Posts arquivados em Tag: decor

23 jan, 2018

Minha biblioteca particular

Há um tempo atrás, eu e Ricardo decidimos fazer umas reformas em casa, obviamente, algumas eu irei precisar pagar por uma mão de obra especializada porque aí foge completamente da minha capacidade, mas as mais simples (o que não quer dizer que sejam menos trabalhosas), nada que um DIY pesquisado no Youtube não resolva e a gente, nessas horas, descobre que nada é impossível quando se tem paciência e vontade de fazer.

A princípio decidimos começar pelo escritório do Rick que estava um terror na mesma proporção que eu já estava com milhões de ideias em mudar. Tinha uma beliche que a parte de baixo era a mesa de escritório dele e em cima uma cama, na parede da porta estavam alguns objetos empilhados e na parede maior o guarda roupa que é super grande e impossível de mover. Meses atrás eu me livrei da tal beliche, comprei um box baú pra não me desfazer do colchão (dica preciosa: box baú é vida, dá pra guardar milhões de coisas dentro dele, eu não sei por qual motivo nunca tive antes) e compramos uma mesa linda de escritório pros dias de home office do Rick.

Mas agora é que vem a parte divertida da reforma: acontece que todos os meus livros ficavam em prateleiras instaladas na sala (foto de fevereiro de 2016) e como eu já disse aqui, eu não tinha mais espaço pros que chegavam (um dos motivos que aderi ao Kindle), além do que, eu queria por umas plantinhas em casa também (ainda vou escrever um post sobre isso), então acabei doando alguns livros e usei uma das prateleiras pra por as plantas e foi aí que eu tive a ideia de passar todos esses livros pro quarto, pois assim eu teria mais espaço e poderia também colocar umas prateleiras bem maiores pra poder acomodá-los.

Eu sempre sonhei em ter um canto agradável pra acomodar meus livros e aonde eu também pudesse ficar bem aconchegada pra poder ler, meu sonho mesmo era ter um cômodo da casa só pra montar uma biblioteca particular, mas só em ter um espaço maior do que eu já tinha pra esse tipo de finalidade, pra mim, já está de ótimo tamanho. Foi aí que, depois de livrar de algumas coisas e planejar melhor cada espaço, começamos a fazer tudo do zero: lixar, amaciar, lixar de novo e pintar as paredes e olha… Depois disso, eu admiro mais ainda a profissão de pedreiro porque isso dá uma trabalheira dos infernos, sem contar o pó fino que levanta. A parte de pintar pra mim é a mais legal, eu sou do tipo que não posso ver uma parede branca, adoro uma tinta, um papel de parede, quadros, enfim… Escolhemos uma cor bem escura pra parede (calça jeans da Suvinil – semi fosco, parede lavável) e o resultado ficou ótimo.

Depois escolhemos como queríamos as prateleiras e colocamos trilhos porque eu queria um visual mais rústico, que ficasse com cara de biblioteca + escritório, as prateleiras nós compramos direto com um marceneiro que foi indicação do meu tio e o bom disso é:

1) ele corta do tamanho que você precisa e já dá o acabamento.
2) sai MUITO mais barato que comprar a prateleira já pronta em lojas de construção.

As prateleiras foram entregues e no mesmo dia já instalamos (foi a parte mais fácil porque já tínhamos colocado os trilhos), ficou perfeito e melhor do que eu esperava, depois que coloquei os livros deu ainda uma emoçãozinha maior, principalmente porque, eu ainda tenho muito mais espaço pra preencher de agora em diante. É tão bom quando a gente faz uma coisa que além de dar certo, fica melhor do que a gente imaginava, né?

Vocês sabem que eu sou péssima pra fazer fotos, eu queria ter feito fotos de antes X depois, queria também ter feito fotos durante o processo, mas eu estava tão concentrada nessa reforma que acabei esquecendo. Fiquei também pensando nos livros que doei e eu sei que vou ser a pessoa mais egoísta do mundo ao dizer isso: mas sinto falta dos livros que foram ahahahaha, ai como eu sou ridícula, mas eu sou do tipo possessiva com meus livros, o lado bom desse desapego é que foi pra uma ótima causa então tá tudo bem. Ainda falta os detalhes de quadrinhos e outras coisinhas, mas com o tempo vou ajustando isso. Ah e tinha que ter um toque com as fairy lights, senão não seria meu, né?

06 dez, 2017

Feirinha de antiguidades do Bixiga

Eu sempre fui apaixonada por feirinhas e lojas de antiquidades, é algo que preciso visitar com mais frequência, pois eu gosto muito desse tipo de programa (mas acho que tinha me esquecido desse meu hobby porque há muito tempo não fazia). Quando estive na Argentina eu fui na feirinha de San Telmo que é gigantesca e além de antiguidades, tem artesanato e boas comidinhas também, além dela, outra muito conhecida que fui é a de PortoBello em Notting Hill, dessa ultima vez estivemos em Londres (meu Deus já vai fazer um ano!), essa é especialmente apaixonante e igualmente grande, com milhões de antiguidades, comidas, flores e algum artesanato também se encontra por lá, eu trouxe uma caneca do Jubileu da Rainha da década de 70 que é o meu xodó.

Em São Paulo há feirinhas de antiques que são bem legais também, tem a do vão do Masp, da Benedito Calixto e a do Bixiga que conheci há algumas semanas atrás e fiquei apaixonada, mesmo sendo parecida com a da Benedito, eu achei que tem uma variedade muito maior de coisas, os preços são melhores e sem contar que você está no bairro mais italiano da cidade e um dos mais charmosos também.

Mas o que faz essa do Bixiga ser tão especial?

Bom, além da feirinha de antiguidades que acontece todos os domingos, nos arredores tem muitas lojas de antiquários e uma galeria com diversas peças antigas de tudo que vocês podem imaginar, o que é bem interessante pra quem, por exemplo, está atrás de algum móvel antigo em bom estado. Eu estou a procura de uma cômoda provençal, mas preciso voltar um dia lá só pra procurar isso, porque quero escolher uma com calma. Enfim… É muito gostoso passear no meio disso tudo porque cada peça é carregada de alguma história (mesmo que muitas vezes você não sabia a história daquilo, mas sabe que aquilo tem algo pra contar) e na grande maioria das vezes, é algo único. Eu particularmente gosto bastante.

Depois você pode almoçar em uma das milhões de cantinas que tem espalhadas no Bixiga e que são espetaculares, é um passeio muito legal que pretendo fazer com mais frequência, principalmente com o objetivo de ter algumas coisinhas de antique na minha casa também. Entre a feirinha do Bixiga e a da Benedito Calixto (que acontece aos sábados) eu gosto mais do Bixiga, mas ambas são legais pra se conhecer.

26 maio, 2015

Decoração kitsch e papel contact

Semanas atrás eu entrei na minha cozinha e decidi que queria dar uma mudada no armário que fica em baixo da pia (ele era toda do branco). Acho que já deu pra perceber e como vocês puderam notar aqui, visual clean quando se trata de decoração, não é muito a minha praia. Eu gosto de cores, mistura de estampas e mais pra mim é sempre mais, e conforme você vai pesquisando e criando, sempre tem um estilo que a gente acaba se identificando mais, né?

No meu caso eu descobri que é o Kitsch que, até tempos atrás, eu nem sabia o que era. Achava que era só um estilo menos mais exagerado e isso tem nome sim. Vocês sabem o que significa o termo Kitsch?

Segundo o wikipédia, kitsch [quitch] “é um termo de origem alemã de significado e aplicação controversos. Usualmente é empregado nos estudos de estética para designar uma categoria de objetos vulgares, baratos, de mau gosto, sentimentais, que copiam referências da cultura erudita sem critério e sem atingirem o nível de qualidade de seus modelos, e que se destinam ao consumo de massa. Embora o kitsch apresente a si mesmo como “profundo”, “artístico”, “importante” ou “emocionante”, raramente estes qualificativos são adquiridos por características intrínsecas ao objeto, antes derivam de associações externas que seu público estabelece. É uma expressão essencialmente figurativa, sendo difícil detectá-lo nas artes abstratas, pois depende de um conteúdo narrativo para exercer seu efeito.”

Um exemplo de decoração kitsch que todo mundo conhece é a casa de A Grande Família que passava na Globo, existem muitas referências, mas a mais emblemática é o jarro de suco em formato de abacaxi, lembram? (aliás, eu tenho um desses) e acho que esse tipo de decoração dá um toque de amor ao lar bem interessante, no Pinterest eu tenho um painel só com esse tema, deem uma olhada:

Siga o painel Kitsch de Juliana no Pinterest.

Eu comprei alguns rolos de papel contact e no domingo resolvi colocar a mão na massa. Achei que daria mais trabalho do que eu imaginava, mas pra minha sorte foi bem mais simples, o papel contact não é tão absolutamente fácil de aplicar mas nada que com paciência e cuidado você não acerte, esse tipo de trabalho também não pode ter pressa por mais que você esteja ansiosa pelo resultado, pra isso eu precisei de:

– uma tesoura
– uma trena
– lápis
– uma espátula de aplicar papéis adesivos
– papel contact, sendo que um rolo tem 45cmx25cm, então eu comprei 2 rolos

Eu não fotografei como estava antes (sorry!) e também não fiz tantas fotos do passo a passo (eu sou muito lesa com essas coisas), mas fotografei os rolos pra vocês verem como vem:

11280375_1596822530595614_1659701520_n

E o resultado final:

11325350_456731527823002_387624991_n

*Detalhe a Amélie que saiu junto na foto pra deixar a cozinha ainda mais linda. Percebam: tem adesivo de azulejo, (muitos) imãs na geladeira, puxa saco de joaninha e agora o armário customizado que ficou com um toque bem vintage (outro estilo que eu amo). Eu amei o resultado, é incrível como papel contact dá uma transformada imensa no ambiente e o melhor de tudo: é super barato. Eu ainda estou com esse rolo de poá azul com bolinhas pretas, ainda não o usei mas já estou com muitas ideias.

16 out, 2014

Decor: fairy lights e cortina

Há algumas semanas atrás eu comecei a mexer em alguns detalhes que pra mim fazem toda a diferença em casa e fui mostrando aos poucos o meu progresso desse meu lado “decor” aqui pra vocês. Fiz um post aqui sobre as Fairy Lights e comprei duas da Toda Coisinha: uma – que é de estrelas, eu coloquei no varão da cortina da sala e a outra de bolinhas eu coloquei em volta do espelho da minha penteadeira, ficou lindo, gostei tanto do resultado que à noite eu não apago elas pra dormir, fica super aconchegante o ambiente:

foto 1

foto 11

foto 2

Aí navegando na internet (isso faz mais ou menos um mês), descobri uma coleção linda da TokStok que eu fiquei apaixonada principalmente pela cortina, acabei comprando e ainda adquiri junto com duas fronhas. A cortina eu coloquei no meu quarto e olha que lindo que ficou:

foto 4

O quadrinho de Flamingo eu comprei dessa vendedora do Enjoei, ela vende só o poster, a moldura eu mandei colocar. São ideias criativas que o melhor de tudo: gastando pouco. E aí, gostaram?

25 ago, 2014

meu novo papel de parede

Pois é. Inspiração não me faltou com papéis de parede. No sábado coloquei um na parede da minha sala de jantar e ficou mais bonito do que eu imaginava. O papel é um estilo retrô da Papel e Parede, o envio foi rápido e eles tem umas padronagens lindas e pra todos os gostos.

Todos são auto adesivos e eu fiz a aplicação junto com o Rick no sábado de manhã, você vai colocando e passando aquela pá de aplicação, sabem? Não tem segredo. Acontece que minha parede não é 100% alinhada e reta, coisa que obviamente só fui descobrir na hora da aplicação do papel e isso dificultou um pouco nosso trabalho. Tecnicamente por ser auto adesivo é mais fácil de aplicar, mas acredito que se a folha fosse um pouquinho mais grossa, teria sido mais fácil. Deu um pouco de trabalho, mas não é um bicho de 7 cabeças e eu amei o resultado final, vejam:

foto 1

foto 3

Processed with VSCOcam with m3 preset

foto 5

Ainda vou ver se consigo dar uma “gambiarra” com o pedaço que sobrou pra ver se ajeito o canto direito da parede, que como não é exatamente alinhada, ela mostra a linha de um teco da parede branca como vocês pode principalmente observar na ultima foto. E aqui nesse post, vocês podem observar de como antes era sem o papel. Tô muito feliz com o resultado e principalmente porque eu consegui decorar minha casa exatamente do jeito que eu sempre imaginei. No meu IG tem mais fotos.