Posts arquivados em Tag: blog

16 nov, 2018

De Volta!!!

Gente, misericórdia!!!! Por quase bem pouco que esse blog não completa 2 meses sem atualização. Mas há uma explicação para isso. Na verdade, muitas. Eu viajei no mês de Outubro e só retornei agora, no ultimo dia 11. Fizemos um mochilão pro Panamá e Costa Rica, uma viagem totalmente diferente do que já fizemos: só praias e natureza. Foi um mês de viagem e conhecemos lugares tão incríveis que não vou entrar em detalhes agora, haverá muitos posts sobre pra contar.

Tenho pelo menos, até o momento, uns 4 livros para resenhar, vários bordados novos pra postar e mais umas outras ideias que tive que pretendo colocar em prática ainda esse ano. Na semana que vem eu vou começar a publicar posts das viagens, alternando com os livros e os bordados, então peço um pouco de paciência (inclusive digo isso à minha mesma) pra ir fazendo tudo de uma forma tranquila, mas bem feita. Só queria mesmo dar uma satisfação pra explicar o porquê do meu sumiço. Vou deixar meu Instagram (me segue lá) no post pra vocês terem uma ideia dos lugares que passei, mas aguardem que a semana que vem vai aparecer muita coisa legal aqui…

Cannot get other user media. API shut down by Instagram. Sorry. Display only your media.
29 jan, 2018

As metamorfoses do blog

Esse blog já passou por tantas transformações. Eu, pessoalmente, passei por muitas transformações desde quando comecei a escrever aqui, lembro bem quando um amigo falou sobre blogs lá em meados de 2001 e eu resolvi criar um. Comecei com uma plataforma que era ruim pra caramba (o weblogger, quem lembra?), não tinha nada do que tem hoje, depois fui pro blogger da globo, mais pra frente fui pro blogspot e só há poucos anos atrás, com a ajuda da Lya, que mudei pra plataforma do wordpress e passei a ter meu o próprio domínio.

Durante todo esse tempo, eu tive todo tipo de layout que vocês podem imaginar e me arrependo amargamente de não ter salvado os banners que eu colocava porque eu tenho certeza que além de saudade, hoje isso renderia boas risadas. Quando ainda nem era Miss American Pie eu cheguei a fazer um layout com a foto do Supla (?!?!?), era todo preto (carregadíssimo) e outro do Bruce Willis… O Bruce Willis, gente!!!! AHAHAHAHAHA… Do Supla por exemplo, não é porque eu fosse fã dele, mas tinha encontrado uma foto legal e resolvi colocar, só por isso. Eu não tinha muito critério (pensando bem, acho que nenhum…), quase ninguém tinha naquela época e esse era o divertido de ter um blog, depois (não me lembro quanto tempo depois), adotei o Miss American Pie como título e desde então foram anos usando banners só com o tema Madonna (em alusão a música), meu Deus e foram tantos… Tinha Madonna por todos os lados, em todas as fases, de todos os jeitos. E mais uma vez quando penso nisso me arrependo muito de não ter salvado as imagens dos banners. Esses são os mais antigos que não são tão antigos assim, que eu consegui encontrar, acho que nessa época eu já estava no shejulis.com:

E não sei se vocês notaram, mas eu mudei novamente o banner aqui do blog (!). Só que esse, especialmente esse, foi euzinha que fiz. E sozinha! Olha, eu já aprendi muitas coisas esse ano: instalar temas, criar banners usando o Photoshop, consegui até instalar o SSL que estava dando erro… Eu nunca tive noção alguma de criar, mudar ou editar essas coisas, só faço o básico do básico mesmo, embora as ideias sempre aparecessem na minha cabeça, foi sempre a Lya que executou tudo pra mim e como eu disse no outro post das prateleiras: nada que um vídeo de tutorial no youtube, paciência e vontade de fazer não te ensine. Próxima meta agora é aprender a tomar café sem açúcar ahahahaahahah, mas o fato é que esses dias eu fiquei tão concentrada em ficar aprendendo e fazendo essas criações que acabou, sem querer, sendo uma terapia enorme pra mim e em casa também não está sendo diferente quando estou off. Como durante o meu trabalho eu fico boa parte do tempo na internet, é bem complicado as vezes administrar o chorume que vem de todos os lados, seja em notícias ou nas pessoas se espinafrando em volta e nessas ultimas semanas, eu deixei tudo isso de lado e descobri que essa veia criativa de “artesanato virtual” além de me ensinar diversas coisas, me fez um bem danado.

O banner do momento não é muito diferente do anterior, mas é que sou apaixonada por lavandas e agora estou numa fase, comparado aos outros layouts, muito mais clean por assim dizer. Eu não posso deixar de sempre agradecer a Lya, que além da minha maior incentivadora a continuar a escrever e deixar o blog com a minha cara, sempre me ajuda quando eu preciso de um help e olha que eu admito que encho o saco dela pra caramba com esses assuntos. Lendo agora, eu percebi que escrever isso aparentemente parece ser tão bobo, tão normal, mas com tudo na minha vida eu procuro tirar grandes lições, principalmente nas pequenas coisas e muito provavelmente de hoje em diante todos os banners que vocês irão ver, serão de minha autoria e quando aparecer coisa nova (inclusive os posts, é claro) podem ter certeza que foi um tempo altamente terapêutico que eu dediquei a mim, então por mais bobo que pareça, há uma importante relevância nisso. 🙂

25 abr, 2016

Entrevista pro Na Mesa Com Rodrigo

Esses dias eu estava pensando em como a corrida mudou pra melhor a minha vida em todos os sentidos: físico, emocional, social, dia a dia… – TUDO! De carona nisso, também mudou muito a vida do Rick que hoje em dia, além de correr mais rápido do que eu (hunft! ahahaha), fez com que ele perdesse peso e parasse de fumar (e além de tudo é meu pacer nas corridas). É muito bom quando você se encontra em algo relacionado ao esporte porque a gama de benefícios que isso traz pra vida é realmente muito grande.

Hoje, meu amigo querido de longa data – o Rodrigo, publicou no blog dele Na Mesa Com Rodrigo (um blog que tem posts incríveis sobre alimentação, psicologia, músicas – vale a pena adicionar nos favoritos, tem também a fanpage no FB) uma entrevista muito legal que ele fez comigo sobre como e quando a corrida entrou pra minha vida, ali eu falo de muitas coisas: da Equipe Viva, dos benefícios, dos meus desafios pessoais, tem até playlist com músicas pra animar quem quer correr, segue o link pra quem quiser ler tudo na integra. E Rô, muito obrigada por me escolher pro seu blog pra falar de algo que amo muito!

Corrida Athenas, que estou inscrita pra próxima etapa que será 16k

Corrida Athenas, que estou inscrita pra próxima etapa que será 16k

18 ago, 2015

TAG: 7 Coisas

Adoro essas tags de listas de coisas que falam mais sobre cada um que está por de trás de um blog. Essa tag eu vi no blog da Raquel do Maionese, espero que gostem e se inspirem, se fizerem depois coloquem pra eu poder ler também sobre vocês, combinado?

7 coisas para fazer antes de morrer

– Conhecer TODOS os lugares do mundo que ainda quero ir.
– Fazer trekking em algum lugar inóspito pra testar meus limites, tipo o Alasca.
– Morar ou passar um tempo fora do país sem ser uma viagem.
– Aprender a costurar.
– Correr meia maratona.
– Participar de corridas fora do país.
– Ter uma casa com meu próprio jardim.

7 coisas que eu mais falo

– Que fome!
– Affe…
– Mas que cu.
– Tipo…
– Num creio!
– Putz!
– Adoroooonnn!

7 coisas que eu faço bem

– Decorar minha casa.
– Drama.
– Arroz de forno.
– Pesquisas sobre qualquer assunto que me interessa.
– Ignorar.
– Criar playlists.
– Comer.

7 coisas que me encantam

– Gentilezas (principalmente de desconhecidos).
– Gaita de fole.
– Filhotes de qualquer bicho.
– Cheiro de chuva.
– Casas simples e aconchegantes.
– Histórias de superação.
– Londres.

7 coisas que eu não gosto

– Verão.
– Indiretas.
– Jeitinho Brasileiro.
– Gente folgada.
– Barulho.
– Avião.
– Bife a role.

7 coisas que eu amo

– Viajar (cê jura?).
– Ler.
– Seriados fodas com finais incríveis.
– Rir com os amigos até o rosto doer.
– Intervenções artísticas nas ruas.
– Rick.
– Meus filhos de 4 patas.

23 jan, 2015

A internet nossa de hoje em dia…

Desde que a Lia mudou a plataforma do Miss American Pie pro WordPress (sempre digo que foi ela, pois é o tipo de coisa que eu definitivamente não sei fazer sozinha) eu estava engajada em organizar bem bonitinho todos os meus mais de 1.200 posts daqui, já que a mudança deu uma boa bagunçada nos arquivos do blog e os únicos que estão perfeitamente arrumados são os mais recentes, ou seja, coisa de um ano/um ano e meio pra cá…

Comecei a fazer isso, juro… Mas confesso que ainda está longe de terminar. De qualquer forma, essa semana houve um dia que eu estava bem ociosa aqui no trabalho e (re)comecei e dar uma olhada nos arquivos do blog, ver o que estava perdido por aí, reler algumas coisas, enfim… Alguns posts com a mudança realmente foram perdidos e não consegui recuperar e tudo bem porque não me lamentei por isso, simplesmente fui dando uma organizada. Eu não sei se isso acontece com todo mundo que escreve em blogs há muito tempo (muito tempo é quando eu digo de 10 anos pra mais), mas quando eu, por exemplo, me pego lendo meus arquivos antigos, me dá um certa vergonha… AHAHAHAHAHAHA. Não vergonha pelo que escrevi em si, aliás, nem sei se a palavra ‘vergonha’ seria a mais adequada pra definir o que eu quero explicar, mas tem muita coisa que escrevi lá atrás e que hoje, se fosse a mesma situação, eu escrevia melhor e de uma forma diferente, entendem? Ou nem escreveria, talvez, vai saber.

inter

Percebi que mudei meu pensamento em muita coisa em relação a um monte de tipo de assunto, outros permaneceram como sempre pensei, o jeito de escrever obviamente também mudou e ainda bem, porque sinto que melhorou (assim espero) em muita coisa e por tudo isso, uma coisa que me fiquei refletindo bastante e acredito que todos irão concordar comigo é que a internet de hoje está muito diferente da internet de sei lá… 5 ou 7 anos atrás. Aliás, esse foi um assunto que conversamos no outro dia com uns amigos (da internet) numa mesa de bar e uma coisa é fato: as pessoas hoje em dia estão mais maldosas, barraqueiras e mais bisbilhoteiras do que nunca.

A prova disso é só você pegar as notícias dos grandes portais e ver a quantidade de assunto que contém intriga, briga, barraco, lavação de roupa suja e até crime, você descobre que o assunto muitas vezes começou pela internet, o numero é absurdamente grande e as situações são assustadoras. Se antes você tinha que esperar até meia noite pra se conectar via acesso discado porque era mais barato, hoje você tem internet dentro do seu celular pelo tanto tempo que quiser e aonde quiser. É muita gente que passa muito tempo online com a cara enfiada numa tela, do que na vida ‘do lado real’ – literalmente falando e por isso muitas vezes, nem vê o mundo girar. Isso por um lado implica em coisa boa ou não: Ao mesmo tempo que você pode consultar os horários no cinema daquele filme que você de repente resolveu assistir, pedir comida, comprar pela internet (o que eu amo, de verdade), você também pode xingar/ofender aquela pessoa só porque vocês não partilham da mesma opinião sobre algum assunto (nossa, como tem isso) ou pode dar uma bisbilhotada naquele seu desafeto enquanto espera o ônibus, não acho nem um pouco legal esses dois últimos, ainda que isso algumas vezes seja ‘protegido’ pelo véu do anonimato, mas hoje em dia as pessoas não estão nem aí pra isso também.

Se eu me basear por mim, posso dizer, graças a Deus que nunca fui perseguida por algum bisbilhotes sociopata em potencial que viesse aqui todos os dias me xingar, fuçar minha vida ou pior ainda: que de alguma forma me prejudicasse por isso (porque pagar as contas ninguém se propõe, né?). Tirando uma única pessoa – a ex do meu marido que certa vez, através da forma mais besta (os ips dos comentários) eu descobri que ela chegou até a criar um blog e comentava aqui de vez em quando: ora falando bem de algo que eu tinha escrito, ora me xingando, mas estava sempre me observando. Isso foi em meados de 2006… Acho… Foram poucos comentários, mas o fato é que não demorou quase nada de tempo pra eu descobrir que esse tal blog + comentários se tratava de uma mesma pessoa. Fiquei até meio assustada na época porque lembro que pensei: “pronto, agora que eu não vou ter mais paz.”

E sabe, o ponto nem é a curiosidade com o outro em si – todos nós somos curiosos de alguma forma, mas a ofensa gratuita que recebi que é o pesado disso tudo (e por quê? por eu ser a atual do ex dela? ah para né!), e aí o dia que confrontei isso com ela via email (porque ela ainda mandou um email ao meu marido), ela simplesmente jogou a bolinha de fumaça e PUF! – sumiu e nunca me respondeu (sumiu pelo menos hipoteticamente falando, nunca mais apareceu por aqui e hoje eu prefiro acreditar que nunca mais veio mesmo, que ela tenha me esquecido de verdade, que esteja feliz porque gente feliz não enche o saco, enfim… pelo menos não apareceu mais comentando e eu também não tenho paciência e muito menos tempo de ir atrás e ficar consultando os acessos do blog). Ainda bem que nunca fui prejudicada realmente por ela, embora eu tenha ficado de cara com todo o ‘trabalho’ que ela teve na época de criar um blog, deixar comentários, etc… essa história não rendeu nem um bate boca ou uma atarracada de unhas direto no cabelo e ainda bem porque, mesmo eu sendo uma ariana do pavio curto, eu odeio brigar, odeio confusão, mas me lembro que na época eu achei isso um disparate tão desagradável e absurdo que, eu ficava indignadíssima em constatar como alguém despendeu um tempo da própria vida, pra vir até aqui e ainda deixar comentários loucos. Eu me perguntava uma coisa que até hoje, não tive uma resposta efetiva: Pra quê isso? Afinal de contas, vida que segue, sabe?

A verdade é que eu nunca mastiguei essas questões de ofensas gratuitas muito bem (falando agora de um modo geral, isso é muito comum a gente ver hoje em dia nas redes sociais), eu realmente consigo compreender a curiosidade (mesmo na grande maioria das vezes achando esse tipo de curiosidade bem estranha, por acho que isso faz muito mal pra si mesmo), mas não consigo compreender quando alguém ofende um outro só pelo ‘prazer’ de odiar, porque dependendo da situação, se você quer – você prejudica sim uma pessoa, mas mais ainda: você prejudica a si mesmo. E qualquer um sabe disso. Hoje, esse fato que aconteceu comigo é engraçado porque quando me lembro disso eu dou muita risada sozinha, tipo mulher se bicando por causa de homem? ahahahaha, tão 15 anos. Mas é engraçado porque principalmente se eu comparar com as coisas que a gente vê por aí no mundo de hoje ou até de relatos de pessoas próximas a mim, essa história foi apenas mamão com açúcar. Todo mundo conhece alguém ou um fato assim que é daí pra pior e isso sim não é nada legal.

É claro que não estou aqui implementando algum modelo de paz mundial ou falando pra todo mundo se fechar numa bolha pra se abdicar de gente louca, aliás, esse post está ficando muito mais longo do que eu pretendia – virou textão e eu odeio textão, mas justamente por hoje não ser igual ontem, eu acredito que algumas medidas, as vezes, a gente precisa se obriga a tomar. Questão de auto preservação, sabe? Eu sempre partia da premissa que se o Blog/FB/Twitter/Whatever é meu, eu escreveria o que eu quisesse – aliás, é um argumento simplista de muita gente e por muito tempo também foi o meu… Mas hoje eu percebo que ‘o que eu quiser’ implica em monte de consequências que tanto podem ser boas como ruins e aí, batemos na tecla que tem muita coisa que é melhor guardar pra si mesmo porque, quanto menos gente souber da sua vida, mais as coisas boas fluem melhor. Além do que, ficar passando nervoso por confusão com algo que você poderia ter se poupado, não acrescenta em nada que possa ser aproveitado, tem muita gente que usa o escudo do argumento ‘falo o que eu quiser’ ou ‘mas é a minha opinião’ pra escrever absurdos, ofensas, pra se impor e mostrando muitas vezes, uma faceta sombria daquele alguém que até então você achava que conhecia. Eu não tenho mais saco pra isso e fujo sempre que começa a pipocar assunto de política ou qualquer outro assunto polêmico, por exemplo.

Muita gente hoje em dia tem uma necessidade de mostrar tudo que faz/tem pras outras pessoas: onde foi no fim de semana, o que comprou, o que comeu, pra onde foi viajar, o que está fazendo no momento… Eu mesma já agi muito assim e ainda faço isso, mas me policio bastante… Não acho isso totalmente errado, veja bem, desde que haja uma certa moderação e ainda muito menos é da minha conta o que cada um faz com a vida, mas hoje particularmente, penso que tem muita coisa, dependendo do QUANTO você mostra, dá margem pra outras pessoas virem e se portarem com você, como acham que tem devem se portar – goste você ou não, inclusive, se intrometendo daquela forma bem invasiva e o resultado geralmente costuma dar em merda… Também existe aquele tipo de pessoa que adora ser do contra em tudo e sai por aí vociferando comentários que em sua maioria, infelizmente, são sempre negativos. Muita gente tira isso de letra, mas tem quem se importa mais do que deveria (as vezes ainda caio nessa), e por mais que cada um aguente a sua própria chatice, ninguém é obrigado a aguentar a chatice dos outros e é lógico que isso uma hora vira treta. Tudo isso que estou dizendo (eu acho) que já existia antigamente (me senti uma anciã de 700 anos agora escrevendo isso), mas com certeza era um numero BEM menor e acredito que até de um jeito mais suave.

Enfim… Fui mexendo nos arquivos do blog – que não é pouca coisa e fui fazendo minhas alterações de coisas que simplesmente decidi não mais compartilhar com ninguém e deixar só pra mim, fui fazendo como achava que tinha que ser feito e isso foi de tudo que já escrevi até aqui: de quando criei o MAP, de quando me casei, de quando me formei, de quando fiz 1, 2, 3 tatuagens e até de algum seriado ou filme que tinha assistido – assunto que não teria qualquer tipo de relevância pra ninguém, mas resolvi fechar, então envolveu absolutamente tudo! – e quando me dei conta; tinha colocado mais de 700 posts no privado! =O

Fazendo as contas com o numero que disse no começo, mais alguns que deletei, isso significa que eu tenho mais posts no privado que os publicados que deixei. Me assustei com isso, me perguntei se estou uma pessoa ranzinza ou até neurótica com a internet, mas confesso que estranhamente me deu um certo alívio… E se mais pra frente eu quiser mudar isso pra publico novamente é só eu alterar no painel do blog. Não foi por nenhum motivo específico – por isso que disse que o alívio foi até estranho – nem por motivos de brigas ou gente bisbilhoteira, absolutamente nada disso, senão nem teria sentido em eu ter um blog. Mas porque como disse: já tive sim muito arranca rabo por aí por motivos idiotas, mas eu nunca tive problemas sérios na internet e principalmente aqui no blog – um mundo tão particular meu que amo tanto, as coisas aqui sempre foram tranquilas, vão continuar a ser e assim vamos seguindo em frente, afinal, essa vida aqui – a minha vida! – tem todos os direitos reservados. 🙂

06 mar, 2014

Carta aberta para Juliana de 2004 em diante

Essa ideia sensacional eu li no blog da Vic do Borboletando que também está em um grupo do Facebook chamado Rotaroots – Em prol da Blogosfera Old School – ao qual eu estou fazendo parte agora. Na verdade tudo foi inspirado na TAG original do Hypeness e eu gostei tanto que resolvi escrever também. O tema é você escrever uma carta pra você mesma contando como foi a vida de 10 anos atrás pra cá e o que você ainda precisa mudar, melhorar, continuar, enfim… Aquelas perguntas simples que todo mundo as vezes se pergunta: o que de diferente foi de 10 anos pra cá? Faria a mesma coisa? Mudaria tudo? Quais conselhos que eu me daria anos atrás? Aparentemente parece tudo muito clichê, mas acreditem: não é! É praticamente uma auto analise, uma auto critica ou apenas bons conselhos que todos deveriam um dia fazer para si, mesmo que isso não fosse redigido pra um blog ou um papel.

carta-cat-post

Espero que esse post sirva como uma inspiração para outras pessoas e claro, principalmente pra mim que procuro sempre ser uma pessoa melhor. E complementando a carta, vai rolar até uma musica junto (thanks Vic, ‘roubei’ esse plus da sua ideia), pra ficar mais emocionante:

“Olá, Ju! Tudo bem?
Bom, eu sei que está tudo bem com você, afinal sou eu mesma me escrevendo uma carta e embora esse pedaço de frase pareça bem estranho, faz muito sentido quando se começa uma carta tão pessoal como essa, afinal de contas sou eu, falando com meu eu. 10 anos se passaram, tudo foi tão rápido e muitas coisas aconteceram, não é mesmo? Coisas que você achava que um dia aconteceriam, mas que talvez por algum motivo demorassem mais tempo enfim chegaram, na verdade, na sua hora mais certa… É como você sempre gostou de pensar – por mais torto ou por mais perfeito que essa hora fosse. Em 10 anos, você namorou, noivou, se formou na faculdade, casou, viajou, arrumou bichos de estimação e de uma maneira geral aproveitou bem a sua vida, embora você sempre acredite que esse lance de “aproveitar a vida” sempre dá pra ser melhor… E você não tem o que realmente reclamar prestes a completar 35 anos, é uma pessoa feliz, saudável, do bem, mas assim como todo mundo (e ainda bem!), obviamente não é perfeita… E mesmo já tendo aprendido a lidar com muitas coisas que você aprendeu tanto pelo amor como pela dor, há aquelas que você pode melhorar e sabe muito bem disso. A vida é um eterno aprendizado, minha querida. Mas é claro que não é só isso, você é cheia de qualidades também; é linda, educada, querida, radiante e muito modesta! Vamos então, conversando despretensiosamente, assim tudo fica mais simples… Pra que complicar, néam gata?

Seja menos ansiosa. Você até ri quando eu digo isso porque sempre foi assim desde que se entende por gente. Você sempre foi ansiosa e sabe disso, mas sabe que isso já fugiu do seu controle algumas vezes e embora hoje você tenha total domínio sobre essa ansiedade, sabe também que uma hora pode acontecer de novo, porque você é simplesmente uma humana-mortal feita de carne, osso e coração. Mas sério: seja.menos.ansiosa – ok? Em 2011 você teve uma depressão e isso deu uma grande sacudida no seu emocional e você se sentiu péssima, e bem… Deve ser pelo fato de que você realmente ficou péssima. Depois de muita choradeira e muita tristeza, aquela tempestade que você pensava não ter um fim, foi se dissipando aos poucos e tudo nessa sua cabecinha foi ficando mais claro. Não foi de um dia pro outro, eu sei e você amadureceu muito com isso e olha que legal; passou a se conhecer e a se compreender melhor. Compreender inclusive, o mundo a sua volta e tomar como relevante aquilo que realmente tivesse alguma importância na sua vida. Em 2014 você estará curada da sua depressão, mas sabe que é uma pessoa irremediavelmente ansiosa. Sabe sim a se controlar melhor, toma até remédios pra isso que eu espero em 2014 não precisar mais deles, mas sabe que 90% da sua melhora só depende de você. Então respire, relaxe e sofra menos por antecipação – realmente você não precisa disso porque você acaba vendo coisas aonde não tem e depois se sente uma ridícula por isso, afinal de contas, você sabe que é uma pessoa forte, mas muitas vezes duvida dessa sua fortaleza. Acredite mais em você.

Eu tinha dito que você aprendeu a dar importância pra apenas o que fosse realmente importante, mas nem sempre você faz isso. Principalmente quando o assunto é pessoas. Você é do tipo que quando não está mais se entendendo com aquela pessoa, você simplesmente larga de lado e toca sua vida civilizadamente: não conversa mais, não liga mais, não procura mais e fim. Cada um com sua vida, cada um no seu quadrado, sem mágoas. Porém as vezes tem assuntos e pessoas que são bem mais pequenos e que você dá aquela importância besta que realmente não merecia. Simplesmente releve e siga em frente por mais que você justifique dizendo que não tenha sangue de barata. Ninguém tem, mas né… Você é adepta da frase: “aquilo que não te acrescenta, em nada te fará falta” então cerque-se apenas de pessoas e coisas que te fazem bem e feliz. O que não faz; não dê ouvidos, deixe de lado e não insista por mais de duas vezes, senão com certeza você irá se estressar a toa. Tá cheio de gente ocupando um espaço desnecessário no planeta e você realmente não precisa disso.

De 2008 em diante você teve mais do que certeza de que não queria e nem irá ter filhos. Você nunca gostou muito de seguir esse tipo de padrão da sociedade e isso é uma coisa mais do que decidida na sua vida. Em contra partida tem um cachorro e dois gatos que nesse período de 10 anos entraram na sua vida e só te trouxeram coisas maravilhosamente boas – você sempre diz isso, sempre diz que neles encontra a paz que muitas vezes procura e acho que seu instinto maternal está exatamente neles e não se importa com quem de repente, tenta menosprezar com isso essa sua opção, aliás, nunca deixe que façam isso com você. Você defende muito bem a causa animal, não tem problemas em dizer que prefere mais seus bichos a muita gente que conhece e depois que começou a ajudar sempre a ONG aonde adotou seus gatinhos, isso te fez um bem enormeeeee que talvez nem você mesma ainda tenha se dado conta. Nunca pare com isso, é sério: nunca pare de ajudar quem você acha que precisa – seja bicho ou pessoa. E sempre que puder fazer mais, faça… E eu sei que irá fazer.

Em 2008 também você realizou o grande sonho da sua vida que foi conhecer a Inglaterra, aliás, sonho esse que você sabia que um dia iria acontecer, mas que achava que demoraria mais tempo… E olha como a vida é maravilhosa: semana que vem está indo viajar outra vez e como ‘plus’ estará mais uma vez indo pra Inglaterra – agora pela TERCEIRA VEZ. Você sempre gostou de viajar – algo que herdou dos seus pais, mas foi de 2008 em diante você tomou isso como um objetivo de vida e acredite: isso é sensacional, garota. Você já conheceu muitos lugares, irá pra outros tantos mais na semana que vem (ui deu um frio na barriga, né?) e aprendeu sozinha a ver coisas maravilhosas por mais simples que fossem nessas suas viagens pelo mundo afora. Você sempre pega pedrinhas de alguns lugares pra trazer pra casa, acho tão fofinho esse hábito. Cada vez que você chega até o ponto mais distante de um destino você sempre diz: “agora sim estou bem longe de casa” e isso sempre teve um grande impacto bom que só “nós” sabemos como isso funciona dentro de você, portanto, continue com aquela meta de fazer uma viagem por ano e se puder: faça mais, muito mais. Viaje! Você precisa disso na sua vida. Conheça o mundo, explore o que tem nele porque isso você sabe perfeitamente que quando olhar pra trás, terá a doce certeza que cada segundo valeu a pena.

Leia mais, embora você estará realmente empenhada nisso em 2014 já que seu 2013 foi um fracasso com os livros, mas ler nunca é demais e acredite: dá pra melhorar! Escreva mais, blog sempre foi uma terapia pra você. Fique menos no Facebook, embora você já esteja melhorando nisso também, mas não custa lembrar. Se apegue nos pequenos prazeres que você gosta e te fazem bem. O simples sempre te apaixonou, então não é difícil te agradar, seja menos preguiçosa e vá mais vezes a academia, e tente algum outro esporte se não for pedir demais… Certa vez você tinha cogitado de fazer natação. Pois então, pense nisso.

Siga seu coração, há muitos anos atrás você dizia “só que arrependo do que não faço” e mais pra frente você concluirá que não é bem assim, todo mundo se arrepende de alguma coisa e se errar: seja humilde, peça desculpas, levante e tente de novo – até conseguir o certo. Ah, e continue com aquela mania de anotar frases de filmes e livros, é bem legal isso, essas frases sempre foram muito confortantes em vários momentos da sua vida e talvez você só esteja se dando conta disso, agora que está escrevendo essa carta.

Pra finalizar, nunca deixe de ser quem você é – na sua essência e seja sempre humilde em saber que precisa aprender mais, seja lá o que esse aprender signifique não importando o tamanho do aprendizado. Se quiser mudar em alguma coisa, mude por você em primeiro lugar. Quando se sentir só ou aflita, vasculhe os arquivos do blog, ouça a música e leia esse post novamente pensando com muito carinho em mim mesma. Eu te amo e você também se ama!

Com amor, do seu eu em 2014
Juliana”

Quer ler as outras cartas? Quer fazer o mesmo? Entre pro grupo Rotaroots no Facebook para acompanhar as outras atualizações e leia a TAG original “Uma Carta” no blog Hypeness.

11 fev, 2014

Sobre (as pequenas) mudanças no blog

blog1

Como vocês sabe (e notaram, é claro) há pouco mais de um mês, graças a ajuda da minha querida e maravilhosa amiga Lia eu dei uma super melhorada no blog: agora tenho um domínio próprio e um layout com uma disposição muito mais clean e bem mais gostoso de navegar. Com essa incrível mudança (uau!), outras também – mesmo que mínimas, tiveram que acontecer para o melhor funcionamento do MAP, eu preferi colocar tudo em ordem (ou quase tudo) pra depois dizer cada uma delas pra vocês:

– o MAP agora tem categorias e isso quer dizer que fica mais fácil de achar as postagens, porém há um ponto: eu ainda não tive paciência/tempo/coragem de colocar mais de 1700 posts certinhos nas suas devidas categorias por motivos óbvios de: dá um trabalho do caralho. Entretanto, desde que comecei com o novo domínio eu venho fazendo isso com os mais atuais e (quase) todos os dias eu vou fazendo o mesmo com os posts mais antigos, vai demorar um tempo e não me perguntem quanto, mas espero um dia quem sabe conseguir organizar tudo isso. De qualquer forma, se precisarem procurar por algum assunto específico as tags estão aí a disposição.

– O email de contato do blog mudou, agora é: contato@shejulis.com (ai que chique), portanto, se precisarem me escrever utilizem este endereço e não mais o do antigo gmail, pois daqui um tempo eu vou deletar o antigo e ficar apenas com esse.

– Feeds: ainda é possível sim fazer as inscrições das postagens e receber as atualizações no email, acredito que as pessoas que liam o blog dessa forma, não estejam recebendo mais as postagens via email por conta da mudança de domínio, peço então pra que se inscrevam novamente aqui (ou tem o link permanente mais abaixo – logo depois do app do Last.fm)

– O endereço do Feeds também mudou, agora é: http://feeds.feedburner.com/shejulis/bdPm

– A busca continua em cima do meu perfil, porém, um pouco mais discreta: está a direita, na mesma direção da barra do menu e os arquivos estão bem mais organizados: tem a opção de categorias, mensal, anual ou então todas as tags que eu uso.

– Logo abaixo do banner do blog, antes dos posts, tem os posts em destaque (aliás, uma das coisas que eu mais amei na disposição desse layout novo, o wordpress é sensacional), lá estão alguns que vou colocando evidência, mas sempre serão os mais atuais e não os antigos. Como tem um numero limitado pra isso, os que vocês sempre verão serão os mais recentes, sempre.

– Apesar de engatinhando, pretendo sim continuar com a categoria de looks, mas aquele lance que havia prometido de um look por semana eu acabei não cumprindo… pardon, mas como as postagens aqui não são diárias eu achei que se eu fizesse isso uma vez por semana, ia ficar mais do mesmo.

Acho que basicamente é isso, com o tempo tudo vai ficando ainda mais redondinho e conforme mais mudanças, também vou comunicando aqui 🙂

22 jan, 2014

Amo escrever porque…

… Pra começo de tudo, essa é uma resposta com muitos motivos e não tem como eu escolher apenas um. Me formei em publicidade e mesmo sendo uma área cujo o envolvimento de imagem é maior do que palavras, mesmo assim, eu sempre gostei mais da parte de redação, mas minha paixão por escrever com certeza veio dos blogs.

screen-shot-2010-08-18-at-10-57-53-am1

Já disse inúmeras vezes, falei disso no post da minha ‘volta’ mas sempre achei que o blog é um meio aonde você se (re)descobre e se (re)inventa sem precisar de muita coisa dedicada à ele. Não sou expert escrevendo, longe disso e acredite: isso não é uma falsa modéstia. Mas por outro lado, sempre me expressei melhor escrevendo do que falando. Também não acredito que isso, no meu caso, seria um dom, pois sempre achei que tudo foi apenas prática que veio com o tempo… Se alguém pegar meus posts antigos perceberá claramente o quanto eu amadureci nisso (e o quanto também ainda tenho que aprender), também não tenho o dom pra escrever um livro ou um monte de poemas, mas ter um blog já me deixa preenchida por completo… Preenchida por nessa satisfação que – mesmo que há alguns meses atrás estivesse adormecida, jamais eu abandonaria esse meu amor. Só dei um tempo e agora aos poucos estou voltando.

Gosto de escrever tudo o que vem à cabeça (ou quase tudo) e gosto de sentar na frente do computador, ligar o som bem baixinho e começar a digitar sem obrigação ou pretensão alguma. É diferente de você dizer “legal vou escrever isso no blog” e “legal, preciso por isso blog”, acho que todo mundo já tem obrigações demais e não precisa de mais uma (ainda mais de algo que é só seu e que você faz por gosto). Lembro que na minha adolescência eu escrevia muito em diários: cada ano era uma agenda nova, recortava imagens de revistas pra colar, guardava papel de bombom na bolsa “pra colar na agenda depois”, registrava pequenas coisas da minha vida que me deixavam feliz por mais que fossem banais e talvez eu nem tenha me dado conta dessa importância naquela época, mas percebo que hoje isso é muito do meu reflexo do que fiz lá atrás e sou grata a mim mesma por isso. Pequenas paixões sempre me divertem.

Hoje é claro que tudo é muito mais moderno, mais rápido e em números bem maiores, muita gente (mesmo não sendo todo mundo) também tem essa paixão, mas acredito que a essência não mudou de uma agenda cheia de cacarecos pra um blog, ela só se aperfeiçoou. Você tem a opção de querer ou não, dividir isso com as pessoas e (ainda bem!) não é uma regra. Há quem se preocupe com números nos acessos, mas honestamente eu não me importo com isso e acho que dessa forma é muito mais gostoso. Não escrevo pra me impor ou impor alguma ideia, não distorço os fatos do mundo e muito menos da minha vida e jamais escrevo como se eu fosse a dona soberana da razão – coisa que muita gente acaba fazendo e isso se torna um péssimo hábito entre as pessoas. Mas o que quero é apenas me importar com esse meu espaço, apenas com o que faço ou deixo de fazer pra essa minha paixão por escrever sempre continuar com meu jeito, meus gostos, minha personalidade, minha cara… Meu universo particular, meu mundo paralelo. 🙂

08 jan, 2014

www.shejulis.com

Gente, eu não sumi!!!!
Final de ano é sempre uma correria por mais que você planeje as coisas com antecedência. É uma época do ano que não gosto muito e já disse isso algumas vezes aqui, acho que tudo fica meio que estagnado – o que você tinha pra fazer deixa pro ano que vem e parece que vira 10 anos pra frente, mas não vira o próximo ano. 2013 foi um ano ótimo, fiz muitas coisas das quais tinha planejado, mas não vira a hora que 2014 chegasse, ainda mais porque em março já estou indo pra mais uma viagem =)

Ontem estava conversando com a Lia – grande amiga que mesmo de longe, mesmo com conversas não frequentes como gostaríamos por questões de tempo, é uma amiga que nossos papos e ideias fluem que é uma beleza… E chegamos a conclusão que sentimos muita falta de quando blog era apenas um diarinho, sem pretensão nenhuma com números de postagens, escrever pelo simples fato de que digitar algumas palavrinhas já fazia um bem danado ou a terapia – como sempre gostei de chamar. Tenho saudades de quando eu sentava e ficava por horas escrevendo, não pros outros, mas pra mim… Eu sempre terminava leve, mesmo se fosse um post do tipo desabafo, tenho saudades quando eu postava mais dicas de livros, filmes, de posts do tipo “meu diário”, saudades de quando eu colocava gifs pesadíssimos (ahauahuauha) pra deixar um texto visualmente mais bonito (e o blog mil vezes mais pesado), saudades de quando os blogs e principalmente a internet eram algo assim, mais maroto!

write

Hoje em dia ~rede social~ está qualquer coisa (chata!) que venha à cabeça, menos algo que deveria ser…. Sociável. Até o Orkut era mais legal, hoje é muita cagação de regra, muita gente que se acha dono soberano razão e não consegue apenas expor uma opinião sem ofender os outros, muito mimimi, muita imposição e por incrível que pareça, por mais que você escreva sobre sua vida em um DIÁRIO, parece que em blogs a privacidade (diferente de rede social) é maior… Mais sossegado, mais sociável, poucas pessoas acessam aqui e nessas horas a gente sempre percebe que o menos é mais. Percebe também que por mais que você se policie, acaba perdendo tempo com coisas que a gente sabe que não precisa, mas acaba perdendo do mesmo jeito, como disse um amigo: “tem coisas que são desnecessárias a gente “consumir”, quero usar meu tempo de uma forma melhor, se não der pra ser feliz sempre, mas pelo menos, buscando o que me deixa feliz” e é isso que estou buscando, até porque, boa parte do meu dia no trabalho é praticamente 100% conectado a rede.

A Lia também me convenceu a registrar um domínio pro MAP, coisa que eu sei que já deveria ter feito há muito tempo e que ela sempre pegou no meu pé por isso, mas a verdade é que sempre fui muito tapada com essas coisas, eu não entendo mesmo desses assuntos e ficava com medo de fazer alguma coisa errada e depois perder tudo, é lógico que pra isso também contei com a ajuda da minha amiga e pra começar o ano de 2014, resolvi dar de presente pro meu blog um domínio – www.shejulis.com então quando vocês digitarem o endereço antigo do blogspot, já vai ser direcionado pro novo, que por sinal, ficou muito mais glamouroso.

Além do mais, o blogspot já está com o serviço ultrapassado e o wordpress é infinitamente melhor, quero retomar alguns hábitos antigos e com sua verdadeira essência de começo nesse meu espaço, mas também não quero amarras com obrigações de um numero de postagens por semana, quero simplesmente escrever o que vem a cabeça e quando me der vontade. Quero me desapegar mais de coisas/pessoas que não vão me acrescentar nada e me apegar naquele simples que me faz bem e isso garanto: não é uma tarefa difícil, basta querer. 🙂

P.S. Ainda preciso ajeitar alguns detalhes aqui, farei isso no decorrer da semana.

29 dez, 2012

Look do Dia: Layout Novo!

Nada como começar o ano com tudo novo, inclusive, um novo layout pro blog (ueaaabaaaannnnn). Como sempre quem faz as transformações incríveis aqui é a Lya, mais uma vez ela fez um trabalho perfeito que ficou a minha cara, do jeito que eu quero e com muita coisa nova!

Algumas coisas mudaram: a barra de menu agora é em cima (achei mais clean), em cada post agora tem botões do Twitter e do Facebook pra vocês compartilharem as abobrinhas que escrevo, achei tãããão mais prático isso. Também tem a opção de posts relacionados – algo que no antigo layout não conseguimos colocar por motivos obscuros desconhecidos, mas dessa vez tem mais essa opção pra vocês, se, de repente, resolverem dar uma passeada nas publicações mais antigas do MAP. A opção de marcadores ficou mais bonita – as palavras chave que uso com mais frequência estão em destaque, a borda das fotos do meu perfil também mudou e o banner… Bem o banner ficou um espetáculo a parte!

Photobucket

As únicas imagens que passei pra Lya foram as da Madonna, da Audrey Hepburn e do iPhone branco, todo o restante foi por conta da criatividade dela, inclusive, esse fundo com flores e manchas de tinta que com certeza isso tem um nome específico, mas que agora não me lembro qual é ehehehehehe.

Mais uma vez quero agradecer a Lya por mais um layout perfeito alcançado (e desculpa por eu ter ‘sumido’ com o menu à noite quando fui fuçar ahahaha), eu amei de verdade e acho que foi um dos layouts mais rápidos que ela fez, porque só ela sabe o quanto eu sou chata com essas coisas e sempre mudo detalhezinhos (mesmo eu não manjando porra nenhuma disso, mas sou mestre em palpitar ahahahaha). Quem quiser conhecer mais dos trabalhos da Lya aqui no site dela tem bastante coisa incrível que ela cria (inclusive trabalhos fotográficos) e quem quiser um layout lindo pro seu blog/site é só entrar em contato com ela, os preços são bem amyghos!

16 jun, 2012

Roupa Nova no Blog

Roupa Nova no Blog

Como vocês podem ver o blog continua com o mesmo corpinho, mas de roupinha nova no banner. Quem fez esse trabalho lindo foi a Mê Fornazari do Oh Céus. A Mê também cria layouts e caso alguém esteja interessada em mudar o seu, aqui está o portfólio dela pra vocês darem uma olhada.

As imagens eu mesma selecionei e expliquei pra Mê como queria, ela foi super atenciosa e paciente comigo, logo, tudo ficou exatamente como eu queria e melhor ainda: super rápido o trabalho dela – nos conversamos na quarta e hoje ela me entregou o banner junto com a imagem de fundo que também teve pequenas e notáveis mudanças (repararam nas caveiras? minha cara).

Eu quis seguir a mesma ideia do que já tinha antes porque gosto de banners com essa estrutura de mix de imagens que cada uma representa um pouco de tudo que gosto, então parti da mesma ideia que já tinha, só que montado de uma forma diferente, que já deu outra cara e o resultado foi esse:


Ficou lindo, néam? Mê muito obrigado pelo carinho, atenção e paciência comigo, ficou exatamente como eu queria. ♥

13 out, 2010

Sobre o Feeds do Blog

Sobre o Feeds do Blog

Há um tempo atrás eu não sei por qual motivo, razão ou circunstância, caguei federal no Feeds do meu Blog. É aquela coisa né: vai fuçando daqui, mexendo dalí e às vezes por não compreender direito a mecânica da coisa acaba estragando o que estava funcionando direito. Pelo menos eu acho que foi dessa forma eh-eh.

Algumas leitoras me disseram que não estavam conseguindo adicionar meu blog nos googles readers e bloglines da vida e o motivo é justamente esse – o Feeds aqui não funciona muito bem e quando você tenta adicionar o endereço do blog em qualquer leitor de feeds dá uma mensagem de erro dizendo que “esse feeds não é válido” ou algo do tipo. Eu tentei arrumar, a Lya (minha mana super designer) quebrou a cabeça tentando arrumar também e nada. Deixei como está porque afinal de contas, paciência, não há outro jeito mesmo (se alguém soube me ensina, tá?).

Portanto pessoas queridas, se vocês tentarem adicionar pelo endereço do blog possivelmente dará essa mensagem de erro, porém se adicionarem pelo endereço do próprio feeds mesmo que é esse aqui: http://feeds.feedburner.com/shejulis, aí sim dá certo e vocês conseguirão ler meu blog e os posts serão atualizados por qualquer leitor de feeds sem o menor problema! #ficadica

07 jul, 2010

Sobre o Layout Novo

Sobre o Layout Novo

Tchaaaam-raaaam: Apresento-lhes o novo layout do Blog. Ficou léééndo, néam? Toda essa criação, paciência e dedicação são de créditos T O T A I S da minha querida mana Lya que sempre fez todos os meus layouts e tem uma criatividade e um super talento único pra essas coisas. Lya é phoda!!!

Quis algo bem clean, mas ao mesmo tempo cheio de referencias de tudo (ou quase tudo rs) que mais gosto e principalmente do que mais falo aqui, por isso do banner cheio de coisinhas queridas. E como ultimamente eu tenho falado muito de assuntos como maquiagem, filmes, celebridades, moda e não só de coisas pessoais da minha vida, acho que esse layout ficou totalmente a cara do Blog (e a minha também). =D

As cores valem pelo visual clean: branco, rosa e cinza bem clarinhos – combinação essa que eu acho que sempre dá certo em layouts e fica tudo muito bonito! A Lya também deu uma otimizada considerável nas coisas que tinha no meu perfil, uma vez que o antigo layout era cheio de coisinhas e mimimis, portanto pra isso agora temos um MENU (acho digno!), assim fica mais fácil e simples a navegação pelo Blog.

Futuramente estou pensando em registrar um domínio, mas isso é um plano que ainda não estou pensando taaaaanto assim porque, muita gente conhece meu blog pelo endereço do blogspot mesmo, então isso é um caso a se pensar, mas não agora, afinal, em time que está ganhando não se mexe.

A Lya disse que esse tipo de layout é mais fácil de trabalhar, uma vez que eu posso mexer nele através do próprio painel do blogspot e pelo que andei dando uma sapeada, ele é bem simples e prático mesmo, principalmente pra pessoas que não entendem porra nenhuma de HTML (leia-se euuuuu), mas isso é uma outra coisa que vou ganhando mais habilidade com o tempo, portanto queridíssimos que me lêem, peço a paciência de vocês com adicionar links de blogs e tudo mais.

Algumas coisas serão abolidas desse próximo post em diante, como “música do dia” e outras coisas que só ocupavam espaço e que eu não acho mais necessárias… O contador, por exemplo – nunca era preciso no numero de visitas e sempre abria umas poup ups desagradáveis, tirei fora – tudo isso por um movimento de blog mais clean rs… Se bem que eu acho que sempre exagero em alguma coisa e acho que fui um pouco assim quando organizei minha sidebar… Whatever. =P

Quero (mais uma vez) agradecer de coração a Lya que é minha amiga-irmã de longa data, que SEMPRE acompanhou meu blog e que sempre teve paciência e talento de sobra pra criar essas milhões de coisas lindas (quem a conhece sabe), espero que em breve ela volte (mais uma vez) com o Blog dela, sempre digo que esse mundinho tem as melhores pessoas. Lya minha mana, obrigado por tudo, AMO VOCÊ!!! ♥

24 maio, 2008

Plágio NÃO!

MÚSICA DO DIA: FROM ME TO YOU – BEATLES

Plágio NÃO!

Então é assim (analisando especificamente sobre blogs):
Vc dedica algum tempo do seu dia para escrever, pq afinal de contas, vc gosta e pensando bem, é uma verdadeira terapia pra vc.
Escreve algo interessante ou algo que simplesmente agrade quem lê ou visita seu blog e quando se dá conta, um belo dia, descobre que seu texto foi copiado. Copiado assim; na base da filhadaputagem, sem os devidos créditos à vc ou colocando a situação de uma forma mais específica:

Plágio!

E aí aquela sua terapia de escrever tantas e tantas palavras torna-se um pesadelo, uma piada de puro mau gosto, pq é a mesma coisa que se sentir nu(a) no meio de milhões de pessoas vestidas de burqa.
Não, isso (ainda) não aconteceu comigo…
Pelo menos por enquanto ou até aonde eu sei (tirando o dia que eu encontrei por um acaso uma garota que copiou todo o meu perfil; estranhamente ela gostava exatamente das mesmas coisas que eu, e só teve o trabalho de mudar o meu nome pro dela), mas de uns meses pra cá andei lendo por aí alguns blogs que abordaram e opinaram muito sobre esse assunto e pior ainda: que foram plagiados também.

Plágio é crime. Está na Lei nº 9.610/98 – A Lei de Direitos Autorais.
Se quiserem saber mais, procurem no Santo Google – o Senhor das Pesquisas, dos achados e perdidos e se informem a respeito.
Sempre que coloco textos que não são meus aqui, escrevo em seguida os devidos créditos com a fonte de quem de fato pertence, sempre fiz isso e não por uma questão de “ah se descobrirem que isso não é meu, vai dar problema”, mas pelo simples respeito.
Respeito por quem escreveu, respeito por onde está sendo transmitido e mais ainda: Respeito por quem está lendo.

Embora não pareça – pelos assuntos que são abordados aqui, eu levo muito a sério esse blog sim. Aprendi muito com esse pequeno espaço, conheci pessoas brilhantes, assuntos dos mais variados e desde que comecei nesse mundo pararelo, procurei fazer as coisas da melhor maneira possível… Não para agradar ninguém, mas pelo princípio básico de: ou faz bem feito ou não faz.
E durante todo esse tempo de blogs e de uma forma geral na internet tbm, vi muita gente agindo de má fé em relação a isso, e garanto que nunca encontrei um que tenha agido errado por simplesmente não saber. Lembro de uma garota do Japão que eu sempre lia o seu blog e por sinal, ela escrevia muito bem. Certa vez ela descobriu que uma outra garota na maior cara de pau copiou todinho o layout do seu blog, e não satisfeita alguns de seus textos tbm. Dias depois, essa garota do Japão deletou seu blog e nunca mais voltou a postar, talvez pq toda aquela graça e encanto de escrever, de dedicar horas e horas montando um layout legal, tenha se esvaecido quando ela descobriu que existem pessoas tão sujas e mesquinhas que são capazes disso.

E aí, algumas pessoas, permitam-me um eufemismo – mais ponderadas, podem alegar e argumentar o plágio à desinformação ou o simples não saber; copiou sem os créditos e não sabia, vejam vc’s, que não é assim que a banda toca.

Mas… Será? Será mesmo?

Não acho que o ser humano seja tão ingênuo com uma coisa tão óbvia e falada como essa, ainda mais quando se mostra, afinal, tão esperto para tantas outras coisas.
Plágio, seja lá do que ou de quem for copiado, é coisa de gente que não tem um pingo de vergonha na cara realmente, que copia e acha que ninguém e nunca irá descobrir, que tem a velha, chata e peculiar mania de achar e querer ser mais esperto que os outros… É a mais pura falta de personalidade e caráter – colocando então de uma forma mais sucinta.

Pensem apenas…. Imaginem quantos milhares de Nelson Rodrigues, Fernando Pessoa, Clarice Lispector estivessem perambulando por aí se esse lance de créditos e direitos autorais não existisse… Não só para poetas e escritores, mas pra tudo: musica, cinema, arte (imaginem Picasso pegando a Monalisa de Da Vinci)… Qualquer coisa.
Imaginem a bagunça que a vida seria, a briga que geraria e as injustiças que se cometeriam…. Nós, humanos e mortais tão espertos precisamos de regras para viver, precisamos respeitar para ser respeitado e precisamos mais ainda do bom senso, coisa que muita gente – infelizmente – nem sabe o que é isso.

Coloquei um selo aqui no blog, de uma campanha feita por ela:

“Plágio é Atestado de Burrice!”


Quem tbm quiser aderir a esse movimento sinta-se a vontade, não esquecendo é claro, de deixar de colocar os devidos créditos ao criador.
Plágio aqui, NÃO!