18 jan, 2018

minha saúde sendo vegana

Quando comecei a falar aqui no blog sobre minha transição para o veganismo eu prometi que quando passasse por uma nutricionista e tivesse uma avaliação concreta sobre a minha saúde, eu contaria tudo aqui no blog. Pois bem, no começo de dezembro eu passei em consulta com a nutricionista Carina Amorim. A Cá é especializada em nutrição voltada ao esporte e obviamente, como uma boa profissional que é, também atende os veganos que praticam esportes e que segundo ela: são muitos os que ela cuida.

Fiz um hemograma completo, tão completo que tive que fazer esse exame deitada na maca porque me drenaram 25 tubinhos de sangue, foi um exame pra literalmente me mapear dos pés a cabeça, nunca tinha feito algo tão completo assim e durante esse período de dezembro + festas e começo de janeiro, ela me passou um plano alimentar que nem vou chamar de dieta, mesmo porque, não é nada de tãooo diferente do que já comia, porém com algumas adequações, pois pela bioimpedância, minha massa muscular estava um pouco baixa.

Vale lembrar que (óbvio) eu não como nada de origem animal: nem ovos, leite ou derivados e carne muito menos. Aliás, aqui cabe uma ressalva: muito raramente eu escorrego no queijo quando basicamente não tem muito pra onde fugir (e as vezes não tem mesmo), de qualquer forma, eu parei de comprar queijos em casa e quando posso, evito ao máximo, por isso que eu ainda chamo a minha situação de processo para o veganismo. Durante esse tempo de festas, também teve o recesso da academia e fiquei um pouco mais de tempo sem treinar e correr… Bem… Eu preciso tomar vergonha na cara pra voltar a correr como antes, dei uma relaxada nisso. Enfim… Ontem foi o retorno com a nutri, levei meu hemograma, fizemos novamente a bioimpedância e vou dizer: estou feliz e até surpresa!

Ela ficou maravilhada com meu exame porque segundo as palavras dela: minha saúde está perfeita e redondinha, principalmente pra uma pessoa como eu que não consome nada de origem animal. Colesterol, tireoide, glicemia, hormônios, tudo perfeito!! Inclusive, aumentei bem o percentual MASSA MAGRA e diminui o percentual de gordura. E isso SÓ na base uma alimentação saudável sem nada de origem animal, então, acho que isso já responde a famigerada pergunta que todo mundo faz para os veganos:

Mas e as proteínas?

Dito isso, só vou precisar suplementar a B12 (que eu já sabia), aliás, preciso dizer: o Ricardo TAMBÉM vai ter que repor a B12 e ele COME CARNE, ou seja amores, isso não é uma ‘exclusividade’ de veganos! E vou ter que suplementar a vitamina D também que já tive deficiência dessa há uns anos atrás e como eu sou do tipo vampiro que foge do sol, eu já estava suspeitando que talvez precisasse repor essa vitamina mesmo e tudo bem.

No mais, eu estou até pensando em enquadrar esse hemograma pra esfregar na cara de quem fala que é impossível ser vegano E saudável, que é impossível seguir uma vida livre de crueldade animal porque precisamos da carne e dos derivados ou a famosa: que é impossível obter massa magra sem comer carne. A gente ouve diversas críticas e achismos quando decide ir para o veganismo, mas se você estivesse comendo um quilo de cigarros ninguém falaria absolutamente nada. É fato! Então tem muita gente que é pela implicância mesmo e eu não sei porque uma decisão individual incomoda tanto as pessoas, mas é nessas que você aprende a ver em quem se importa mesmo com você e quem só quer te xoxar.

Sempre disse que vegetarianismo/veganismo tem que ser uma decisão pessoal de cada um, afinal de contas, você está mudando algo que fez por boa parte da sua vida, além é claro, de todos os outros pontos que o veganismo engloba e que não se trata só de alimentação. Pra mim, tudo isso só reforça o que eu já sabia: que é possível SIM ser saudável livre de crueldade e reforça mais ainda quando penso que tomei uma das melhores decisões da minha vida. #GoVegan

Juliana Esgalha

Tags: ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário