens são da Smart Fit aqui de São Caetano, aonde eu faço 🙂

Minha nova vida ‘acadêmica’

Minha nova vida ‘acadêmica’

Já tem alguns meses que comecei a fazer academia… Comecei com dois amigos que estavam no meu pé pra eu entrar junto e aí depois de muito tempo, me juntei a eles. Fiz por algumas semanas e depois resolvi fazer um check up geral da minha saúde pra poder dar continuidade – mais pra desencargo de consciência mesmo, uma vez que, com os probleminhas emocionais de ansiedade que tive no ano passado, minha pressão arterial deu uma leve alterada, então eu quis me certificar por A + B que estava tudo bem comigo. E estou. Exames sangue, cardiológicos, check up geral: estou com a saúde tão perfeita que o médico disse que se eu quisesse poderia até correr uma maratona AHUEAHUAEAHUEAHUE. (não, não quero não).


Aí logo no começo dessa semana eu voltei com tudo, porém comecei a fazer de manhã. Um dos amigos acabou se mudando pra outra academia (porque lá tem os exercícios aeróbicos que ele gosta) e até tentou me arrastar junto, mas pra quem como eu ainda está começando, aonde estou já está de bom tamanho… E o outro amigo está indo à noite. Resolvi fazer de manhã porque além de não ter quase ninguém, sinto que o dia depois rende muito mais e até passa mais rápido, eu diria (mesmo eu estando toda dolorida ahauhauahauahau), tenho mais pique do que se tivesse que ir à noite (mesmo com a tentação de querer voltar pra cama de manhã) e consequentemente à noite eu durmo muito, muito melhor. O que também me motivou muito são os posts que a Dai escreve no TPM sobre os treinos e exercícios que ela faz. Há duas semanas fiz uma dietinha básica e pra quem no ano passado nessa mesma época estava vestindo 38 quase chegando nos 40, hoje eu fico feliz quando fecho o botão da minha calça surrada, mas há muito tempo guardada de numero 36.


Faço 30 minutos de esteira (naquele pique de trote, quase correndo), bicicleta, exercícios pros braços, pernas, bunda e claro – pra tão indesejada barriguinha. Meu treino dura mais ou menos umas 2 horas, tomo banho por lá mesmo (o chuveiro da academia é óóóteeemo – bem que o Junior falou), venho pra ótica e tomo meu café da manhã: duas cream crakers com Nutella (eu mereço, tsá?) e um copo de leite com café e adoçante. No almoço como muita salada, carne e um pouquinho de carboidrato só pra não ficar sem ou ficar na vontade. Nessas refeições bebo água, chá gelado ou um suco, pois os refrigerantes eu cortei há mais de dois anos. Se à tarde me dá um pouco de fome eu como uma barra de cereal ou uma barrinha daquelas de goiabinha que tem menos calorias que a de cereal (e ainda acho mais gostoso) ou um rolinho de queijo mussarela com presunto. Em casa, na janta estamos cortando o carboidrato e comendo uma salada de folhas generosa com atum e queijo e de mistura algum tipo de carne. Sem carne eu realmente não consigo ficar. De sobremesa avançamos na gelatina diet e às vezes eu me permito um pedacinho de chocolate, porque na boaaaaa eu sou humana, mulher e doente por chocolates ahauahauahauha.


Infelizmente não sou de comer frutas, mas agora juntando a academia e com hábitos alimentares melhores minha saúde que já está boa, vai ficar melhor ainda (e a vida também vai muito bem, obrigado). Acho que quando a gente chega numa certa idade (eu, por exemplo, que já estou na casa dos 3.3) é mais do que necessário ter hábitos alimentares saudáveis (é claro que escorregar um pouco de vez em quando pode porque ninguém é de ferro), se possível praticar algum exercício físico (nem que se for apenas uma caminhada) e cuidar mesmo da nossa saúde porque da nossa vida já tem tanta gente querendo cuidar, néam?

Espero que esse pique, somado com a minha força de vontade e o gostinho que estou pegando pela coisa continue por tempo indeterminado, pois faz bem pro corpo, pra pele, mas principalmente pra cabeça e pro espírito. 🙂