Posts marcados na categoria Filmes

06 set, 2018

Filme: A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata

Esse é mais um filme da Netflix, baseado em um livro que a história adaptada pro cinema ficou fantástica. O título longo é até engraçado e desperta a curiosidade, mas vamos primeiro a sinopse:

“Juliet Ashton (Lily James) é uma jovem escritora, com falta de inspiração, que logo após a Segunda Guerra Mundial recebe uma carta de um membro da misteriosa Sociedade Literária de Guernsey, uma organização formada durante o período de ocupação nazi. Curiosa, Juliet decide ir até às ilhas de Guernsey e encontra-se com os excêntricos membros da Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata, entre os quais se encontra Dawsey (Michiel Huisman), o charmoso e intrigante agricultor que esteve na origem da carta. As suas confidências, a sua ligação à ilha e aos seus habitantes e a crescente afeição que nutre por Dawsey irão para sempre mudar o curso da vida de Juliet.”

A Sociedade Literária é um romance que se passa durante e após a Segunda Guerra Mundial. É uma história que conta como os livros são capazes de mudar e transformar a vida das pessoas, principalmente nos momentos mais sombrios. O clube do livro surgiu para essas pessoas como uma mentira dita aos alemães para se safarem de uma situação, os seus integrantes que são amigos em comum relatam como foi reconfortante essa reunião em dias tão difíceis na guerra e como alguns livros foram importantes e um grande reconforto para eles.

Mas o que eu mais AMEI DE PAIXÃO foi encontrar as referências literárias e nomes de autores clássicos e famosos que eu tanto amo – especialmente os ingleses como Jane Austen e as irmãs Brontë. Mas tem também Shakespeare, Charles Lamb entre outros como Virginia Woolf, Charles Dickens que estão na mista lista de leitura.

“O que foi que você disse para Isola? Ela parou aqui quando estava indo buscar Orgulho e Preconceito e ralhou comigo por nunca ter contado a ela sobre Elizabeth Bennet e o sr. Darcy. Por que ela não fora informada de que havia histórias de amor melhores por aí? Histórias que não estavam cheias de homens desajustados, de angústia, de mortes e cemitérios! O que mais tínhamos escondido dela?”

Todos os personagens possuem alguma característica especialmente apaixonante: particularmente eu gostei muito da solitária Isola, pois ela é uma fã irremediável de O Morro dos Ventos Uivantes à espera de seu Heathcliff, mas também, não tem como deixar de não se apaixonar pelo personagem cativante de Eben quando ele está lendo um livro de Jane Austen ao grupo e elogia a forma como a autora escreveu suas obras, ou da protagonista Juliet ao defender com unhas e dentes Jane Eyre de Charlotte Brontë, eu desejei e me vi participando dessas reuniões porque pra quem ama literatura essa história é um prato cheio.

“A Sociedade literária e a Torta de Casca de Batata” é uma história sobre amor, coragem, sobre partilhar e ajudar ao próximo, sobre vidas distantes que se cruzam através de uma ligação comum e como isso muda pra sempre e pra melhor a vida das pessoas, principalmente quando tudo isso acontece nos momentos mais tristes. Praticamente quase todo o elenco é de Downton Abbey o que eu amei, porque são atores fantásticos.

“(….) é fascinante o carinho com que tratam os livros. Cada morador da ilha acabou se agarrando a um (ou a vários) autores para tentar dourar a pílula enquanto os alemães invadiam a ilha e os privavam de tudo. É lindo ver como os livros possuem esse poder, de nos resgatar de nós mesmos até quando tudo parece escuro.”

Vou deixar o trailer pra vocês se animarem, fica como dica de filme pra esse feriado:

20 mar, 2017

Filme: 100 Metros

Este final de semana assistimos um filme muito legal que foi indicação do meu primo, chama-se “100 Metros” eis a sinopse:

“Ramón vê tudo ruir à sua volta quando recebe o diagnóstico de esclerose múltipla já em estado avançado. Dedicado à família e ao trabalho, não consegue imaginar-se dependente dos cuidados de quem quer que seja. Mas o corpo não pára de lhe dar sinais de debilidade e, a acreditar na avaliação dos médicos, dentro de um ano será incapaz de andar 100 metros. Depois de uma fase de sentimento de derrota e autocomiseração, ele decide questionar todas as limitações do seu corpo e mostrar ao mundo a sua força para enfrentar as adversidades. Inscreve-se num “ironman”, uma prova de triatlo composta pori 3,8 quilómetros de natação, 180 de bicicleta e 42 de corrida. Com a ajuda do sogro, Ramón dá início a um treino em que se vê todos os dias a superar limites, numa extraordinária manifestação de coragem e capacidade de sacrifício.” (via Cinecartaz)

Duas coisas que eu adoro em filmes: ser baseado em história real e história de superação. 100 Metros é um filme com esses dois elementos e muito bem contado, é fantástico. Cinema Europeu geralmente nunca decepciona. Ramón é diagnosticado com esclerose múltipla e usou a doença como superação quando decidiu participar de um Iron Man. Pra quem não sabe, Iron Man é uma prova de Triathlon mundialmente conhecida principalmente pelas distâncias: 3,8 quilômetros nadando + 180 quilômetros pedalando + uma maratona de 42k e tudo isso deve ser concluído em até 17 horas. Apesar de um gênero de drama, o filme tem suas pitadas de comédia e cenas incrivelmente bem feitas contando de uma maneira bem realista, mas ao mesmo tempo sublime, de como a superação de uma doença cruel pode transformar positivamente várias vidas e recriar laços. Eu gostei tanto que resolvi escrever um post e o melhor de tudo: TEM NO NETFLIX.

04 out, 2016

Livro e filme: O Quarto de Jack

quarto-horz1

“Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.”

A narrativa toda é contada na visão de Jack, trabalho esse que a autora do livro fez impecavelmente bem. Jack é um garoto de 5 anos que nunca teve contato com o mundo “lá fora” e a única pessoa que ele tem na sua vida é a mãe e seu mundo é limitado a um minúsculo quarto. É uma história pesada, angustiante pela situação do sequestro e enclausuramento em si, mas na visão dele tudo fica mais suave e encantador. É impossível não se apaixonar por Jack e como ele só conhece as coisas através de uma tv e do que a mãe conta de uma forma bem lúdica, a gente consegue enxergar como é o mundo aos olhos dele. É incrível a relação dele com a mãe, como ela proporcionou um mundo à ele, mesmo vivendo tantos anos dentro do quarto… O amor que os une é uma das peças chave pra essa história ser no mínimo comovente.

img_3623

room-jack

“- Você vai amar.
– O que?
– O mundo!”

Eu li o livro e gostei tanto que depois procurei o filme pra assistir. O Quarto de Jack é de 2015 e ganhou vários prêmios, embora, obviamente o livro tenha bem mais detalhes, o filme também vale muito a pena ser assistido principalmente pela atuação brilhante do ator mirim – Jacob Tremblay e da atriz Brie Larson que faz a mãe de Jack e que no filme tem uma fantástica atuação com seus rompantes emocionais de raiva, alegria, amor, fraqueza, medo…

Eu gosto de escrever minhas resenhas sem entrar muito nos detalhes da história pra não correr o risco de ficar soltando muito spoiler à vocês, gosto de escrever o mínimo possível da história e mais com somente a minha opinião, eu recomendo primeiro ler o livro e depois assistir o filme, mas de ambos a história é fantástica. Não deixem de ler/assistir. Vai ganhar as 4 xícaras de café.

cafe2-horzcabul

11 mar, 2015

Filme: Kingsman

Há um tempo atrás eu tinha visto o trailer desse filme e pensei: ‘ok, nada tão espetacular’ e deixei de lado, ontem o Rick quis assistir e fomos ao cinema, confesso que meu pré julgamento depois de ver o trailer tinha me dado a errônea certeza de que seria mais um filme bomba (mesmo inclusive tendo ótimos atores) e paguei a minha língua por ter pensado assim (ainda bem!).

Kingsman_THUMNB-1411495887471

A trama começa com a história de Harry (ou Galahad) interpretado por Colin Firth – um elegantérrimo espião que faz parte de uma organização secreta chamada Kingsman, há alguns anos atrás um colega de trabalho morreu ao salvar sua vida e anos depois, o filho desse homem – um jovem cheio de problemas, mas super inteligente e habilidoso será o escolhido por Harry para se tornar um Kingsman. Nessa história também há um vilão, interpretado por ninguém menos que Samuel L. Jackson que usando a uma tecnologia baseada em chips de celular pretende fazer uma “limpa” no mundo.

Kingsman possui uma série de elementos que pra mim foram todos na medida certa: comédia, ação, diálogos inteligentes e cenas irônicas. Samuel L. Jackson está como um vilão, mas com uma boa dose de humor porque apesar de vilão, é um personagem engraçado e garante boas risadas. Kingsman é um filme denso no sentido de ser uma ótima história que foi muito bem contada, as vezes certos filmes tem a história boa mas que não é explorada a altura. Há várias referências de outros filmes também, muitas outras referências britânicas e uma trilha sonora sensacional.

Finalmente assisti um filme que valeu cada centavo no cinema! Recomendadíssimo.

26 jan, 2015

Filme: Livre

No ano passado, antes de viajar eu comecei a ler “Livre” que por dica de um amigo, disse à mim que tinha certeza que eu iria amar a história e me identificar muito com ela. Acho que devorei o livro em uma semana e terminei ele 2 dias antes da viagem do ano passado. Quando fechei o livro e olhei novamente pra capa com milhões de coisas passando na minha cabeça, eu tive a certeza que seria uma história que abriria ainda mais a minha mente durante 38 dias que eu estivesse mundo afora. Eu falei brevemente do Livre – livro aqui e aqui.

A o filme conta a história (real) de Cheryl Strayed que depois de perder a mãe e se afundar em mais um monte de problemas como o fim do casamento e o vício nas drogas, ela decide fazer sozinha a Pacific Crest Trail (PCT), uma trilha de 4.200 quilômetros cortando o oeste dos EUA. Autoconhecimento, superação e encontrar o sentido da vida são os principais pontos que fez de Livre uma história incrível e quando um pouco depois soube que teria a adaptação pro cinema, eu fiquei imensamente feliz. Assisti na sexta-feira passada e sem duvidas, posso isso dizer que a atuação de Reese Witherspoon como a protagonista, foi um dos melhores papéis de sua carreira.

wild2blog

Wildblog

Achei que mesmo faltando algumas coisas no filme que a gente só lê no livro (o que é perfeitamente aceitável), o cinema foi bem fiel a história. A vida de Cheryl é contada por ela mesma e o presente vai se mesclando com cenas do passado – o que deixou tudo mais emocionante ainda, mas a trilha sonora foi também um show a parte e deu ao filme aquele plus maravilhoso que complementou toda a vivência e superação de Cheryl no decorrer da história. Eu sai do cinema emocionada e com aquele turbilhão de pensamentos na cabeça, muito comum de acontecer (pelo menos comigo) em histórias desse tipo.

02BUCKLEY2-articleLarge

Mais que recomendadíssimo e recomendo muito lerem o livro também.
Uma curiosidade que poucos se ligaram, essa é a verdadeira Cheryl Strayed:

Reese Witherspoon, Cheryl Strayed

E ela aparece e uma cena logo no começo do filme, dando uma carona a Reese e a deixando na beira da estrada com um “boa sorte, garota” – eu achei isso sensacional!

03 fev, 2014

dois (bons) livros que viraram filmes

Assisti nesse final de semana o filme A Menina que Roubava Livros (baixei do CP Turbo, está com uma qualidade ótima) e adorei. O filme está bem fiel ao livro e a caracterização dos personagens também. A história ficou muito bem feita e emocionante, porém o livro é infinitamente melhor. Livro sempre surpreende mais, né? E lembro que quando li foi impossível não chorar, é da minha lista de livros preferidos. Se você está pensando em ver o filme e ler o livro, mas não sabe por qual dos dois começar, eu recomendo muito ler o livro primeiro.

menina-que-roubava-livros-horz

Vi também que saiu o trailer de um filme que foi inspirado em um livro: A Culpa é das Estrelas. Por umas três vezes quando eu estava na livraria e peguei este livro na mão, mas acabei não comprando (eu tenho essa mania, uma vez que estou com bastante livros em casa pra ler) mas uma coisa puxou a outra e depois que vi o trailer, acabei me interessando mais ainda pela história. No sábado ganhei de presente da minha querida amiga Elaine que foi uma manhã muito legal e divertida entre a gente, demos muitas risadas e eu amei a surpresa. Terminei as 4 Estações (finalmente) e comecei ontem mesmo a ler esse e posso dizer? Estou amandoooo e assim que terminar prometo uma resenha sobre ele, mas já estou preparando e prevendo muitos lencinhos pras lágrimas…

a-culpa-e-das-estrelas-john-green-horz

E vocês, o que andam assistindo e lendo de bom?

15 jan, 2014

Filme: A vida secreta de Walter Mitty

Recomendo também a leitura no Braimstorm9:

“Uma pergunta que não vai embora ao se assistir “A Vida Secreta de Walter Mitty” é: você sabe quem você pode, de fato, ser? Isso não faz do longa uma obra de auto-ajuda, longe disso. É uma provocação declarada. Assim como Stiller, que poderia ter se contentado ao repetir as mesmas comédias, e optou por contar outras histórias que respondessem a seus ímpetos criativos, Mitty partiu numa aventura extremamente real. Ambos têm energia de sobra e, provocados da maneira certa, entregam resultados impressionantes. O personagem se desenvolve, se modifica, sem precisar jogar tudo para o ar. Apenas encontra um novo modo de ver as coisas. O filme é sincero, grandioso e tem peso suficiente para fazer uma coisa por você: se essa for a sua hora, ele vai te transformar.”

A Vida Secreta de Walter Mitty é uma refilmagem de O Homem de 8 Vidas (1947). Walter Mitty é o tipo de personagem que todo mundo conhece pelo menos uma pessoa como ele. Mais ainda: por muitas vezes, em alguma situação, a gente também se identifica com ele e pensa nas mil possibilidades de mudar em algo e viver mais a vida. Não é um filme que ostenta coisas, nem com cenas fantasiosas que só se vê em filmes. É uma história ‘palpável’ que te faz pensar e refletir sobre muitas coisas… Que a vida se torna mais simples a partir do momento em que você resolve se jogar mais, dar mais ouvidos pra coisas positivas e cada vez menos importância pros problemas ou coisas que não acrescentam nada… Que dá pra mudar sim e sair do óbvio (e se preferir sem mexer em coisas que você não quer mudar). Pra mim, absolutamente, foi o melhor filme do ano. Eu adoro essas histórias que alguém vem e te dá um sacode dos bons, que te faz pensar, se emocionar com o simples e pegar a essência real da história que dá perfeitamente para aplicar nas nossas vidas.

Ben Stiller além de estar no papel de WW, é quem também dirigiu o filme e olha, ele está incrivelmente brilhante. Principalmente porque estamos acostumados em ver suas atuações apenas em papéis de comédia e com personagens sempre caricatas – o que particularmente eu não sou muito fã dos outros filmes dele, mas esqueça tudo isso quando ver Walter Mitty – ele não tem nada dos seus antigos personagens. Também não posso deixar de citar a atuação (brilhante como sempre foi) de Sean Penn – um fotógrafo viajante espetacular que diga-se de passagem Sean Penn está muito bem no auge dos seus 53 anos. Com uma trilha sonora maravilhosa e apaixonante, A Vida Secreta de Walter Mitty não é apenas mais uma dica de filme, é uma história incrivelmente real para todo mundo, é um filme que todos deveriam assistir e tirar suas próprias lições pra aprender que os sonhos, independente do tamanho, só se torna possível quando se corre atrás.

10 jul, 2013

Filmes

Dois filmes que me tocaram muito esse ano: “As Vantagens de Ser Invisível” e “O Lado Bom da Vida”

‘As Vantagens de Ser Invisível’ eu assisti há alguns meses atrás e gostei tanto que acabei depois lendo o livro também, ‘O Lado Bom da Vida’ eu assisti ontem e, é tão incrível quanto…

As Vantagens de Ser Invisível – Sinopse

Charlie (Logan Lerman) é um jovem que tem dificuldades para interagir em sua nova escola. Com os nervos à flor da pele, ele se sente deslocado no ambiente. Sua professora de literatura, no entanto, acredita nele e o vê como um gênio. Mas Charlie continua a pensar pouco de si… até o dia em que dois amigos, Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson), passam a andar com ele.

 photo the-perks-of-being-a-wallflower-party-scene_zps477233bb.jpg

O Lado bom da Vida – Sinopse

Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.

 photo O_lado_bom_da_vida_zps4c843817.jpg


Gosto de filmes que abordam bastante o lado psicológico das pessoas sem análises científicas demais e sem transformar as coisas num bicho de sete cabeças, porque principalmente quem passa por algum distúrbio (ou não necessariamente), sempre se identifica com as historias – mesmo que a ficção não tenha nada a ver com sua vida.

Eu que tenho uma ansiedade digamos assim, mais ‘aflorada’ que o normal, trato disso nos dias de hoje e não é algo que se ‘sara’ de um dia pro outro. Aprendi que com o tempo você vai se conhecendo melhor e vai aprendendo a lidar com isso. Ambas histórias deixam a sensibilidade bem aflorada (principalmente quando a trilha é tão incrível quanto o filme).

Faz a gente pensar que os problemas muitas vezes são bem menores quando não exageramos ao se queixar deles… Que pensar positivo (sempre!), tem um poder imensurável e encontrar o lado bom dos acontecimentos da vida – Excelsior! – é o caminho mais curto e prático pra encontrar as soluções. Não é tão fácil na prática, mas também não é impossível, além do mais, se tudo fosse de mão beijada, a vida seria sonsa demais

“O mundo é difícil o suficiente, gente. Ele é lasca o bastante por si só. Será que ninguém pode dizer: – ei, vamos ser positivos? Vamos dar um final feliz pra história?”
(O Lado Bom da Vida)

“Não há nada como a respiração profunda depois de dar uma gargalhada. Nada no mundo se compara à barriga dolorida pelas razões certas.”
(As Vantagens de ser Invisível)

17 dez, 2012

Filmes que você tem que ver…

Dois eu assisti e o ultimo eu ainda vou ver, a estréia é nessa sexta-feira:

Intocáveis

Sinopse:

Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. Aos poucos ele aprende a função, apesar das diversas gafes que comete. Philippe, por sua vez, se afeiçoa cada vez mais a Driss por ele não tratá-lo como um pobre coitado. Aos poucos a amizade entre eles se estabelece, com cada um conhecendo melhor o mundo do outro.


Há tempos não assistia uma comédia inteligente + história linda! O filme é baseado em uma história real e te prende do começo ao fim, não só pela história e mensagem bonita que passa, mas pela comédia inteligente mesmo que faz você rir durante todo o filme. Cinema europeu sempre me surpreende, esse é francês. Super recomendo!!!

O Hobbit

Sinopse:

Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) vive uma vida pacata no condado, como a maioria dos hobbits. Um dia, aparece em sua porta o mago Gandalf, o cinzento (Ian McKellen), que lhe promete uma aventura como nunca antes vista. Na companhia de vários anões, Bilbo e Gandalf iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média. Eles têm por objetivo libertar o reino de Erebor, conquistado há tempos pelo dragão Smaug e que antes pertencia aos anões. No meio do caminho encontram elfos, trolls e, é claro, a criatura Gollum (Andy Serkis) e seu precioso anel.


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHH car$@#$#¨%&@!!!! Quanto que eu esperei por esse filme!!!!!! Incrível, ouso em dizer que é mais legal que o próprio Senhor dos Anéis. Ok, ok… Mesmo sendo uma continuidade muita gente vai querer bater em mim por esse comentário, mas Hobbit me surpreendeu muito. Aliás, o filme vem com uma boa pitada de humor, aventuras, muitas, muitas batalhas e claro, meu personagem favorito – Gandalf, O Cinzento. O Hobbit está sendo muito comentado também pelo seu modo de filmagem – o tal 48fps (frames per second), por sinal, foi primeiro filme feito dessa maneira.

Vou tentar explicar isso da melhor maneira possível pois não sou muito didática com essas coisas, mas é assim: O filme foi feito em 48 quadros (cenas) por segundo sendo que o de praxe, que nossos olhos estão acostumados é de 24 quadros por segundo e qual a diferença de 24 pra 48? Além de ser o dobro (cê jura? ehehehe) visualmente isso te dá mais informação (em detalhes, aquela sensação de estar no filme – isso não é loucura minha, essas coisas) e a imagem fica MUITO mais perfeita.

É claro que há quem amou e quem detestou isso, e muita gente passou por vezes procurando por esses detalhes sem se apegar na história (sempre vai ter um do contra), mas acredito mesmo que tudo não passa de uma questão de costume, pois se muita gente não soubesse dessa inovação talvez nem notaria a diferença ou até notaria sim, mas não ficaria de mimimi depois. Eu particularmente gostei, mas essa mania agora do cinema em fazer TUDO em 3D é a única coisa que me irrita, principalmente se você pega um filme longo como esse pra assistir, eu sempre saio com dor de cabeça e pra mim não é nada atrativo!

A história? É perfeita, eu simplesmente achei incrível, não acrescentaria e não tiraria nada. Foi muito bem contada desde o ínicio da batalha dos anões ou quando Bilbo começa a contar no livro dele de como foi sua grande aventura e até o “final” quando Bilbo também diz: ‘acho que o pior já ficou pra trás’ e vocês sabem que o mundo de Tolkien é incrivelmente imenso, ainda tem muita história pra contar. Esse com certeza é filme pra ver no cinema!

E por ultimo e não menos importante:

As Aventuras de Pi

Sinopse:

Pi Patel (Suraj Sharma) é filho do dono de um zoológico localizado em Pondicherry, na Índia. Após anos cuidando do negócio, a família decide vender o empreendimento devido à retirada do incentivo dado pela prefeitura local. A ideia é se mudar para o Canadá, onde poderiam vender os animais para reiniciar a vida. Entretanto, o cargueiro onde todos viajam acaba naufragando devido a uma terrível tempestade. Pi consegue sobreviver em um bote salva-vidas, mas precisa dividir o pouco espaço disponível com uma zebra, um orangotango, uma hiena e um tigre de bengala chamado Richard Parker.


Esse estréia agora dia 21/12 (se o mundo não acabar…) mas me ganhou pelo trailer e pela trilha sonora, vamos ver se é tão bom quanto parece, foi baseado no livro A Vida de Pi, mas achei meio salgado o preço pra um livro e se alguém quiser praticar uma boa ação eu aceito como presente de Natal #alocka.

Fonte das Sinopses: Adoro Cinema

24 out, 2012

Dica de filme: The Raven

Dica de filme: The Raven

Pouco li obras de Edgar Allan Poe, acho que até hoje só li uma obra dele e mesmo assim eu não lembro o nome pra poder dizer aqui, sei que sua morte apesar de problemas como álcool e drogas atribuídos a causa, ainda é mistério pra todos, nesse final de semana assistimos The Raven – título do filme que é um de seus poemas também, eis a sinopse:

O escritor Edgar Alan Poe (John Cusack) está na caça de um assassino serial que imita os crimes de seus contos e ainda sequestrou sua noiva Emily (Alice Eve). Para ajudá-lo na investigação, o detetive Emmet (Luke Evans) assume o caso e pretende dar um fim aos terríveis assassinatos, que são seguidos de charadas criadas pelo criminoso que desafia a inteligência do autor num jogo de gato e rato.
Fonte: Adoro Cinema


E o trailer:


Mesmo pra quem conhece pouco de Edgar Allan Poe ou leu pouco de suas obras o filme é sensacional e te prende do começo ao fim. A história é muito bem contada, cheia de mistérios, fotografia e produção ótimas!!! John Cusack como Edgar Allan Poe deu um show à parte e na minha opinião, como já vi bastante filmes dele, ouso em dizer que esse filme foi o melhor papel da carreira dele! Recomendadíssimo!

12 set, 2012

Filme: Abraham Lincoln – O Caçador de Vampiros

Filme: Abraham Lincoln – O Caçador de Vampiros

Como prometido, falarei hoje sobre o filme ‘Abraham Lincoln – O Caçador de Vampiros’

Sinopse:
Nancy Lincoln (Robin McLeavy) é a mãe do presidente Abraham Lincoln (Benjamin Walker) e foi assassinada por uma criatura sobrenatural. Incorfomado com o fato, ele declara uma guerra sem piedade contra os seres das trevas e começa a destruir todos os vampiros e os escravos que os ajudam. Dirigido por Timur Bekmambetov (O Procurado) e estrelado por Benjamin Walker, Dominic Cooper e Mary Elizabeth Winstead.

Fonte: Adoro Cinema


Pra começar que a produção é de Tim Burton então quanto a isso é garantido de ser coisa boa. Eu ainda não li o livro, mas quem leu e depois assistiu o filme disse que a história é um pouco diferente do livro e, é claro – algumas coisas só tem no livro. Rick e Ju já leram o livro e mesmo com algumas diferenças e outras coisas que não tem na tela, eles adoraram o filme. Eu gostei muito também – fotografia e produção ótima, com cenas reproduzidas em câmera lenta pra você pegar bem os detalhes da trama, o que achei isso sensacional e tenho notado muito disso nos filmes mais recentes que estão saindo. Aqui tem o trailer:

05 set, 2012

Filme: RED – Aposentados e Perigosos

Filme: RED – Aposentados e Perigosos

Sinopse

Frank Moses (Bruce Willis) é um ex-agente da CIA, hoje aposentado, que tenta levar uma vida normal. Ele está interessado por Sarah (Mary-Louise Parker), com quem volta e meia conversa ao telefone, apesar de ainda não conhecer pessoalmente. Um dia, a casa de Frank é atacada por agentes da CIA. Sem saber o que está acontecendo, ele deduz que logo perceberão sua ligação com Sarah e parte para protegê-la. Para entender o porquê de ter sido atacado, Frank precisará da ajuda de seus antigos companheiros Joe (Morgan Freeman), Marvin (John Malkovich) e Victoria (Helen Mirren), todos também aposentados.

Apesar da sinopse parecer se tratar de um filme policial bem sério, é, na verdade uma comédia muito bem feita! Assisti ontem no Telecine e adorei, o elenco dispensa comentários porque só pela sinopse já dá pra perceber que o filme foi feito com grandes atores, né? Mas o mais hilário de todos é o John Malkovich no papel de Marvin que a todo tempo acha que está sendo vigiado por satélites e odeia celulares, aqui tem o trailer pra vocês darem uma olhada:

Algumas curiosidades:

– Red é uma adaptação dos quadrinhos de mesmo título criado por Warren Ellis e Cully Hammer, publicado pela editora Wildstorm/DC Comics e que só teve três números.

– O termo “RED” quer dizer: Retired Extremely Dangerous. Ou seja, Aposentados Altamente Perigosos, numa alusão aos personagens do filme que são ex-agentes da CIA.

FONTE: Adoro Cinema

Ótima dica de filme para o feriado, super recomendo!

30 mar, 2012

Filmes para o fim de semana

Filmes para o fim de semana

Finalmente o Verão tomou um semancol e o Outono chegou pra cumprir o seu papel, clima mais ameno, dias nublados, poder dormir de edredom, a maquiagem não derreter… AMO essa época do ano. E em tempos assim aquele programinha de filme + pipoca em casa é mais gostoso ainda de se fazer, selecionei alguns filmes que super recomendo e dois deles já fazem parte da minha lista de preferidos:

Um Olhar do Paraíso

Sinopse
6 de dezembro de 1973. Norristown, Pensilvania, subúrbio da Filadélfia. Susie Salmon (Saoirse Ronan) está voltando para casa quando é abordada por George Harvey (Stanley Tucci), um vizinho que mora sozinho. George a convence a entrar em um retiro, por ele construído. Lá dentro, Susie é assassinada. Os pais de Susie, Jack (Mark Wahlberg) e Abigail (Rachel Weisz), inicialmente se recusam a acreditar na morte da filha, mas precisam aceitar a situação quando seu gorro é encontrado em meio a um milharal, junto a destroços do retiro que estão repletos de sangue. Em meio às investigações, a polícia conversa com George mas não o coloca entre os suspeitos. Com o tempo Jack e Lindsey (Rose McIver), a irmã de Susie, passam a desconfiar de George. Toda esta situação é observada por Susie, que agora está em um local entre o paraíso e o inferno. Lá ela precisa lidar com o sentimento de vingança que nutre em relação a George e a vontade de ajudar sua família a superar o trauma de sua morte.


Esse foi fica da Micha (amo as dicas dela) o filme é simplesmente maravilhoso apesar de triste (é, já vou logo avisando), o filme é contado pelo ponto de vista da menina o que deixa a história e essa obscuridade sobre a morte muito mais sublime! Ah! E preparem os lenços…

Histórias Cruzadas

Sinopse
Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter (Emma Stone) é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark (Viola Davis), a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.


Sensacional! Octavia Spencer mereceu o Oscar de melhor atriz coadjuvante e a história é incrível. Mais que recomendado!

One Day

Sinopse
Emma (Anne Hathaway) e Dexter (Jim Sturgees) se conheceram na faculdade, em 15 de julho. Esta data serve de base para acompanhar a vida deles ao longo de 20 anos. Neste período Emma enfrenta dificuldades para ser bem sucedida na carreira, enquanto que Dexter consegue sucesso fácil, tanto no trabalho quanto com as mulheres. A vida de ambos passa por várias outras pessoas, mas sempre está, de alguma forma, interligada.

Esse foi dica da Bia e achei que FOCE morrer de tanto chorar. Levando em consideração que eu choro até em comercial de margarina, desconsiderem esse eufemismo da primeira frase. Mas realmente é uma história linda realmente e suuuuuuuuuuuuuuuuuuper recomendo!

A Invenção de Hugo Cabret

Sinopse
Paris, anos 30. Hugo Cabret (Asa Butterfield) é um órfão que vive escondido nas paredes da estação de trem. Ele guarda consigo um robô quebrado, deixado por seu pai (Jude Law). Um dia, ao fugir do inspetor (Sacha Baron Cohen), ele conhece Isabelle (Chloe Moretz), uma jovem com quem faz amizade. Logo Hugo descobre que ela tem uma chave com o fecho em forma de coração, exatamente do mesmo tamanho da fechadura existente no robô. O robô volta então a funcionar, levando a dupla a tentar resolver um mistério mágico.

Assisti porque pelo trailer achei a história bem interessante e porque também queria saber se merecia os 5 Oscars que levou esse ano. E mereceu. O filme é sensacional, eu que aprendi muito sobre cinema na faculdade me identifiquei demais com esse filme quando eles principalmente contam um pouco da história do… CINEMA! É muito legal, achei que deveria ser um filme um pouco mais curto, mas vale pela história.

Querido Johnn

John Tyree (Channing Tatum) é um jovem soldado que está em casa, licenciado. Um dia ele conhece Savannah Curtis (Amanda Seyfried), uma universitária idealista em férias, por quem se apaixona. Eles iniciam um relacionamento, só que logo John precisará retornar ao trabalho. Dentro de um ano ele terminará o serviço militar, quando poderão enfim ficar juntos. Neste período eles trocam diversas cartas, onde cada um conta o que lhe acontece a cada dia.


Esse já nem é mais novo assim (2010) mas só por esses dias que fui assistir, aliás, não sei se perceberam, mas tirando o Hugo e Histórias Cruzadas, eu só recomendei filmes (suspiros) românticos, esse é bem legal porque você espera um final, depois outro final e no fim acontece aquilo que você menos esperava. Tem em livro também!

26 jan, 2012

Fime: 127 Horas

Fime: 127 Horas

Ontem à noite marido estava de plantão e eu forever alone em casa (buáááá) comecei a procurar por filmes e vi que ia passar 127 Horas no Telecine Pipoca as 22hs (eu nem tinha jantado ainda), como Rick não estava muito afim de ver esse filme, aproveitei então pra assistir sozinha.

Eis a sinopse:

Baseado na história real de como alpinista Aron Ralston lutou para salvar a própria vida após um acidente. Em maio de 2003, Aron (vivido por James Franco) fazia mais uma escalada nas montanhas de Utah, Estados Unidos, quando acabou ficando com seu braço preso em uma fenda. Sua luta pela sobrevivência durante mais de cinco dias (durou 127 horas) foi marcada por memórias e momentos de muita tensão. Dirigido por Danny Boyle, o longa conquistou seis indicações ao Oscar.

E o trailer:


Gente, o filme é sensacional. É claro que em muitas cenas dá uma puuuuta agonia, mas essa é uma das idéias do filme que mostra a vontade e o instinto de sobrevivência de um ser humano numa situação completamente desesperadora como essa. Depois do acidente ele tem a plena consciência de que vai morrer ali e sozinho, mas jamais desiste de lutar, uma frase que pra mim marcou muito é quando ele diz: “Todas as coisas do mundo me levaram a este ponto”.

Durante esse tempo vários fatos da sua vida desde quando ele era apenas um garoto são mostrados durante o filme em seus sonhos ou pensamentos e, é essa a outra essência do filme: valores, acontecimentos certos ou errados do passado, escolhas, caminhos, o instinto de sobrevivência e a capacidade do ser humano de chegar ao extremo por conta disso. É um filme 8 ou 80 – ou você ama ou você odeia, afinal, nem todos vêem da maneira que é pra se ver e pescar as aquelas pequenas coisas que se mostra ao longo da história. 127 Horas me fez lembrar outros que são tão bons quanto – Na Natureza Selvagem é um deles, um dos melhores que já vi. Não vou me prolongar mais senão vou acabar soltando algum spoiler no automático aqui, mas super recomendo, é fantástico.


“Não existe maior força na Terra do que a vontade de sobreviver.”