Sobre viagens e amigos…

Essa semana conversei com o Lau, um amigo querido meu que mora em Londres há anos e que conheci através de outro amigo que esse outro amigo conheci através de outro enfim… Vou contar sobre cada um. Semana passada eu tinha enviado o roteiro da viagem com as datas certinhas pra eles e essa semana o Lau mandou uma mensagem dizendo que possivelmente encontrará com a gente (também) em Madri, fiquei muito feliz com a notícia (essa é uma das vantagens da Europa – a facilidade de locomoção de um país pro outro).

Mas vou começar a contar dessas amizades lá em 2008 quando fomos a primeira vez pra Europa: Encontrei com o Wandy em Londres, foi por ele que tudo começou. Liguei pra ele e ele foi até o hostel em que estávamos hospedados nos encontrar. Wandy e eu fizemos faculdade juntos e nos formamos em 2006, nesse mesmo ano ele foi embora pra Londres e nosso contato se limitou apenas por trocas de mensagens que nem constantes eram. Depois que nos encontramos em Londres a amizade por incrível que pareça se intensificou muito mais, mais do que se ver todos os dias na faculdade. Através do Wandy conheci o Marcelo que também mora em Londres e que se tornou meu amigo-irmão-de-alma, digo isso inclusive por nossa personalidade tão semelhante, tanto que ele me chama de Marcela e eu chamo ele de Juliano. Voltamos de viagem e mesmo com a distancia e correria do dia a dia a amizade entre nós sempre permaneceu firme e forte.

viagensamigosmundo

Em 2011 voltamos pra Europa como viajantes novamente e como de praxe avisei os dois antes, com todos os tramites de informações do roteiro que íamos fazer e o Marcelo conseguiu se programar com os horários e disse que ia encontrar com a gente em Verona (Itália). Deu tudo tão certo que foram dias incríveis que eu jamais vou esquecer. Quando ele foi pra Verona encontrar com a gente ele levou o Lau, que foi aí que ganhamos mais um grande amigo. Lau quando veio ao Brasil ficou na minha casa por uns dias, me trouxe chocolates e agora vamos nos ver de novo, mas em Madri e posteriormente em Londres novamente. Depois do fim de semana em Verona eles voltaram pra casa, nós seguimos viagem e dias depois nos encontramos em Londres. Como combinado o Lau foi buscar a gente em Victória Station, o Má (que já estava com as passagens compradas há um tempo) tinha vindo pro Brasil visitar a família e deixou a chave da casa dele com a gente. Ele fez questão que ficássemos hospedados em sua casa, mesmo na sua ausência e em quase todos os dias encontramos com o Wandy também – jantamos juntos várias noites, tomávamos chá todos os dias e sassaricamos bastante por Londres. O laço perfeito já estava muito bem atado entre nós e são dias que deixaram muitas saudades, não só pela viagem em si, mas pelas companhias que estavam sempre junto com a gente.

Nessa mesma viagem de 2011 também passamos por Berna (Suíça) aonde conhecemos o Sandro que é um grande amigo nosso até hoje. Foi na sala de descanso do hostel + uma dúvida sobre um dispositivo que passa fotos da máquina pro iPad que nossa amizade começou. Sandro estava viajando sozinho e estava fazendo o caminho inverso ao nosso – nós estávamos subindo e ele estava descendo, depois da Suíça ele ia pra Itália e nós fomos pra Alemanha (ele já tinha passado por lá e nos deu ótimas dicas). No dia que nos conhecemos, Rick fez o nosso jantar no hostel e convidou o Sandro pra jantar com a gente. No outro dia, fomos pra algumas cidades da Suíça e o Sandro foi junto, como essas cidades ele já conhecia – além de um bom amigo, foi um ótimo guia pra gente. Visitamos uma cachoeira maravilhosa e descobrimos sentados na estação de trem com uma paisagem de tirar o fôlego, uma casinha pequena no meio da montanha. Depois trocamos telefones, emails, cada um seguiu seu destino e a amizade continuou. Sandro é carioca, mas mora desde 2007 aqui em São Paulo e é claro, que nesse caso, a distância curta facilitou mais ainda, pelo menos alguém mora mais perto ehehehehehe. Domingo passado fomos almoçar juntos, já viajamos inclusive depois de 2011, quando fomos pro Petar conhecer cavernas.

Tem também a Andrea – advogada da cidadania italiana do Rick. O Rick a conheceu em maio de 2012 quando ele foi sozinho pra Itália dar o andamento no processo de dupla cidadania com ela, que mora lá. A Andrea mora em Reggio Calabria, trabalha com cidadanias e eu ainda não a conheço pessoalmente, mas já nos tornamos grandes amigas e vou conhece-la agora em Março, já combinamos um monte de coisas e nos falamos sempre, temos uma personalidade incrivelmente parecida e a afinidade acabou sendo ‘apenas’ uma consequência.

Acho incrível como o destino da vida traça com perfeição os caminhos dessas pessoas com a gente e que em um prazo até que relativamente curto se tornam nossos grandes amigos que carinhosamente os chamamos de irmãos de alma. Amigos que você pode dividir suas coisas boas e suas conquistas, mas também divide os problemas, as frustrações – como toda amizade verdadeira que se preze tem que ser. Eu vejo isso como sorte também… São laços de amizade que a gente cria ‘sem querer’ e que muitas vezes são até mais intensos que aqueles amigos que conhecemos há anos e que moram bem ao nosso lado. Cada um está em um canto diferente do mundo: cada um com sua vida, suas responsabilidades, seus sonhos e planos… Mas de uma maneira ou de outra tudo permanece como se, geograficamente, fôssemos todos vizinhos de porta a apenas um passo de distância… Acho que isso é a prova mais sincera e definitiva quando a gente diz que alguém mora no nosso coração. Vou conseguir encontrar com todos eles nessa viagem e vou dar um abraço apertado de saudades em cada um, vou aproveitar muito esses dias juntos com meus amigos fazendo valer a pena cada segundo e sempre agradecer que mesmo longe com um oceano de distancia, é sempre bom ter um amigo por perto.

1 comentário Comentário

  1. Que incrível isso, amiga!! Não podemos deixar de fazer nossa viagem juntos tbm 😉 o roteiro tem que incluir Londres e Paris, CLARO!!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *