Dica de Viagem: Albergues

Dica de Viagem: Albergues

Eu sempre falei que ficamos em albergues quando viajamos pra Europa e dessa vez tirando alguns dias de hotéis (de um pacote que fizemos entre a agência e a TAM), nos demais dias todos serão em albergues (tirando Londres, que vamos ficar na casa do Marcelo). Além de ser uma opção extremamente econômica se comparada ao preço de uma diária de hotel, existem outros motivos que fazem dos albergues uma boa opção de hospedagem. Pra começo de conversa, quando se viaja – pelo menos comigo e o Rick funciona assim: acordamos super cedo, tomamos café, passeamos o dia inteiro e só voltamos à noite pra um banho, comer alguma coisa e dormir. Nada mais que isso. Logo, pra quê pagar hotel caro? É lógico que não vou dormir em qualquer pulgueiro, mas não dou aquela super prioridade pra um extremo conforto cheio de frescuretes das quais eu nem vou usufruir.

Antes de viajar é importante reservar o hostel/albergue bem antes, principalmente se for em alta temporada. Os albergues na Europa funcionam da seguinte forma: você faz a reserva pela internet (que já já vou indicar um site ótimo) e no site mesmo você já faz a escolha da opção que: tanto pode dividir o quarto com uma galera de até mais ou menos 20 pessoas (ou menos… ou mais… rs) ou pode ter um quarto só pra você com a opção de banheiro dentro do quarto ou não. Nem todos os albergues têm esse tipo de quarto disponível, em 2008, apenas em Paris que conseguimos um quarto só pra nós dois e com banheiro. Já dessa vez, todos os albergues que vamos passar serão quarto + banheiro só pra gente. O que notei é que, dessa vez, a diferença de preço entre um quarto private e um quarto compartilhado era ridícula de mínima e não sei exatamente o motivo disso… Talvez porque estamos indo fora de temporada ou talvez até mesmo por conta da crise financeira que a Europa está passando, enfim… O que importa é que fizemos boas escolhas.

Albergues, além de serviços de internet gratuita, cofre (nem todos), lounge, também tem cozinha, sala de tevê e lavanderia (lavanderia não todos), o que é óteeeeemo: à noite você compra algo no mercado, cozinha no albergue, come, toma um banho e vai dormir. Na cozinha cada um lava o que sujou, etiqueta o que comprou e assim não vira problema pra ninguém. O café da manhã também está incluso na hospedagem, é claro que não é assim um puuutaaaa breakfast, mas pão (geralmente uns 2 tipos no mínimo), manteiga, geléia, leite, café e suco nunca faltam (aliás, os sucos da Inglaterra são horríveis, passem longe).

Em alguns albergues da Itália que vamos ficar, tem uma opção que eu achei deveras interessante: aluguel de bicicletas!!! Eu já fiquei empolgada antes até mesmo de saber que tipo de bicicleta é, (vai que né… São monociclos ahauauhauha) então, com certeza já planejamos alguns passeios de bike por lá.

Uma dica muito importante antes de escolher qualquer albergue é a localidade: se é no centro ou pelo menos próximo, dê sempre preferência pra aqueles albergues que tem uma estação de metrô ou de trem por perto, isso economiza um tempo super valioso e quanto mais perto de tudo, é melhor. O albergue que vamos ficar em Roma, por exemplo, fica a duas quadras do Coliseu, o de Verona a três quadras da Casa da Julieta (óóóóiiiiiwwwww). Surreal, né?

Outra dica muito boa e obrigatória saber: muitos albergues têm recepção 24 horas, já outros não. Portanto, sempre se informe sobre isso se de repente você pretende pegar uma baladeeeeenha e chegar mais tarde, do contrário, vai correr o risco de dormir na calçada (não, e isso nunca aconteceu com a gente).

De todos os albergues que passamos na viagem de 2008 e olha que alguns eram bem, digamos… Excêntricos mmmehehehehe, NUNCA tivemos problemas com roubos, nem nada do tipo. É claro que você sempre anda com sua mochila com o passaporte, dinheiro, câmera tudo dentro, mas lá todo mundo respeita isso e cada um sabe cuidar do seu próprio espaço sem invadir o do outro, o que sinceramente acho que aqui no Brasil é uma regra que jamais funcionaria, mas enfim…

Por ser albergue entenda que você verá gente do mundo inteiro e isso é algo muito legal porque, num espaço pequeno você consegue ver milhões de diversidades e costumes de pessoas que saem de suas casas dos quatro cantos do mundo e que são completamente diferentes de você e dos seus costumes, é muito divertido isso. No albergue de Londres, por exemplo, conhecemos um italiano que não sabia fazer macarrão e um francês (bem tiozão, já) que não sabia cozinhar porra nenhuma ahauhauhauhauha, já no da Irlanda conhecemos um húngaro com poucos dentes na boca e que era motorista de um cara muito rico de lá, detalhe: ele dirigia a Ferrari do cara e provou pra gente mostrando várias fotos.

Um site muito legal para reservar albergues é o Hostels Club e foi por ele que fizemos TODAS as nossas reservas. No Hostels Club estão cadastrados quase todos e os melhores albergues da Europa e do mundo e com telas bem intuitivas é super fácil de usar/reservar/pagar. Todos os albergues possuem fotos, tipos de serviços oferecidos, localização no mapa e avaliação de quem já passou por eles. No próprio mapa dá pra restringir a localidade e cotar os que ficam no centro, mostrando inclusive os pontos turísticos próximos do lugar, bem como linhas de metrô e trem.


A reserva é feita pelo cartão de crédito internacional (não tem a opção de paypal) e assim que concluído você recebe um email com todos os dados da reserva, imprime e apresenta quando chegar ao destino. No Hostels Club você pode montar um roteiro de viagem online e conforme você vai passando pelos lugares que se hospedou você pode publicar no Twitter ou no Facebook. Outra opção muito interessante é o cartão fidelidade do Hostels Club – pagando uma taxa de apenas 10 euros, com ele você tem descontos em restaurantes, passeios turísticos e não paga a taxa de reserva nos albergues credenciados ao site, (restaurantes e passeios vale lembrar que os descontos são aqueles credenciados ao site também) e acredito que essa ferramenta seja um custo X benefício que super compensa!

Pra terminar, essas são algumas fotos de alguns albergues que vamos passar:


Munique – Alemanha


Verona – Itália


Praga – República Tcheca


Veneza – Itália


Genteeeeennn, desculpem, mas só agora que terminei de escrever que notei o post enorme que ficou, mas espero que isso ajude quem esteja também com planos de viagem (independente do lugar do mundo) e que prefere algo econômico pra depois poder gastar o dinheiro com outras coisas legais, quem tiver dúvidas pode deixar nos comentários que eu respondo. =D

21 dias…

Juliana Esgalha Post por