Fime: 127 Horas

Fime: 127 Horas

Ontem à noite marido estava de plantão e eu forever alone em casa (buáááá) comecei a procurar por filmes e vi que ia passar 127 Horas no Telecine Pipoca as 22hs (eu nem tinha jantado ainda), como Rick não estava muito afim de ver esse filme, aproveitei então pra assistir sozinha.

Eis a sinopse:

Baseado na história real de como alpinista Aron Ralston lutou para salvar a própria vida após um acidente. Em maio de 2003, Aron (vivido por James Franco) fazia mais uma escalada nas montanhas de Utah, Estados Unidos, quando acabou ficando com seu braço preso em uma fenda. Sua luta pela sobrevivência durante mais de cinco dias (durou 127 horas) foi marcada por memórias e momentos de muita tensão. Dirigido por Danny Boyle, o longa conquistou seis indicações ao Oscar.

E o trailer:


Gente, o filme é sensacional. É claro que em muitas cenas dá uma puuuuta agonia, mas essa é uma das idéias do filme que mostra a vontade e o instinto de sobrevivência de um ser humano numa situação completamente desesperadora como essa. Depois do acidente ele tem a plena consciência de que vai morrer ali e sozinho, mas jamais desiste de lutar, uma frase que pra mim marcou muito é quando ele diz: “Todas as coisas do mundo me levaram a este ponto”.

Durante esse tempo vários fatos da sua vida desde quando ele era apenas um garoto são mostrados durante o filme em seus sonhos ou pensamentos e, é essa a outra essência do filme: valores, acontecimentos certos ou errados do passado, escolhas, caminhos, o instinto de sobrevivência e a capacidade do ser humano de chegar ao extremo por conta disso. É um filme 8 ou 80 – ou você ama ou você odeia, afinal, nem todos vêem da maneira que é pra se ver e pescar as aquelas pequenas coisas que se mostra ao longo da história. 127 Horas me fez lembrar outros que são tão bons quanto – Na Natureza Selvagem é um deles, um dos melhores que já vi. Não vou me prolongar mais senão vou acabar soltando algum spoiler no automático aqui, mas super recomendo, é fantástico.


“Não existe maior força na Terra do que a vontade de sobreviver.”

Juliana Esgalha Post por