Posts arquivados em Mês: Janeiro 2014

17 jan, 2014

Playlist de viagem

Eu tinha criado uma lista maravilhosa de músicas que combinam com viagem no 4shared, mas por algum motivo aquele site realmente me odeia e aquela bagaça não tinha um link que eu pudesse fazer o compartilhamento aqui pra vocês. E acabei descobrindo o Plaay pelo blog da Camis (que também montou uma lista muito legal). O Plaay é um site incrível com mais de 5 milhões de músicas e que dá pra você montar suas playlists e compartilhar com os amigos, tem aplicativo pra celular também, mas eu ainda não testei. Fiz uma playlist com as músicas, que pra mim, tem tudo a ver com viagens. Não pela letra, mas pela canção mesmo, sempre combinou com minhas viagens e, é a minha trilha sonora pra isso. Tem mais de 50 músicas (eu não consigo ser comedida com esse tipo de listagem ehehehe) pra vocês se divertirem, é só apertar o play:

16 jan, 2014

Viagem e tickets de passeios em Amsterdã

Menos de dois meses pra viagem, eu lembrei disso na segunda feira (dia 13), mas estou me dando conta disso só agora. Essa viagem foi planejada pra novembro do ano passado, mas tenho certeza que a melhor época será agora em março. Deu pra montar um roteiro mais amplo, dar uma esticada nos dias e pesquisar com mais calma os passeios que queremos fazer. Ainda não reservamos os hostels e pretendo fazer isso no fim de semana.

Dessa vez decidi não comprar nada além do que eu precise, não vou ficar gastando com maquiagens, nem com roupas (acreditem: estou bem firme nesse ponto ehehehe), na verdade eu não quero comprar nada durante a viagem; quero gastar com passeios, comendo em lugares diferentes e SE comprar alguma coisa, vou deixar essa parte consumista pro Duty Free na volta, assim eu economizo em dinheiro e em menos peso na mochila.

I-amsterdam

O legal que, pesquisando sobre passeios eu descobri uma praticidade muito legal em Amsterdã, nesse site aqui que é de um brasileiro que mora lá e dá dicas ótimas: dá pra você comprar vários ingressos de atrações na cidade, por uma empresa holandesa que vende ingressos antecipadamente. Dá pra escolher várias atrações. Alguns deles, inclusive, você adquire junto com a grande vantagem de não precisar enfrentar filas, como por exemplo: visitar o anexo aonde Anne Frank viveu na Segunda Guerra (quero muito conhecer). Dá pra comprar antecipadamente, você não enfrenta filas (o que economiza um tempo danado porque é um lugar de MUITA visitação), não é caro e a única coisa que você precisa é marcar o horário e se programar pra chegar na hora que marcou. Esse tipo de comodidade em viagens é sempre uma grande vantagem pra quem viaja (mesma coisa com os bilhetes de trem) e no que dá pra fazer, eu já prefiro fazer antes e chegar no lugar com tudo mastigadinho. Até o dia da viagem, prometo ir colocando mais dicas aqui. 🙂

Ah! Agora também estou escrevendo pro Fui Viajar, blog da querida Camille, vão lá conhecer. Tem posts de viagens incríveis.

15 jan, 2014

Filme: A vida secreta de Walter Mitty

Recomendo também a leitura no Braimstorm9:

“Uma pergunta que não vai embora ao se assistir “A Vida Secreta de Walter Mitty” é: você sabe quem você pode, de fato, ser? Isso não faz do longa uma obra de auto-ajuda, longe disso. É uma provocação declarada. Assim como Stiller, que poderia ter se contentado ao repetir as mesmas comédias, e optou por contar outras histórias que respondessem a seus ímpetos criativos, Mitty partiu numa aventura extremamente real. Ambos têm energia de sobra e, provocados da maneira certa, entregam resultados impressionantes. O personagem se desenvolve, se modifica, sem precisar jogar tudo para o ar. Apenas encontra um novo modo de ver as coisas. O filme é sincero, grandioso e tem peso suficiente para fazer uma coisa por você: se essa for a sua hora, ele vai te transformar.”

A Vida Secreta de Walter Mitty é uma refilmagem de O Homem de 8 Vidas (1947). Walter Mitty é o tipo de personagem que todo mundo conhece pelo menos uma pessoa como ele. Mais ainda: por muitas vezes, em alguma situação, a gente também se identifica com ele e pensa nas mil possibilidades de mudar em algo e viver mais a vida. Não é um filme que ostenta coisas, nem com cenas fantasiosas que só se vê em filmes. É uma história ‘palpável’ que te faz pensar e refletir sobre muitas coisas… Que a vida se torna mais simples a partir do momento em que você resolve se jogar mais, dar mais ouvidos pra coisas positivas e cada vez menos importância pros problemas ou coisas que não acrescentam nada… Que dá pra mudar sim e sair do óbvio (e se preferir sem mexer em coisas que você não quer mudar). Pra mim, absolutamente, foi o melhor filme do ano. Eu adoro essas histórias que alguém vem e te dá um sacode dos bons, que te faz pensar, se emocionar com o simples e pegar a essência real da história que dá perfeitamente para aplicar nas nossas vidas.

Ben Stiller além de estar no papel de WW, é quem também dirigiu o filme e olha, ele está incrivelmente brilhante. Principalmente porque estamos acostumados em ver suas atuações apenas em papéis de comédia e com personagens sempre caricatas – o que particularmente eu não sou muito fã dos outros filmes dele, mas esqueça tudo isso quando ver Walter Mitty – ele não tem nada dos seus antigos personagens. Também não posso deixar de citar a atuação (brilhante como sempre foi) de Sean Penn – um fotógrafo viajante espetacular que diga-se de passagem Sean Penn está muito bem no auge dos seus 53 anos. Com uma trilha sonora maravilhosa e apaixonante, A Vida Secreta de Walter Mitty não é apenas mais uma dica de filme, é uma história incrivelmente real para todo mundo, é um filme que todos deveriam assistir e tirar suas próprias lições pra aprender que os sonhos, independente do tamanho, só se torna possível quando se corre atrás.

13 jan, 2014

Boas vindas ao Lennon

Lembro que até um tempo atrás eu dizia que não era “muito fã” de gatos. Talvez porque nunca tivesse tido um ou porque quando criança fui carimbada com o arranhado de um que nem me lembro mais de quem era, o fato é que eu tinha essa pré disposição (ou preconceito) bobo que acabei pagando minha língua quando resolvemos adotar um pela primeira vez – a Amélie. Aliás, ela está cada dia mais linda; come que nem um leão (mesmo sendo magrinha), brinca, pula, morde, arranha ehehehehe e assim como todos os gatos, tem uma personalidade adoravelmente incrível. Muitos me perguntam se ela e o Ozzy já se acostumaram um com o outro e como o Ozzy passa a semana toda na minha mãe (rotina que sempre foi assim desde pequeno), é óbvio que os dois ainda estão se adaptando, uma vez que, Ozzolino é mais ciumentinho e esse ano já vai pra 8 anos que ele está na nossa família. Lembrei até de um fato que aconteceu na semana passada quando alguém teve a pachorra de me dizer: “hoje em dia você só posta fotos da Amélie” e isso me emputeceu um bocado.

Diz regra da vida que não devemos dar ouvidos pra esse tipo de comentário vindo de uma mente desocupada pra chegar (e falar) uma abobrinha dessas, isto é uma lição que pra mim é diária e penso que pra grande maioria das pessoas também, eu preciso sempre estar atenta pra ver se aprendi isso direito, mas puta que pariu mil vezes eu também não tenho sangue de barata e pra quem está “preocupado” com isso eu informo que o Ozzy continua muito amado, bem cuidado e gostoso como sempre. Eu não troquei cachorro por gato. Eu não meço meu amor por animais. Agora, ele só não aparece tanto em fotos quanto a Amélie por motivos de: é um parto de elefantes fazer uma foto/vídeo/whatever dele… Diferente da Amélie que faz até pose. Mas se alguém ainda consegue enxergar alguma maldade nisso, pode começar a pagar minhas contas! Enfim… Depois desse adendo, e vou contar o motivo real do post:

Sábado já acordei na correria – tomei café, fui pra academia, voltei pra casa, tomei banho e logo já sai de novo. Não era tarde e o sol estava já um inferno, eu não sei vocês, mas o verão – indo contra ao que falam do inverno, me deixa muito mal humorada. Se em muitos países o frio é o culpado pelos índices de suicídio nas pessoas, aqui, quando chega o verão ou está sol demais eu fico ao ponto de querer arrancar a minha pele, mas então… Voltando, passei no Pet Shop e comprei umas coisas pra levar na ONG. Isso foi algo que decidi fazer esse ano (e com certeza nos próximos também) de todo mês levar alguma coisa em prol dos bichinhos que estão pra adoção e acho que nada mais justo, é impressionante a quantidade de animais que eles recebem por dia, tanto cachorrinhos como gatos e obviamente toda a ajuda que recebem sempre é muito bem vinda. Eu já estava com ideia de adotar mais um gatinho, mas meus planos era que isso fosse feito depois da viagem, ou seja – em meados de abril, mas tudo mudou até eu chegar lá e ver isso:

gatos

Morri de amor. Enlouqueci!

Dizem que quando você vai escolher um bichinho de estimação, não é exatamente você que escolhe, mas sim o bicho que escolhe você e eu acredito muito nisso. Foi assim com um deles e foi amor a primeira vista a partir do momento que aqueles olhinhos azuis olharam pra mim, peguei umas 3 vezes no colo pra me convencer de que eu só podia adotar depois que voltasse de viagem, mas não teve jeito e o amor falou mais alto. Eis que então, novamente, temos mais um novo membro na família, as vezes eu chamo ele de Johnjohn, mas oficialmente foi batizado como Lennon porque eu precisava de um beatle na minha vida:

Mas aí vocês me perguntam como eu já sei que é um menino, uma vez que com a Amélie…? Né? Pois é! As donas da ONG me garantiram que dessa vez se trata de um menino (mesmo com esse tamanho micro nos seus 30 dias de vida, ele é menor do que a Amélie quando chegou) e realmente, analisando com mais embasamento (pero no mucho), vejo que se trata de um rapaz, EMBORA eu deva admitir que ainda não tenho 100% de certeza, mas né… Sexo é o de menos e o máximo que pode acontecer é ter que trocar os nomes (já tenho um “nome B” caso isso aconteça). A Amélie desconfiou no começo, soltou aqueles ‘baforinhos’ que todo gato faz, sabem? Mas estão se acostumando muito bem, eu ainda não deixo os dois sozinhos quando não estou estou perto porque, a Amélie já deu uma boa crescida e o Lennon é realmente MUITO pequeno, muito mesmo… E como brincadeira de gato é mais bruta, agora no começo eu ainda prefiro deixar os dois juntos só quando estão sob nossa supervisão, mais por precaução mesmo porque, no mais, estão se entendendo super bem. A Amélie quando não vai atrás dele, é ele quem vai atrás dela, estão até já comendo no mesmo pote e quando se cansam de brincar, cada um deita de um lado e dormem como dois anjinhos. E eu estou uma mãe (agora de três – dois felinos e um cão salsicha) mais babona do que nunca, esses bichinhos deixam a nossa vida muito mais colorida… Porque a felicidade mesmo, é mais do que certa!

09 jan, 2014

Minissérie sobre Michael Hutchence – Vocalista do INXS

O Papel Pop divulgou essa semana uma nova minissérie que irá ao ar em uma TV Australiana e que vai contar sobre a vida de Michael Hutchence – vocalista do INXS que morreu em 1997 aos 37 anos de idade. Vão mostrar toda a trajetória da banda e como foi a vida de Michael. Eu sempre fui fã de INXS, muitas músicas são inesquecíveis e achei a ideia incrível de fazer uma minissérie sobre isso. Eu me arrepiei dos pés a cabeça com o trailer, pra quem é fã ou simplesmente simpatizava pela banda, super vale a pena, tá lindo: