25 mar, 2019

Os Meus 40 Anos

Quando eu comecei a escrever em um blog eu tinha por volta dos 20/21 anos, quando fiz 30 anos eu escrevi um post sobre a minha nova fase balzaquiana e anos depois resolvi guarda-lo nos arquivos só pra mim. Passaram mais 10 anos.
Hoje estou completando 40 anos.
Mais uma volta em torno do sol.
Mais uma primavera.
Mais um ano de vida!
Fazer 20, 30 anos é legal, mas chegar aos 40 eu diria que é simbólico.
É a idade que a gente percebe o quanto a vida é realmente incrível principalmente quando acontece de dentro pra fora, as recordações passam em time lapse e você se dá conta do quanto já viveu e o tanto que já aconteceu. Seja com as alegrias ou as tristezas, eu coloco tudo junto no combo dos meus anos. Chegar aos 40, pra mim, é mágico ver o quanto eu aprendi e o quanto eu ainda tenho muito o que aprender, o quanto eu me conheço e me amo. Eu não trocaria quem eu sou hoje por nenhum ano a menos.

Não sei se 40 é a metade da minha vida, se já passei da metade ou se ainda nem cheguei nisso, mas quando olho pra traz com carinho da minha história e me vejo agora, enxergo uma versão muito melhor de mim, de alguém que tem orgulho de chegar aos 40 e sem vergonha nenhuma de esconder quantas velas está apagando no dia de hoje porque a vida é isso mesmo: é ser feliz e agradecida por acordar mais um dia, por todas as qualidades e defeitos, por toda perseverança e fraqueza, por conquistar as grandes e as pequenas coisas e por comemorar mais um ano de vida no calendário.

Pode vir 40. Estou pronta.
Pra terminar uma musiquinha que estou no repeat há um tempão:

Juliana Esgalha

Tags:

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário

  • Avatar
    Danilo Fernandes
    março 26, 2019

    Feliz aniversário e que venham muito mais momentos de alegria e aprendizagem na sua vida! Lembro-me de quando entrei no seu blog pela primeira vez e na barrinha lateral tinha aquele adjetivo que eu nunca tinha visto antes: pré-balzaquiana. Hehehe
    O tempo voa… Mas o mais importante é que ainda há muito a ser vivido. Parabéns mais uma vez e “tudibom” 😛