Viajando: Paris – França

MÚSICA DO DIA: AIN’T NO MOUNTAIN HIGH ENOUGH – MARVIN GAYE

Viajando: Paris – França

Paris…
Sempre Paris …. E ainda bem que conheci uma Paris que não é a Hilton.
Wandy e Júlio foram com a gente pra lá:

“Podemos ir pra Paris com vc’s?”
“É CLAROOOOOOOO!!!”

Saímos na quinta à noite de Londres, fomos de ônibus via Ferry Boat, pq de trem era um absurdo de caro, e descobri que viajar de ônibus é ruim em qualquer lugar realmente, até mesmo na Europa, mas quando colocamos o pé na cidade-luz, todo cansaço valeu a pena e eu até esqueci que não consegui dormir nada durante a viagem.
Chegamos no sábado bem cedinho, deixamos nossas coisas no albergue e lá fomos todos nós bater perna pela cidade.

É óbvio que Paris é lindo e claro, usando um adjacente clichê: romântica tbm.
O primeiro ponto turístico que visitamos foi a Torre Eiffel , que mesmo estando perto ou longe dela vc se sente como se fosse o menor ser do mundo.

Visitamos também o Arco do Triunfo , Champs Élysées (trés chique), Catedral de Notre Dame , Museu do Louvre e todos eles são lugares lindíssimos, porém, como ainda era época de temporada a cidade estava lotada (não é a toa que Paris é a cidade mais visitada do mundo) e alguns lugares que eu queria muito ir, infelizmente, não deram certo pelo tamanho da fila e pelo pouco tempo que nós tínhamos.

Por 8 euros vc visita a Monalisa de Da vinci, mas justamente por causa desse lance de tempo, nós só passamos pelo Louvre mesmo. Valeu mesmo assim, claro!
Paris é uma cidade cara para comer, mas ainda bem que vinho é super barato por lá, e mesmo sendo cara não deixamos de tomar um cafezinho nos famosos cafés parisienses , sem dúvida foi o café mais caro da minha vida, mas foi o mais bem pago tbm.

No final da tarde, todos nós estávamos podres de cansados e tbm não era pra menos, voltamos pro albergue e dormimos um pouquinho e quando foi umas 8 da noite, saímos novamente pra rua, afinal eu precisava ver a cidade-luz a noite.

Passamos no mercado, compramos duas garrafas de vinho (pq sai mais barato tomar vinho do que água, vamos combinar) e fomos novamente pra Torre Eiffel.
Gente… Quando eu virei a esquina e dei cara com aquela torre toda azul com as estrelas a União Européia eu parei e fiquei uns 3 minutos catatônica, só admirando.

Se durante o dia ela já e linda, à noite é muito mais e a cada meia hora ela fica piscando por completo , é de fato, um lugar lindo mesmo de se ver e que vale a pena visitar, vendo por foto é uma coisa, mas estando ao vivo é outra bem diferente.

Enchemos a cara de vinho em frente a Torre Eiffel, nos divertimos, demos risadas e voltamos pro albergue alegres (pela bebida) e muito felizes pelo dia que tinha sido muito, muito legal.
Quando deitei na cama eu literalmente apaguei, estava super cansada, mas no outro dia acordei renovada e o sábado foi tão legal quanto a sexta-feira.

Como tudo ali pra se comer era caro demais, decidimos ir novamente ao mercado e fazer algo diferente: compramos queijos, pão, salames e claro – mais duas garrafas de vinho (sempre) e fomos pra beira do Rio Sena fazer piquenique (alto lá, farofa não heim…) e este é uns dos dias dessa minha viagem que eu nunca mais vou esquecer na minha vida , pq dizer simplesmente que foi legal, é pouco. Foi perfeito.

E pra fechar com chave de ouro, fomos passear de barco pelo Sena , passeio este que pra quem for pra Paris, precisa sem dúvida fazer isso. Saímos de lá no sábado a noite e chegamos em Londres antes mesmo no sol nascer.

E apesar de alguns lugares serem meio sujos, (os parques de Londres são bem mais cuidados) e outros por menores que essa cidade não poderia ter (mendigos, sujeira), Paris torna-se um lugar inesquecível com coisas boas para quem a visita.

Me senti quase que uma Amélie Poaulin, aliás, vi esse filme (de novo) ontem…

Próxima parada: Stonehenge em Salisbury, eu vi o que lia nos meus livros!

Juliana Esgalha Post por