Veneza – Itália

Veneza – Itália

Semana passada, assistindo Anthony Bourdain – que estava fazendo o seu tour de comidas em Veneza, disse uma frase que explica tudo: “Veneza não deixa você esquecer que está Veneza.” Não existe qualquer outra cidade no mundo que se compare com Veneza. Ela é única! Única e romântica que te faz lembrar daqueles filmes bem água com açúcar e que te arranca um suspiro e lágriminhas de felicidade com o final feliz, assim é a Veneza que conheci.


Ao contrário do que muita gente fala ou pensa, Veneza não fede! Aliás, eu acho uma afronta alguém se descolar daqui pra chegar lá e voltar dizendo isso, afinal de contas, pra uma cidade que está coberta por 177 canais, 400 pontes, 118 ilhas e que o único meio de transporte são os barcos e as gôndolas, cheiro de rosas no jardim é o que não se espera. No final da noite você sente um cheiro bem suave de maresia, quase que imperceptível, mas nada que atrapalhe ou que faça você sair de lá dizendo: “Veneza é linda, mas fede.” (fede a tua bunda, ahahahaha).


Nós ficamos em um B&B que é bem próximo da estação central de trem, era só sair de lá, andar por uma rua cheia de barraquinhas com artesanato e comidas (ai, ai…) e CLIM! Chegamos ao B&B. Ficamos hospedados bem em frente a uma praça que no meio tinha um poço, um pouco mais a frente uma igreja e bem ao lado de um café muito charmosinho!


Em frente ao B&B…


… E à noite!


Me encantei pela cidade. Pro Rick, no ranking de cidades preferidas da Itália, Veneza pra ele está em primeiro lugar, pra mim empata um pouco com Roma, mas como disse, Veneza é diferente de qualquer outra cidade do mundo. Andamos muito por lá (ou se anda a pé ou de barco ooooou se você tiver afim de desembolsar uma boa grana, de gôndola) e a pé eu achei muito divertido porque fomos passeando sem rumo por vielas muito estreitas, sobe e desce de pontes e aí quando se dá conta, demos de cara com a Piazza de São Marcos.


É incrível… A Basílica de São Marcos (na adjacente Praça de São Marcos, a famosa Ponte de Rialto sobre o Grande Canal) que fica na praça, é rodeada por cafés, lojas de grife e restaurantes bem chiques (e caros também), próximo também ao Palácio dos Doges (líderes da cidade) e se deslocando um pouco mais pra direita você consegue ter uma bela vista do mar Adriático.


Eu e logo atrás, prazer em conhecer, o mar Adriático

Lá não passeamos de gôndola, mas passeávamos de barco quando as pernas não aguentavam mais andar, é muito interessante porque tem pontos (como os de ônibus) e os “ônibus” são os barcos (grandes por sinal) que encosta, você valida seu bilhete e vai pagando de marinheira pra qualquer outro canto da cidade!


Esperando o bus… Ops, quer dizer, o barco =D


Veneza também é outra cidade classificada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e foi fundada – olha que data mais linda – no dia 25 de março, dia do meu aniversário. ♥


Veneza é muito conhecida também pelo Festival do Cinema e pelo Carnaval (que dura 10 dias) – muito diferente do nosso, diga-se de passagem… O que mais se encontra por lá são as tão famosas máscaras de todos os tamanhos e jeitos… Algumas são lindas, outras um pouco intimidadoras.


O músico italiano Vivaldi nasceu e viveu em Veneza. Além de Veneza fomos também pra ilha de Murano. Além de Murano, as outras principais ilhas da lagoa são: Lido, Burano e Torcello. Outras ilhas menores são: São Miguel (a ilha do cemitério da cidade), Santo Erasmo, Mazzorbo, La Vignole, Certosa São Francisco do Deserto, São Giacomo em Paludo, São Servolo, São Lazzaro degli Armeni e Giudecca. Murano é muito famosa por sua fabricação de vasos e outros tantos artigos em vidro, é possível entrar na fábrica e assistir todo o processo e se quiser, comprar também.


Murano

Veneza não é um lugar caro pra se comer, andando por lá sempre se encontra um restaurante ou um café, além do que, nessas vielas que na maioria são todas cortadas por canais é muito fácil de se perder por lá, o que chega a ser algo bem divertido e nessas perdidas acaba encontrando coisas bem diferentes…


Se antes eu disse que Verona é um lugar a ser incluído no roteiro da Itália, Veneza tem que ser incluído por obrigação, ir a Itália e não conhecer Veneza é como pedir um sorvete e só receber a casquinha! Veneza é simplesmente única!

Se tivesse de procurar uma palavra que substituísse “música” poderia pensar em “Veneza”. — Friedrich Nietzsche

Juliana Esgalha Post por