Arquivo

países nórdicos

Posts em países nórdicos.

Backpacker: Suécia

Dos três países escandinavos que conheci, Estocolmo na Suécia foi a cidade que eu mais gostei. É uma cidade igualmente cara como Oslo e Copenhagen, mas é uma cidade maior, mais agitada e com muitos lugares pra visitar. Nas atrações turísticas, vale a pena conhecer o Palácio de Drottningholm, o centro da cidade que tem muita coisa legal pra fazer, mas principalmente o Gamla stan que é a cidade velha de Estocolmo, datada do século XIII essa parte é recheada de becos medievais, ruas pavimentadas com pedras e arquitetura antiga gótica alemã de tijolos, repleta de restaurantes, galerias de arte, livrarias, lojas de souvenirs, mas é passeando à noite por Gamla stan que deixa o lugar muito mais legal, pois por toda essa arquitetura antiga é como se você viajasse no tempo, dá vontade de ficar por horas e horas passeando por alí.

estocolmo

Estocolmo é uma cidade muito rica em cultura e boas opções não faltam, um dos principais é o Statens Historiska Musset que conta toda a história do país, aonde inclusive há um espaço dedicado aos vikings (eles não podem faltar). No Palacio Real Kungliga Slottet por um acaso de sorte, quando estávamos passando por alí, conseguimos pegar a troca da guarda que é algo bem legal de se ver e acontece diariamente ao meio dia.

Outro lugar muito legal pra conhecer e que fica bem no centro da cidade é a praça Sergels Torg que há uma área rebaixada com muitas lojas e restaurantes, mas vale muito a pena experimentar a comida de rua também que além de muito bem servida, é uma delícia. Os suecos são extremamente educados e gentis, mas conversando com um brasileiro que mora lá e que trabalha no hostel em que ficamos hospedados, ele disse que eles são pessoas mais difíceis de você manter uma amizade, uma vez que estiver morando lá, nesse ponto eles são realmente mais fechados. Chegamos em Estocolmo no começo da primavera, mas ainda assim é muito frio e fiquei imaginando como tudo deve ser no inverno, portanto, nem preciso dizer que casacos ultra quentinhos, luvas e gorro são especialmente necessários.

Backpacker – Noruega

Oslo (além de capital), é a maior cidade da Noruega. É uma das cidades mais caras do mundo também. Sua beleza é indiscutível e, de todas as viagens que já fiz, Oslo foi o ponto mais longe em que já estive de casa. É muito engraçado essa sensação porque tecnicamente nada externamente muda, mas dentro se si é inevitável pensar: “agora sim, estou bem longe de casa” e isso é muito gratificante ao mesmo passo que encorajador. Oslo é uma cidade rica em cultura com muitas galerias, museus e pontos históricos importantes.

norway

Um dos que fiz questão de conhecer foi o Museu Viking (Vikingskipshuset), ele fica em uma das penínsulas de Oslo (Bygdøy) aonde dependendo da época do ano, é possível chegar lá de barco… Como estávamos fora dessa temporada fomos de ônibus mesmo que dá uns 25/30 minutos o trajeto. Pra quem gosta de histórias nórdicas, visitar o museu é uma viagem ao tempo. O maior barco deles é o Gokstad construído por volta de 890. Ele tem 24 metros de comprimento e 5 de largura e foi encontrado em 1880. Além de navios, há uma infinidade de objetos, vestimentas e até corpos estão expostos lá. Histórias nórdicas são impressionantes (amando o seriado Vikings) e ver parte disso de pertinho é realmente incrível.

Ficamos pouco tempo em Oslo e por ser uma cidade cara (MESMO!), nós decidimos dar uma segurada na grana e passear pelos pontos em que não precisava pagar nada e felizmente, nem por isso deixou a desejar, pelo contrário. A cidade é cheia de lugares que você pode conhecer sem precisar pagar nada – como o Parque Vigeland (Vigelandsparken) que é recheado de esculturas – todas feitas por um escultor norueguês chamado, Gustav Vigeland. A culinária em muitos pontos, é bem exótica também ehehehehe, até carne de baleia entra no cardápio. No hostel em que ficamos conhecemos 3 brasileiros, mas Oslo é uma cidade com muito vai e vem de pescadores também. Pesquisamos sem grande compromisso, sobre as auroras boreais – algo que ainda tenho muita vontade de conhecer e se tivéssemos chegados um dia antes, teríamos conseguido fazer essa excursão por um preço bem abaixo do que é geralmente cobrado e mesmo assim, vale lembrar que não é certeza de que você consiga ver. Até aonde eu sei são umas 8 horas de viagem ao norte da Noruega e mais 8 de volta, anyway, fica pra uma próxima até porque as auroras não estavam no roteiro. Pesquisando depois, descobri que a Noruega tem um turismo mais alternativo em que você visita pontos bem afastados e que existem aquelas paisagens da natureza de tirar o fôlego, voltaria facilmente e com mais tempo pra conhecer esse lado da Noruega. Pra finalizar, acredito que 2 dias em Oslo são suficientes pra conhecer bastante coisa e prepara-se: é uma das cidades mais caras do mundo.

Não poderia terminar esse post sem homenagear e dedicar esse post há uma das pessoas mais importantes da minha vida: minha vó querida. Essa semana que passou foi muito difícil pra mim, ela faleceu na terça passada e pra mim foi um baque. Dói e só mesmo o tempo pra dar uma amenizada nessa dor. Vou sentir muitas saudades, mas tenho certeza que ela está num lugar que é tão lindo quanto a Noruega. Minha vózinha querida esse post é pra você, que sempre me apoiou em tudo e sempre torceu pra eu viaje cada vez mais e mais. Te amo.

Backpacker: Copenhague – Dinamarca

De Amsterdam até a Dinamarca foram 15 fucking horas de viagem de trem. É claro que pegamos a opção de cabines com camas, então como dormimos na maior parte do trajeto o tempo passou mais rápido (e, é uma delícia viajar assim). Eu acho muito legal fazer uma viagem que você atravessa uma grande quantidade de quilometragens de um país pro outro (ou de vários países pra um outro), nós saímos de Amsterdam à noite, atravessamos a Alemanha e chegamos em terras escandinavas bem cedinho. E isso é bem interessante porque a paisagem muda, a cultura muda e as pessoas são diferentes fisicamente falando também, aliás, tenho que escrever sobre isso: tantos as dinamarquesas como os dinamarqueses, (na verdade, todos desses países nórdicos de um modo geral) são incrivelmente lindos. MESMO! Tipo, não são apenas pessoas bonitas, eles são realmente lindos; altos, elegantes e claro com o que eu mais amo: educados e super gentis. ^^

Copenhague

Copenhague é uma cidade pequena, mas incrível. Sim, apesar de ser começo de primavera, pegamos bastante frio. Situada nas ilhas da Zelândia e Amager, Copenhague é a cidade mais visitada dos países nórdicos, muito bem estruturada – tanto para quem vive lá, como para turistas – há muitos museus, cafés, lojas, restaurantes e vários pontos turísticos legais pra visitar. Não é caro para comer em Copenhague, DESDE QUE se pesquise bem pois tem restaurantes para todos os tipos de bolsos, a cidade como um todo é em si bem cara, a moeda é a coroa dinamarquesa, então é imprescindível fazer a conversão pra não ter sustos depois.

Lá ficamos no Generator Hostel, um dos mais legais que me hospedei e o mais barato que encontramos: café da manhã excelente e muito bem estruturado em todos os serviços. Pontos turísticos que vale a pena conhecer: Palácio de Amalienborg, Strøget, A Pequena Sereia (embora não seja lá aquelas coisas, vale pela história – pois é o símbolo da cidade), Gliptoteca Ny Carlsberg (museu da arte), Nyhavn (é recheado de cafés de restaurantes), Rundetarn (vale a pena pagar e subir até o topo da torre, você tem uma vista incrível da cidade toda). Acredito que dois dias são suficientes para Copenhague e acho que independente da época do ano lá, leve SEMPRE uma blusa a mais hehehehehe.