Arquivo

cinema

Posts em cinema.

Filme: Kingsman

Há um tempo atrás eu tinha visto o trailer desse filme e pensei: ‘ok, nada tão espetacular’ e deixei de lado, ontem o Rick quis assistir e fomos ao cinema, confesso que meu pré julgamento depois de ver o trailer tinha me dado a errônea certeza de que seria mais um filme bomba (mesmo inclusive tendo ótimos atores) e paguei a minha língua por ter pensado assim (ainda bem!).

Kingsman_THUMNB-1411495887471

A trama começa com a história de Harry (ou Galahad) interpretado por Colin Firth – um elegantérrimo espião que faz parte de uma organização secreta chamada Kingsman, há alguns anos atrás um colega de trabalho morreu ao salvar sua vida e anos depois, o filho desse homem – um jovem cheio de problemas, mas super inteligente e habilidoso será o escolhido por Harry para se tornar um Kingsman. Nessa história também há um vilão, interpretado por ninguém menos que Samuel L. Jackson que usando a uma tecnologia baseada em chips de celular pretende fazer uma “limpa” no mundo.

Kingsman possui uma série de elementos que pra mim foram todos na medida certa: comédia, ação, diálogos inteligentes e cenas irônicas. Samuel L. Jackson está como um vilão, mas com uma boa dose de humor porque apesar de vilão, é um personagem engraçado e garante boas risadas. Kingsman é um filme denso no sentido de ser uma ótima história que foi muito bem contada, as vezes certos filmes tem a história boa mas que não é explorada a altura. Há várias referências de outros filmes também, muitas outras referências britânicas e uma trilha sonora sensacional.

Finalmente assisti um filme que valeu cada centavo no cinema! Recomendadíssimo.

Juliana Esgalha Post por

Filme: A vida secreta de Walter Mitty

Recomendo também a leitura no Braimstorm9:

“Uma pergunta que não vai embora ao se assistir “A Vida Secreta de Walter Mitty” é: você sabe quem você pode, de fato, ser? Isso não faz do longa uma obra de auto-ajuda, longe disso. É uma provocação declarada. Assim como Stiller, que poderia ter se contentado ao repetir as mesmas comédias, e optou por contar outras histórias que respondessem a seus ímpetos criativos, Mitty partiu numa aventura extremamente real. Ambos têm energia de sobra e, provocados da maneira certa, entregam resultados impressionantes. O personagem se desenvolve, se modifica, sem precisar jogar tudo para o ar. Apenas encontra um novo modo de ver as coisas. O filme é sincero, grandioso e tem peso suficiente para fazer uma coisa por você: se essa for a sua hora, ele vai te transformar.”

A Vida Secreta de Walter Mitty é uma refilmagem de O Homem de 8 Vidas (1947). Walter Mitty é o tipo de personagem que todo mundo conhece pelo menos uma pessoa como ele. Mais ainda: por muitas vezes, em alguma situação, a gente também se identifica com ele e pensa nas mil possibilidades de mudar em algo e viver mais a vida. Não é um filme que ostenta coisas, nem com cenas fantasiosas que só se vê em filmes. É uma história ‘palpável’ que te faz pensar e refletir sobre muitas coisas… Que a vida se torna mais simples a partir do momento em que você resolve se jogar mais, dar mais ouvidos pra coisas positivas e cada vez menos importância pros problemas ou coisas que não acrescentam nada… Que dá pra mudar sim e sair do óbvio (e se preferir sem mexer em coisas que você não quer mudar). Pra mim, absolutamente, foi o melhor filme do ano. Eu adoro essas histórias que alguém vem e te dá um sacode dos bons, que te faz pensar, se emocionar com o simples e pegar a essência real da história que dá perfeitamente para aplicar nas nossas vidas.

Ben Stiller além de estar no papel de WW, é quem também dirigiu o filme e olha, ele está incrivelmente brilhante. Principalmente porque estamos acostumados em ver suas atuações apenas em papéis de comédia e com personagens sempre caricatas – o que particularmente eu não sou muito fã dos outros filmes dele, mas esqueça tudo isso quando ver Walter Mitty – ele não tem nada dos seus antigos personagens. Também não posso deixar de citar a atuação (brilhante como sempre foi) de Sean Penn – um fotógrafo viajante espetacular que diga-se de passagem Sean Penn está muito bem no auge dos seus 53 anos. Com uma trilha sonora maravilhosa e apaixonante, A Vida Secreta de Walter Mitty não é apenas mais uma dica de filme, é uma história incrivelmente real para todo mundo, é um filme que todos deveriam assistir e tirar suas próprias lições pra aprender que os sonhos, independente do tamanho, só se torna possível quando se corre atrás.

Juliana Esgalha Post por

Trailer: A Menina que Roubava Livros

Li ‘A Menina que Roubava Livros’ no começo de 2008 e foi uma das histórias mais lindas que já li na vida, todos que conheço que leram esse livro se emocionaram com a história, agora o livro virou um filme com a estreia para 31 de Janeiro de 2014. Direção de Brian Percival e roteiro de Michael Petroni e já saiu o trailer do filme e pra primeira impressão super gostei, se o filme for pelo menos 1/3 do quão incrível é o livro, já vale a entrada no cinema!

Juliana Esgalha Post por

Filme: Django Livre

Sinopse e detalhes
Django (Jamie Foxx) é um escravo liberto cujo passado brutal com seus antigos proprietários leva-o ao encontro do caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz). Schultz está em busca dos irmãos assassinos Brittle, e somente Django pode levá-lo a eles. O pouco ortodoxo Schultz compra Django com a promessa de libertá-lo quando tiver capturado os irmãos Brittle, vivos ou mortos.

Ao realizar seu plano, Schultz libera Django, embora os dois homens decidam continuar juntos. Desta vez, Schultz busca os criminosos mais perigosos do sul dos Estados Unidos com a ajuda de Django. Dotado de um notável talento de caçador, Django tem como objetivo principal encontrar e resgatar Broomhilda (Kerry Washington), sua esposa, que ele não vê desde que ela foi adquirida por outros proprietários, há muitos anos.

A busca de Django e Schultz leva-os a Calvin Candie (Leonardo diCaprio), o dono de “Candyland”, uma plantação famosa pelo treinador Ace Woody, que treina os escravos locais para a luta. Ao explorarem o local com identidades falsas, Django e Schultz chamam a atenção de Stephen (Samuel L. Jackson), o escravo de confiança de Candie. Os movimentos dos dois começam a ser traçados, e logo uma perigosa organização fecha o cerco em torno de ambos. Para Django e Schultz conseguirem escapar com Broomhilda, eles terão que escolher entre independência e solidariedade, sacrifício e sobrevivência.

Fonte: Adoro Cinema

Quentin Tarantino nunca me decepcionou em nenhum de seus filmes e Django entrou sem pestanejar pra minha lista de filmes preferidos. Christoph Waltz no personagem do Dr. King Schultz, na minha opinião, é quem rouba a cena do filme, mesmo com as atuações impecáveis de Jamie Foxx, Leonardo diCaprio e Samuel L. Jackson. O filme é recheado de diálogos inteligentes, cenas super engraçadas e claro – muito sangue, tiroteios e violência, que é a marca registrada de Tarantino, sem isso não seria um filme dele. A fotografia é perfeita e as atuações de todos são brilhantes, principalmente pra Samuel L. Jackson, que se eu bem me lembro de seus outros filmes, ele nunca havia feito um papel tão diferente assim.


Tarantino, que também teve a sua participação no filme, na minha opinião, é um diretor único em tudo que faz. Único porque ele consegue unir, por exemplo, o pop num filme de gênero faroeste como Django – o que faz dele um diretor digno de respeito mesmo. Aliás, em certas cenas eu notei algumas referencias, que podem escapar à nossa atenção – de Bastardos Inglórios e Pulp Fiction, mas não vou dizer quais cenas são, porque perderia a graça e não vou dar uma de spoiler aqui. Django Livre serviu pra compensar o desastre que Os Miseráveis foi pra mim ehehehehehehe. Assitam!!! É um filme excelente.


Django também está cotado ao Oscar nas categorias de:
– Melhor filme
– Ator coadjuvante pra Christoph Waltz (super merece)
– Roteiro original
– Fotografia
– Edição de som

Juliana Esgalha Post por