Arquivo

cinema

Posts em cinema.

Filme: Kingsman

Há um tempo atrás eu tinha visto o trailer desse filme e pensei: ‘ok, nada tão espetacular’ e deixei de lado, ontem o Rick quis assistir e fomos ao cinema, confesso que meu pré julgamento depois de ver o trailer tinha me dado a errônea certeza de que seria mais um filme bomba (mesmo inclusive tendo ótimos atores) e paguei a minha língua por ter pensado assim (ainda bem!).

Kingsman_THUMNB-1411495887471

A trama começa com a história de Harry (ou Galahad) interpretado por Colin Firth – um elegantérrimo espião que faz parte de uma organização secreta chamada Kingsman, há alguns anos atrás um colega de trabalho morreu ao salvar sua vida e anos depois, o filho desse homem – um jovem cheio de problemas, mas super inteligente e habilidoso será o escolhido por Harry para se tornar um Kingsman. Nessa história também há um vilão, interpretado por ninguém menos que Samuel L. Jackson que usando a uma tecnologia baseada em chips de celular pretende fazer uma “limpa” no mundo.

Kingsman possui uma série de elementos que pra mim foram todos na medida certa: comédia, ação, diálogos inteligentes e cenas irônicas. Samuel L. Jackson está como um vilão, mas com uma boa dose de humor porque apesar de vilão, é um personagem engraçado e garante boas risadas. Kingsman é um filme denso no sentido de ser uma ótima história que foi muito bem contada, as vezes certos filmes tem a história boa mas que não é explorada a altura. Há várias referências de outros filmes também, muitas outras referências britânicas e uma trilha sonora sensacional.

Finalmente assisti um filme que valeu cada centavo no cinema! Recomendadíssimo.

Filme: A vida secreta de Walter Mitty

Recomendo também a leitura no Braimstorm9:

“Uma pergunta que não vai embora ao se assistir “A Vida Secreta de Walter Mitty” é: você sabe quem você pode, de fato, ser? Isso não faz do longa uma obra de auto-ajuda, longe disso. É uma provocação declarada. Assim como Stiller, que poderia ter se contentado ao repetir as mesmas comédias, e optou por contar outras histórias que respondessem a seus ímpetos criativos, Mitty partiu numa aventura extremamente real. Ambos têm energia de sobra e, provocados da maneira certa, entregam resultados impressionantes. O personagem se desenvolve, se modifica, sem precisar jogar tudo para o ar. Apenas encontra um novo modo de ver as coisas. O filme é sincero, grandioso e tem peso suficiente para fazer uma coisa por você: se essa for a sua hora, ele vai te transformar.”

A Vida Secreta de Walter Mitty é uma refilmagem de O Homem de 8 Vidas (1947). Walter Mitty é o tipo de personagem que todo mundo conhece pelo menos uma pessoa como ele. Mais ainda: por muitas vezes, em alguma situação, a gente também se identifica com ele e pensa nas mil possibilidades de mudar em algo e viver mais a vida. Não é um filme que ostenta coisas, nem com cenas fantasiosas que só se vê em filmes. É uma história ‘palpável’ que te faz pensar e refletir sobre muitas coisas… Que a vida se torna mais simples a partir do momento em que você resolve se jogar mais, dar mais ouvidos pra coisas positivas e cada vez menos importância pros problemas ou coisas que não acrescentam nada… Que dá pra mudar sim e sair do óbvio (e se preferir sem mexer em coisas que você não quer mudar). Pra mim, absolutamente, foi o melhor filme do ano. Eu adoro essas histórias que alguém vem e te dá um sacode dos bons, que te faz pensar, se emocionar com o simples e pegar a essência real da história que dá perfeitamente para aplicar nas nossas vidas.

Ben Stiller além de estar no papel de WW, é quem também dirigiu o filme e olha, ele está incrivelmente brilhante. Principalmente porque estamos acostumados em ver suas atuações apenas em papéis de comédia e com personagens sempre caricatas – o que particularmente eu não sou muito fã dos outros filmes dele, mas esqueça tudo isso quando ver Walter Mitty – ele não tem nada dos seus antigos personagens. Também não posso deixar de citar a atuação (brilhante como sempre foi) de Sean Penn – um fotógrafo viajante espetacular que diga-se de passagem Sean Penn está muito bem no auge dos seus 53 anos. Com uma trilha sonora maravilhosa e apaixonante, A Vida Secreta de Walter Mitty não é apenas mais uma dica de filme, é uma história incrivelmente real para todo mundo, é um filme que todos deveriam assistir e tirar suas próprias lições pra aprender que os sonhos, independente do tamanho, só se torna possível quando se corre atrás.

Trailer: A Menina que Roubava Livros

Li ‘A Menina que Roubava Livros’ no começo de 2008 e foi uma das histórias mais lindas que já li na vida, todos que conheço que leram esse livro se emocionaram com a história, agora o livro virou um filme com a estreia para 31 de Janeiro de 2014. Direção de Brian Percival e roteiro de Michael Petroni e já saiu o trailer do filme e pra primeira impressão super gostei, se o filme for pelo menos 1/3 do quão incrível é o livro, já vale a entrada no cinema!

Filmes que você tem que ver…

Dois eu assisti e o ultimo eu ainda vou ver, a estréia é nessa sexta-feira:

Intocáveis

Sinopse:

Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. Aos poucos ele aprende a função, apesar das diversas gafes que comete. Philippe, por sua vez, se afeiçoa cada vez mais a Driss por ele não tratá-lo como um pobre coitado. Aos poucos a amizade entre eles se estabelece, com cada um conhecendo melhor o mundo do outro.


Há tempos não assistia uma comédia inteligente + história linda! O filme é baseado em uma história real e te prende do começo ao fim, não só pela história e mensagem bonita que passa, mas pela comédia inteligente mesmo que faz você rir durante todo o filme. Cinema europeu sempre me surpreende, esse é francês. Super recomendo!!!

O Hobbit

Sinopse:

Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) vive uma vida pacata no condado, como a maioria dos hobbits. Um dia, aparece em sua porta o mago Gandalf, o cinzento (Ian McKellen), que lhe promete uma aventura como nunca antes vista. Na companhia de vários anões, Bilbo e Gandalf iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média. Eles têm por objetivo libertar o reino de Erebor, conquistado há tempos pelo dragão Smaug e que antes pertencia aos anões. No meio do caminho encontram elfos, trolls e, é claro, a criatura Gollum (Andy Serkis) e seu precioso anel.


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHH car$@#$#¨%&@!!!! Quanto que eu esperei por esse filme!!!!!! Incrível, ouso em dizer que é mais legal que o próprio Senhor dos Anéis. Ok, ok… Mesmo sendo uma continuidade muita gente vai querer bater em mim por esse comentário, mas Hobbit me surpreendeu muito. Aliás, o filme vem com uma boa pitada de humor, aventuras, muitas, muitas batalhas e claro, meu personagem favorito – Gandalf, O Cinzento. O Hobbit está sendo muito comentado também pelo seu modo de filmagem – o tal 48fps (frames per second), por sinal, foi primeiro filme feito dessa maneira.

Vou tentar explicar isso da melhor maneira possível pois não sou muito didática com essas coisas, mas é assim: O filme foi feito em 48 quadros (cenas) por segundo sendo que o de praxe, que nossos olhos estão acostumados é de 24 quadros por segundo e qual a diferença de 24 pra 48? Além de ser o dobro (cê jura? ehehehe) visualmente isso te dá mais informação (em detalhes, aquela sensação de estar no filme – isso não é loucura minha, essas coisas) e a imagem fica MUITO mais perfeita.

É claro que há quem amou e quem detestou isso, e muita gente passou por vezes procurando por esses detalhes sem se apegar na história (sempre vai ter um do contra), mas acredito mesmo que tudo não passa de uma questão de costume, pois se muita gente não soubesse dessa inovação talvez nem notaria a diferença ou até notaria sim, mas não ficaria de mimimi depois. Eu particularmente gostei, mas essa mania agora do cinema em fazer TUDO em 3D é a única coisa que me irrita, principalmente se você pega um filme longo como esse pra assistir, eu sempre saio com dor de cabeça e pra mim não é nada atrativo!

A história? É perfeita, eu simplesmente achei incrível, não acrescentaria e não tiraria nada. Foi muito bem contada desde o ínicio da batalha dos anões ou quando Bilbo começa a contar no livro dele de como foi sua grande aventura e até o “final” quando Bilbo também diz: ‘acho que o pior já ficou pra trás’ e vocês sabem que o mundo de Tolkien é incrivelmente imenso, ainda tem muita história pra contar. Esse com certeza é filme pra ver no cinema!

E por ultimo e não menos importante:

As Aventuras de Pi

Sinopse:

Pi Patel (Suraj Sharma) é filho do dono de um zoológico localizado em Pondicherry, na Índia. Após anos cuidando do negócio, a família decide vender o empreendimento devido à retirada do incentivo dado pela prefeitura local. A ideia é se mudar para o Canadá, onde poderiam vender os animais para reiniciar a vida. Entretanto, o cargueiro onde todos viajam acaba naufragando devido a uma terrível tempestade. Pi consegue sobreviver em um bote salva-vidas, mas precisa dividir o pouco espaço disponível com uma zebra, um orangotango, uma hiena e um tigre de bengala chamado Richard Parker.


Esse estréia agora dia 21/12 (se o mundo não acabar…) mas me ganhou pelo trailer e pela trilha sonora, vamos ver se é tão bom quanto parece, foi baseado no livro A Vida de Pi, mas achei meio salgado o preço pra um livro e se alguém quiser praticar uma boa ação eu aceito como presente de Natal #alocka.

Fonte das Sinopses: Adoro Cinema