De novo + um membro na família: Odin

Primeiramente:

Crazy-Cat-Lady

Já estou sendo chamada assim ahahahuahuahuahua, porque pra variar eu adotei MAIS UM GATINHO! Mas esse foi pra “fechar a fábrica”. Juro. Me mudei pra um apartamento maior, aonde tenho mais espaço pra tudo. Amélie, Lennon e Morpheus estão se dando super bem, o Morphs ainda é meio assustado e desconfiado, mas a adaptação de um modo geral foi bem tranquila, dias atrás fui até a ONG como sempre faço e mencionei, assim… só por um acaso que se chegasse um gatinho caramelo era pra me avisar, assim… só por um acaso também eheheheh e não é que dias depois chegou mesmo um? Loiro, com as patinhas cor de salmão, olhos azuis escuros, aliás, segundo a Jô é bem difícil de aparecer gatinhos com essa cor de pelagem, eles me avisaram e eu enlouqueci. Mas aí veio um porém, que no fim nem foi tão porém assim: convencer o Rick que, pra ele, 3 gatos já era um numero bom pra ter em casa. Fiz uma campanha ferrenha, eu infernizei a vida dele com as fotos do gatinho a semana toda no what’s up, as amigas da ONG também me ajudaram, até que ele foi cedendo.

Expliquei que 4 gatos seria um numero bom de felinos na nossa família, que gosto de números pares pra tudo (ok, isso não é exatamente um argumento), que coração de mãe sempre cabe mais um, que onde comem 3, comem 4. Comecei a já sugerir nomes (isso é uma boa tática, anotem), e sábado lá fomos nós com duas gaiolas: uma levando o Morphs pra tomar a segunda dose da vacina e a outra vazia que com certeza, viria com aquele polaquinho pra casa. Quando chegamos a Jô pegou ele e colocou no colo do Ricardo. E minha nossa… Amor por bichos é impressionante né? Digo isso de um modo geral, porque com cachorros é assim, gatos é assim e outro dia vi a reportagem de uma mulher que tinha um bode (sim, um bode) de estimação e era completamente tão apaixonada por ele que parecia até uma devoção. E essas coisinhas fofas e gostosas quando vem parar no nosso colo, meu amigo, aí não tem mais jeito.

odin

Trouxemos pra casa e o chamamos de Odin, nome do qual já estava decidido um dia antes. Odin foi achado em Interlagos, correndo por alí com seus outros irmãos e foi colocado pra adoção. Tudo o que sabemos sobre a sua história é isso. Ele tem mais ou menos uns 3 meses, não mais que isso e é, EXTREMAMENTE simpático. Ele ficou junto com os cachorros da ONG, fez amizade com todo mundo, você chama e ele vem pro seu colo. Ele é um doce. A adaptação em casa em relação ao Lennon e Amélie foi bem tranquila e isso me surpreendeu, só o Morpheus que ainda não está aceitando o Odin muito bem, na verdade hoje cedo já estavam rolando pela cama, mas percebi que ontem ele já cedeu muito mais. Acho que isso deve ser pelo territorialismo que existe entre os gatos, o Morphs ainda não chegou o tempo de castrar, mas é o que sempre digo: nada que com amor e paciência não se resolva. Sempre resolveu. Não vou dizer: agora sim, a família está completa porque com o Lennon foi assim e respectivamente com o Morpheus também e nem por isso a família parou de crescer, a gente nunca sabe, né? Mas 4 gatos está um numero ideal e parei por aí, senão alguém teria que ir dormir no tapetinho da porta. BRINKS.

Ganhei mais um companheiro de leituras...

Ganhei mais um companheiro de leituras…

odin

Se estou feliz? Eu não vejo minha vida sem eles, simples assim. Todo dia eu tenho uma história engraçada/fofa/divertida pra contar e agora no apartamento novo, parece que tudo se adequou de uma maneira tão harmoniosa que não teria a mesma graça e charme sem eles. Eu sei que não é todo mundo que acredita nisso, mas gatos tem uma espiritualidade muito forte. Eles passam a te conhecer e sentir o que você sente como ninguém e isso reflete no dia a dia e em tudo na vida, de uma maneira bem sublime, mas muito importante e muitas vezes sem perceber, eles te protegem dos males. Estou muito feliz com meus 4 bebês e agora sim, eu poderia ganhar o selo gateira de qualidade.

Juliana Esgalha Post por