Posts marcados na categoria Livros

17 ago, 2010

Livro: O Incêndio de Tróia

Livro: O Incêndio de Tróia

Como ainda não consegui comprar o sexto livro da série “House of Night” – Tentada, porque ainda está como pré-lançamento no site do Submarino eu tratei de caçar alguma outra coisa pra ler porque eu não vivo sem um livro (vocês sabem) e muitas vezes mesmo já indo dormir babando de sono, eu preciso pelo menos ler umas duas páginas de qualquer história, senão pra mim, é a mesma coisa que tomar banho e não lavar o cabelo (ai que comparação besta, eu sei), mas enfim…

Há alguns dias atrás eu comecei a ler “O Incêndio de Tróia” que foi um achado no Sebo aqui de São Caetano, são 3 livros em um só e logo nas primeiras páginas eu percebi que foi uma ótima aquisição literária. =D

Eu sempre gostei dos livros da Marion Zimmer Bradley (3 de Junho de 1930 – 25 de Setembro de 1999) não só pelos romances que ela escreveu, mas principalmente pela forma que ela contou as histórias, acho que esse é um dos motivos pelo qual “As Brumas de Avalon” é um dos meus livros preferidos dela, mas então…


“O Incêndio de Tróia” é um livro bem interessante também, nele ela recria a história da guerra de Tróia numa visão bem mítica e feminina com heroínas e guerreiras, o que é bem típico dos livros da Marion ter essa idéia de que a mulher não é sexo frágil, tá meu bem. O romance é narrado a partir do ponto de vista de Cassandra – ou Kassandra, como ela chama (da mesma forma que nas Brumas é pelo ponto de vista da Morgana) que é filha do Rei e Rainha de Tróia – Prìamo e Hécuda, irmã gêmea de Páris e sacerdotisa de Apolo – o Deus do Sol (ufa!).

No livro, a lenda e os fatos arqueológicos se misturam, assim como os mitos dos deuses e guerreiros, fato e ficção, e sendo assim acaba dando vida a um clássico que conta com nomes como Aquiles, Enéias, Heitor, Helena de Tróia, Odisseu, Agamenon, Andrômaca, Menelau… É uma história apaixonante e pra quem está procurando uma boa leitura ou ama mitologia, fica aqui a minha recomendação!

26 maio, 2010

Final de Lost + Livros

MÚSICA DO DIA: SING – TRAVIS

Clique no para ouvir.

Final de Lost + Livros

Antes de escrever sobre o post de hoje, vou falar de cara o que achei sobre a final de Lost: assim como todos os episódios de todas as temporadas, Lost sempre foi surpreendente e como o final, não poderia ter sido diferente… Pelo menos para mim o efeito foi esse, portanto: eu gostei SIM!

Embora algumas pessoas achassem que o final deveria ter sido outro pelo fato de não terem entendido muito bem ou por acharem que sua teoria seria a melhor para um ultimo episódio, talvez interpretassem o “The End” de outra forma, por outro ângulo… E na boa; debater sobre isso vai acabar virando uma discussão desnecessária (como quase já virou hoje com um amigo-cabeça-dura). Encontrei esse texto no G1 que explica muito bem o que realmente aconteceu (ou o que eu entendi, não importa), em todo caso deixarei reforçados alguns trechos aqui:

“Após “The end”, a ilha pode ser encarada como um lugar de redenção. A realidade paralela (realidade paralela = aquela vida do vôo que o avião não caiu, que chegou a Los Angeles, mostrado na 6ª temporada) seria um purgatório, um ritual de passagem para o céu, o paraíso ou qualquer outro nome religioso que exista para definir a vida após a morte O vitral da igreja, com diversas religiões retratadas, reforça essa teoria. (eu achei isso bem interessante)

Como explica Christian Shepard ao filho Jack, na emocionante cena final, a igreja é um lugar em que todos chegaram juntos para que pudessem encontrar uns aos outros na realidade paralela, pois a parte mais importante da vida de cada um foi o tempo que passaram juntos na ilha. (Logo tudo aquilo aconteceu sim, a ilha não era o purgatório e todos estavam vivos, exceto é claro, aqueles que durante a história morreram mesmo – como Charlie ou Shannon, e também estavam vivos quando sairam pela 1ª vez de lá, viveram fora por 3 anos e voltaram).

No começo do ano, os produtores executivos Carlton Cuse e Damon Lindelof adiantaram que o 6º ano de “Lost” teria uma relação maior com a 1ª temporada. E que o restante deveria ser encarado como parte de uma grande jornada, de uma experiência à parte. O foco não seria responder aos mistérios, mas fornecer um bom final aos personagens. (Portanto colega, se você assistiu o final só pensando nas respostas para os mistérios, enigmas e suas duvidas, certamente foi mais um membro pro time dos que odiaram o “The End” de Lost).

Esqueça a Iniciativa Dharma, o templo ou as viagens no tempo de Faraday. Essas questões continuarão a fazer parte de um universo mantido apenas pelos fãs – que, aliás, desde que a série nasceu foram responsáveis por criarem na internet teorias muito superiores àquela sugerida em “The end” ou em outros episódios. (…) Afinal, como se sabe muito bem em “Lost”, o que aconteceu, aconteceu. Mesmo que a gente não saiba exatamente o quê.” (Talvez seja por isso que existam milhões de fóruns de discussões, não é mesmo? Achou isso um absurdo? Eu não!)

Fonte: G1


Na minha opinião o final foi perfeito e não poderia ter tido um outro melhor. Pra mim Lost, com certeza, foi a melhor série que já assisti!

Em tempo… Vou falar rapidinho dos livros que estou lendo da série “House of Night” recomendado pela minha querida amiga Kellen. A história é sobre vampiros, que quando humanos são marcados e vão para a Morada da Noite… Enfim, não vou ficar entrando em maiores detalhes mas, basicamente é uma história contada numa linguagem mais adolescente (ok, não torçam o nariz antes de saberem mais).

Porém, o que muito me surpreendeu é a dinâmica da trama. Harry Potter também é adolescente e (inclusive) amado por muita gente grande, entretanto, na minha opinião JK Rowling usou a mesma receita de bolo em todas as histórias (tanto que eu não consegui passar do 3º livro), diferente de House of Night que cada capítulo é um babado novo acontecendo e foi isso que mais me agradou.

Se não me engano essa série terá 9 volumes e hoje mesmo eu começo a ler o 4º livro (Indomada), portanto fica aqui a minha recomendação pra quem gosta de uma boa leitura (daquelas que fluem tão bem que quando você menos percebe, terminou de ler mais uma história) e não se apega apenas naqueles livros “cult” demais só pra pagar de (pseudo)intelectual com os amiguinhos, afinal de contas o que pode ser legal para um, pode não ser para o outro, mas o que concordamos é que a leitura é sempre uma boa pedida, não é mesmo minha gente?!

04 fev, 2010

Livros

MÚSICA DO DIA: IT’S MY LIFE – TALK TALK

Clique no para ouvir.

Livros

Faz tempo que o Submarino faz umas promoções ótimas de livros. E pra não vive sem uma leitura (tipo assim… tipo EU \o/) compensa muito mais comprar pelo site do que sair por aí procurando em sebos… O livro é novo, barato e ainda na maioria das vezes, dependendo da compra, o frete sai de grátis.

Semana passada eu e o Rick, compramos esses aqui:

As Crônicas de Nárnia – Volume Único
R$ 12,90

Há tempos estou querendo ler o livro, vi só os filmes e é o tipo de história que eu gosto!

Porém, ele ainda vai esperar um pouco na fila da minha seqüência de leituras porque eu ainda estou lendo “Anjos e Demônios” e depois dele ainda tem mais dois que vou ler e que segue essa mesma linha de história.

Os outros são:
The House of Night (Marcada + Traída + Escolhida)


Tá, esses eu admito que comprei por embalo de Twilight, mas também foi por recomendação da amiga Kellen que leu e gostou muito! A série desses chama House of Night e é um dos maiores sucessos nos Estados Unidos! Já vendeu mais de 3 milhões de livros em todo o mundo e as autoras anunciaram que House of Night será formada por 9 (noooooove) livros.

Sem contar outros de super promoção:

Trilogia do Senhor dos Anéis R$ 28,90
Coleção de Tolkien por R$ 48,90
Os 4 das Brumas de Avalon por R$ 29,90 (esses eu tenho, já li 3 vezes e são meus queridinhos, super recomendo)
Todos do Harry Potter por R$ 79,00

Depois dessa, não tem como reclamar que livro tá caro!

16 set, 2009

Sobre a Saga Twilight

MÚSICA DO DIA: NEVER ENDING STORY – LIMAHL

Clique no para ouvir.

Sobre a Saga Twilight

Photobucket
“E então abri os olhos e fitei o alto, maravilhada.”
Bella Swan em Amanhecer

Há mais ou menos três semanas atrás, eu terminei de ler a saga completa de Twilight.
Lembro quando soube do lançamento dos livros e do primeiro filme (Crepúsculo) que lendo as sinopses e algumas críticas, de imediato eu imaginei que seria mais uma criação exclusiva para adolescentes, não quis pagar por uma entrada no cinema e deixei de lado por um bom tempo.

Lembro também quando por duas vezes eu tentei (vejam bem, eu TENTEI), por exemplo, me simpatizar pelas histórias de Harry Potter. Li os dois primeiros livros e no meio do segundo eu desisti porque aquela receita de bolo da J.K.Roling não estava me agradando em nada. Nos filmes que eu me lembre, não passei do terceiro porque se eu não me interessei nem pelos livros, o que dirá pelos filmes! E, diga-se de passagem, que Harry Potter tem milhões de fãs espalhados pelo mundo inteiro. Sua história de fato é ótima e me perguntava se eu era algum tipo de aberração diferente do resto da humanidade por não gostar de toda essa coisa de bruxos, mas simplesmente não me agradou, nem teve jeito ou escolha. Gosto é gosto, como sempre digo.

É engraçado como a predileção das pessoas muitas vezes oscila para os mais variados aspectos quando o assunto é cinema ou literatura. De repente você acha que vai AMAR aquela história até começar a assistir ou a ler. Ou o contrário: você acha que vai odiar e aí a boa surpresa te pega em cheio. Essa semana fiquei triste quando soube da morte do ator Patrick Swayze. Caramba, eu adorava ele! Assisti a todos os seus filmes, já vi várias entrevistas suas e ele sempre estava presente nas minhas sessões da tarde, porque para mim, a maioria dos seus personagens são inesquecíveis. Ele foi um ótimo ator, mas é claro que havia quem não se simpatizasse por ele tanto quanto eu; ontem mesmo uma amiga me disse que tinha vontade de chutar a tevê toda vez que o via dançando aquela música piegas em Dirty Dancing. Oi? É… Gosto é gosto. Né?!

Mas voltando… Quando eu comecei a me interessar por Crepúsculo foi um processo de dar o braço a torcer que estava sempre misturado com os meus dois pés atrás e aquela pulguinha de “será?” atrás da orelha. Eu aluguei o DVD, assisti ao filme e não gostei porque assim como Harry Potter, pra variar, achei adolescente demais. Mas sempre ouvia as pessoas falarem dos livros. Livros SEMPRE são melhores que o filme, mas mesmo assim eu ainda me perguntava: “E SE o livro também for aquele mesmo #mimimi juvenil de sempre?”

E mesmo que eu seja apaixonada por história de vampiros, eu sabia que história de vampiros nesta saga não era nada parecido com que pudesse comparar à clássicos de obras de Bram Stoker ou Anne Rice. Nada mesmo! Sabia que não teria nada de terror, sangue, caixões, água benta ou coisas assim. Sabia sim que, em Twilight tinha um vampiro que brilhava à luz do sol. Como isso? Mas mesmo assim me interessei mais um pouco! E por quê? Boa pergunta. Eu não sei.

Até que um dia, coisa de uns dois meses atrás eu decidi comprar os livros e pensei: “Juliana seja o que Deus quiser, se você não gostar, pode se arrepender pro o resto da sua vida quando poderia ter comprado outra coisa”. Os livros foram entregues na ótica, porque eu havia comprado pelo Submarino. Depois que chegaram eu fiquei por uns 10 minutos olhando todas as capas, passando as folhas e lendo as contra capas. Não via a hora de chegar em casa pra saber quais seriam as minhas primeiras impressões dessa febre tão comentada. Comecei a ler em um dia de semana, logo no começo da noite e confesso com todas as letras que me apaixonei pela história logo nas primeiras páginas. Há quem odeie Twilight com todas as forças do tipo “nunca experimentei, mas não gosto mesmo assim”, há quem ache “água-com-açúcar” demais, há quem ache que é só mais uma moda do momento, há quem ache que essa febre não passa de uma simples criação pra vender horrores. Que ache!

EU AMEI.

E quando terminei de ler a ultima página do ultimo livro – Amanhecer, fui tomada por aquele conhecido vazio que a gente sente quando se termina uma história de que gostamos muito. Queria ler mais. Queria que Stephenie Meyer tivesse escrito mais umas 15 continuações pra eu ler principalmente, naqueles dias chuvosos e nublados quando eu não tenho mais nada pra fazer e que eu adoro. Me apaixonei pelo casal Bella Swan e Edward Cullen, adorei as referencias de “O Morro dos Ventos Uivantes” e “Romeu e Julieta” que por muitas vezes a autora faz nos livros. Adorei todos os personagens sem exceção. Gostei até daqueles vilões cruéis que iam contra ao final feliz que todo mundo espera.

E eu que achava tão adolescente, me surpreendi, amei a história e mudei completamente a minha opinião – pelo menos posso dizer em relação aos livros! Amo leituras, amo boas histórias, amo personagens inesquecíveis. Não gostei de Harry Potter, mas isso é outra história. E mesmo com tanta desconfiança de antes, hoje eu virei fã de carteirinha da saga Twilight. O que seria do branco se todos só gostassem do vermelho? Ah, o gosto… Esse sim! Ainda bem que ele está sempre perambulando por aí em milhões de formas diferentes.

Enfim… A estréia do filme Lua Nova (2º da saga) está marcada para o dia 20/11 aqui no Brasil. No livro, foi uma das seqüências que eu mais gostei e essa semana eu assisti ao trailer (agora sim) oficial:

01 ago, 2009

Novos Vampiros em Lua Nova!

MÚSICA DO DIA: BULLET WITH BUTTERFLY WINGS – SMASHING PUMPKINS

Clique no para ouvir.

Novos Vampiros em Lua Nova!

Os Volturi, clã dos vampiros italianos de Lua Nova, continuação do filme Crepúsculo, foram apresentados, devidamente caracterizados, esta semana:


Michael Sheen (Frost/Nixon) é Aro, o líder do bando. Christopher Heyerdahl (Stargate Atlantis) vive Marcus. Caius é interpretado por Jamie Campbell Bower (RocknRolla – A Grande Roubada). A jovem atriz Dakota Fanning (A Vida Secreta das Abelhas) é Jane e Alec é vivido pelo garoto Cameron Bright (Juno).

Fonte: Revista Monet

Há duas semanas eu comprei os livros, semana passada terminei o primeiro e essa semana já comecei a ler “Lua Nova”, sendo que o filme tem a sua estréia para o dia 20 de novembro deste ano, o que acho bom porque até lá com certeza eu já terminei ler, não ia querer assistir ao filme antes, justamente para não perder a graça, livros sempre surpreendem mais! E sim, eu já virei fã de toda a série Crepúsculo (fã… e não bancando a menininha histérica – que fique bem claro, afinal não tenho mais idade pra esse tipo de mimimi), a história é muito bem escrita e não tem aquele ar adolescente como no filme (podem acreditar!), são livros que eu recomendo, pois te prendem desde a primeira página!

P.S. Só achei que o vampiro Aro está com um ar meio “Família Lima”, não acham?

02 jul, 2009

Para se ler durante o dia…

MÚSICA DO DIA: CALOR DA HORA – PAPAS DA LÍNGUA

Clique no para ouvir.

Para se ler durante o dia…

Terminei dias atrás de ler “A Sombra do Vento”. Amei! É uma história eletrizante escrita em uma prosa, ora irônica, ora poética, ambientado em Barcelona na primeira metade do século XX, o romance de Zafón é uma obra envolvente e impossível de largar. Além de contar muito bem, esse lado mágico que é ler um livro, “A Sombra do Vento” é uma história inesquecível. Eu recomendo!

E hoje mesmo comecei a ler “A Estrada da Noite” de Joe Hill (filho por sinal, do grande gênio Stephen King, sendo assim, vocês já podem imaginar o conteúdo da história):

“Uma lenda do rock pesado, o cinqüentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta. “Vou vender o fantasma do meu padrasto pelo lance mais alto…” Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas – o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um. Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora. O espírito parece estar em todos os lugares, à espreita, balançando na mão cadavérica uma lâmina reluzente – verdadeira sentença de morte. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar. O morto é Craddock McDermott, o padrasto de uma fã que cometeu suicídio depois de ser abandonada por Jude. Numa corrida desesperada para salvar sua vida, Jude faz as malas e cai na estrada com sua jovem namorada gótica. Durante a perseguição implacável do fantasma, o astro do rock é obrigado a enfrentar seu passado em busca de uma saída para o futuro. As verdadeiras motivações de vivos e mortos vão se revelando pouco a pouco em A estrada da noite – e nada é exatamente o que parece. Ancorando o sobrenatural na realidade psicológica de personagens complexos e verossímeis, Joe Hill consegue um feito raro: em seu romance de estréia, já é considerado um novo mestre do suspense e do terror.”

Fonte: Submarino

Pelas primeiras páginas que li, senti de imediato que pelo menos para mim, não é um livro para se ler durante à noite. Embora eu seja apaixonada por histórias de terror e no quesito medo considere, por exemplo, Stephen King (justamente pela sua genialidade em conseguir com palavras te apavorar), um dos melhores escritores de todos os tempos, eu evito ler um livro como esse depois das 22 horas ehehehe!

E por quê?

Porque seja lá qual for o livro, quando estou lendo, eu me esqueço literalmente do mundo à minha volta, mergulho de cabeça na história, choro, dou risada, sinto medo… Tanto que, dependendo da história eu acabo sonhando com o que li depois (justamente talvez pelo hábito de ler antes de dormir) é sério! – principalmente se esses livros forem as horripilantes histórias de terror. Lembro-me quando eu estava lendo “A Hora do Vampiro” (por sinal de S.K. também): terror de primeira qualidade, cheio de becos escuros e vampiros sanguessugas… Era tarde da noite e eu estava TÃO absorvida na história que quando o Rick abriu a porta, entrou no quarto e chamou o meu nome, eu levei um susto tão grande que quase grudei no teto. Dois dias depois, não sendo o bastante, eu sonhei com a história também (o tal vampiro corria atrás de mim) e decidi que depois dessas experiências (nada boas) seria melhor ler um pouco durante o dia, continuar com as minhas atividades de rotina e à noite procurar um desenho animado na televisão. E eu sei, confessar uma coisa dessas, pode parecer um tanto quanto infantil da minha parte, mas talvez seja esse o motivo: o de te “prender” na história a ponto de te levar pra lugares tão diferentes daqueles que você já está, que faz com que um livro ou um filme seja tão inesquecível na sua essência.
Ok, e depois eu digo o que achei sobre esse, ihihihihi.

21 abr, 2009

Livros!

MÚSICA DO DIA: THE HARDEST PARTY – COLDPLAY

Clique no para ouvir.

Livros!

Livros são sempre uma boa pedida! Sempre é um bom presente e sempre é uma ótima compra pra quem gosta e tem o vício da leitura, confesso que há alguns anos atrás eu não tinha esse hábito que é tão saudável e prazeroso para a mente, mas hoje eu não fico mais sem ler, no way, mesmo que por falta de tempo eu demore meses pra terminar um livro (tudo bem que Stonehenge – minha atual leitura eu já passei da metade, está muuuuuuito bom). Portanto, como coisas boas a gente compartilha, eu deixo aqui 3 dicas de livros que já estão na minha casa e na lista das minhas próximas leituras também, o primeiro eu comprei com o cartão presente da Siciliano que eu ganhei da Melissa e do Dani no meu aniversário:

A Sombra do Vento – Carlos Ruiz Zafón

“A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias.”

O segundo foi escolhido pelo Rick – meu amado, que inclusive, já começou a ler:

A Profecia Voynich – Richard D. Weber

Um manuscrito de origem obscura guarda o segredo da riqueza e da juventude eterna. Um espelho negro que amplifica a pureza ou a crueldade de quem ousa mergulhar em seus mistérios. Um grupo de crianças com poderes especiais. Misture esses elementos e acrescente Blair Kelly, arqueóloga e sacerdotisa celta; Heinrich Gant, cruel e implacável negociante de armas; Margot, mulher bela e misteriosa, assassina sadomasoquista; e Brody Devlin, agente secreto da Força Ômega encarregado de investigar as atividades criminosas de Gant e seu cúmplice.Todos esses ingredientes fazem parte do novo livro de Richard D. Weber, A Profecia Voynich – Criança índigo, uma história de busca espiritual e loucura; de crueldade e compaixão; que mistura nazismo, psicologia, alquimia, artilharia de ponta, fantasia e realidade em uma trama envolvente.

E este, foi emprestado pela minha amiga Fusca:

Coraline – Neil Gaiman

“A história de Coraline é de provocar calafrios. A narrativa dá muitas voltas e percorre longas distâncias, criando um “outro” mundo onde todos os aspectos de vida são pervertidos e desvirtuados para o macabro. Ao mesmo tempo sutil e cruel, o autor gosta de desafiar as imagens simples dos livros infantis tradicionais. As crianças vão se deliciar com o frio que correrá em suas espinhas durante a leitura e ficarão até agradecidas por existir um escritor que finalmente se recusa a tratar com condescendência uma platéia ávida por empolgantes contos de terror. Coraline (e NÃO “Caroline”, como ela mesmo diz inflexivelmente) acaba de se mudar para um apartamento num prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos excêntricos e amáveis que não conseguem dizer seu nome do jeito certo, mas encorajam sua curiosidade e seu instinto de exploração. Em uma tarde chuvosa, consegue abrir uma porta na sala de visitas de casa que sempre estivera trancada e descobre um caminho para um misterioso apartamento “vazio” no quarto andar do prédio. Para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais. Na verdade, aquele parece ser um “outro” completo mundo mágico atrás da porta. Lá, há brinquedos incríveis e vizinhos que nunca falam seu nome errado. Porém a menina logo percebe que aquele mundo é tão mortal quanto encantador e que terá de usar toda a sua inteligência para derrotar seus adversários. Exigem vários projetos para levar os livros de Gaiman para o cinema. Um deles, ainda em desenvolvimento, é a adaptação de Coraline. O filme que será produzido pela Pandemonium Films e, distribuído pela Disney, está sendo esperado ainda para este ano.”

Depois (e aos poucos) eu digo o que achei de todos!

12 fev, 2009

Meme: Livro Mais Próximo

MÚSICA DO DIA: ALL THE WAY TO RENO – R.E.M

Clique no para ouvir.

Meme: Livro Mais Próximo

Recebi esse meme do (que odeia memes, mas acho que aos poucos ele está se simpatizando por eles ihihihih):

Livro mais próximo.

Regras:

1 – Agarrar o livro mais próximo.
2 – Abrir na página 161.
3 – Procurar a 5ª frase completa.
4 – Colocar a frase no blog.
5 – Não escolher a melhor frase nem o melhor livro. Utilizar mesmo o livro que estiver mais próximo.
6 – Repassar para 6 pessoas.

O livro que está mais próximo é “Entrevista Com o Vampiro” da Anne Rice – que estou lendo e acho que termino neste fim de semana!

A quinta frase completa é:

“A chuva caiu como agulhas brilhantes em meus olhos, olhos que se esforçavam para ver o vulto escuro da carruagem reluzir contra o céu. O cocheiro agachado se retesou à minha ordem enérgica, suas mãos desajeitadas procurando o chicote instintivamente, e a carruagem largou quando bati a porta, os cavalos galopando enquanto levantava a tampa do caixão, meu corpo batendo rudemente de um lado, minhas mãos queimadas afundando na seda fria e protetora, a tampa descendo sobre o esconderijo da escuridão.”

Repasso para:

Lulu
Ju
Lu
Cris
Paula
Renan

…. E para quem mais quiser fazer, sinta-se à vontade!

31 jan, 2009

Boas Leituras…

MÚSICA DO DIA: EASILY – RED HOT CHILI PEPPERS

Clique no para ouvir.

Boas Leituras…

Rick – meu amado, comprou estes dois livros:

PhotobucketDexter – A Mão Esquerda de Deus
Jeff Lindsay

Descrição:

Dexter Morgan é um educado lobo vestido em pele de ovelha. Ele é atraente e charmoso, mas algo em seu passado fez com que se transformasse numa pessoa diferente. Dexter é um serial killer. Na verdade, é um assassino incomum que extermina apenas aqueles que merecem. Ao mesmo tempo, trabalha como perito da polícia de Miami… Em Dexter, a Mão Esquerda de Deus, o livro que deu origem à aclamada série de TV, o adorável matador depara-se com um concorrente de estilo semelhante ao seu, encanta-se e incomoda-se com ele, prevê seus passos… A escrita requintada de Jeff Lindsay nos faz mergulhar na mente de um dos personagens mais ambíguos da história da literatura de suspense. Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima.

Sou fã do seriado, vocês sabem muito bem disso, aliás, estamos com a terceira temporada em casa pra assistir e a semana que vem já terei os quatro primeiros episódios de Lost também (ansiosa Mode ON), acredito que o livro seja tão bom quanto a série, portanto, já deixo registrado como uma boa leitura recomendada.

E esse eu ganhei de presente:

PhotobucketStonehenge
Bernard Cornwell

Descrição:

Uma combinação perfeita: um dos escritores ingleses mais bem-sucedidos no Brasil escreve sobre um dos mais conhecidos e enigmáticos mistérios do planeta. Como explicar Stonehenge, um enigma tão complexo quanto as pirâmides do Egito? Qual era a finalidade desse círculo de pedras? Todos os anos, milhares de turistas seguem até a planície de Salisbury para tentar entender o grande mistério. Teria o monumento sido erguido pelos gregos? Ou se trata de um templo construído pelos druidas celtas? Bernard Cornwell recria a época da construção do monumento em uma emocionante disputa entre três irmãos pelo poder de sua tribo.

Lembram quando eu falei sobre este livro? Mesmo autor que escreveu “As Crônicas de Artur” (amo) e blábláblá? Está em algum post perdido do ano passado, ganhei de presente do Rick e tenho certeza que este em especial terá um gostinho bem diferente quando eu começar a ler, já que estive bem diante de todo esse mistério que é o Stonehenge na nossa viagem em Agosto. ADORO!!!

27 nov, 2008

Livros!

MÚSICA DO DIA: ROCK YOUR BODY – JUSTIN TIMBERLAKE

Clique no para ouvir.

Livros!

O que pode ser tão tentador quanto uma barra de chocolates em um daqueles dias que é só disso que vc precisa?

O que pode ser tão tentador quanto uma loja da Melissa que tem TODOS os modelos que vc mais gosta e PRECISA comprar?

O que pode ser tão tentador quanto a sua loja de roupas preferida com todas as roupas (do seu tamanho) em promoção?

O que pode ser tão tentador quanto aquela combinação aconchegante, perfeita e que todo mundo gosta de Sofá + Tevê = Dia Chuvoso?

Tão tentador quanto….
Livros!

Isso mesmo… Livros!

A amiga Bella mandou o link destes livros hoje no meu email, dizendo que lembrou na hora de mim, quando estava navegando no tentador site do Submarino:


A Vida Com Minha Irmã Madonna

O extraordinário livro de Christopher Ciccone tem como base os 47 anos que passou ao lado da mulher mais famosa de nossa era, a personalidade que há décadas intriga, escandaliza e diverte milhões de pessoas.
Durante grande parte da carreira da estrela, Christopher desempenhou um papel importante em sua vida: foi seu dançarino de apoio, assistente pessoal, camareiro, decorador, diretor artístico e diretor de turnês.
A vida com minha irmã Madonna é o tipo de história instigante e impossível de largar que você sempre quis saber, contada pelo irmão mais novo de Madonna.

No mínimo polêmico, pra quem deseja saber tudo (tudo mesmo) sobre a Madonna este livro é um prato cheio, reza a lenda que tem os podres mais obscuros dela!


Stonehenge

Uma combinação perfeita: um dos escritores ingleses mais bem-sucedidos no Brasil escreve sobre um dos mais conhecidos e enigmáticos mistérios do planeta. Como explicar Stonehenge, um enigma tão complexo quanto as pirâmides do Egito? Qual era a finalidade desse círculo de pedras? Todos os anos, milhares de turistas seguem até a planície de Salisbury para tentar entender o grande mistério. Teria o monumento sido erguido pelos gregos?
Ou se trata de um templo construído pelos druidas celtas? Bernard Cornwell recria a época da construção do monumento em uma emocionante disputa entre três irmãos pelo poder de sua tribo.

Por sinal é do mesmo autor que escreveu a trilogia das “Crônicas de Artur” – um dos meus livros preferidos e mais legais que já li na minha vida!

Ai ai….

15 maio, 2008

Livro + Filme

MÚSICA DO DIA: DESCONFIO – CPM22

Livro + Filme

Pra não me sentir culpada em postar tantas abobrinhas sobre as celebridades idiotas e suas vidas infâmes, prometi falar de livros e filmes no próximo post que por sinal é este aqui, então let’s go:

Dei de presente à minha mãe, agora no Dia das Mães, o livro “A Cidade do Sol” de Khaled Hosseini – o mesmo que escreveu “O Caçador de Pipas” e que como referencia é um ótimo livro tbm:

Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rasheed, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: “Você pode ser tudo o que quiser.” Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela História, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a História continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do “todo humano”, somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.

No Submarino

Eu estava lendo Atlantis de David Gibbins, mas depois que li as primeiras 173 páginas perdi a paciência e resolvi parar de uma vez por todas, tudo pq o livro simplesmente não me agradou em nada.
(e odeio quando isso acontece).
Tinha tudo para ser um ótimo romance recheado de fatos reais segundo dados colocados pelo autor, haja vista pelo tema que aborda – e foi por isso que acabei comprando, mas são informações tão técnicas e detalhadas que se torna algo cansativo, praticamente um sono forçado ou uma dose cavalar de Diazepam em forma de páginas, e a história que tinha tudo para ser emocionante é o que menos aparece.

Como minha mãe está terminando de ler um livro espírita – tema que ela adora, resolvi então usufruir do seu presente (confesso havia todo um interesse da minha parte quando comprei), e posso dizer sem qualquer sombra de dúvidas que “A Cidade do Sol” é um livro apaixonante e emocionante logo nas primeiras duas páginas.

Estou adorando.

Penso que, livro é algo tão pessoal quanto a roupa íntima que vc veste.
Muita gente lê a mesma coisa, do tipo algum best seller do momento, mas todo mundo tem uma preferência por determinado tema ou assunto, e acho que (quase) todos sabem dos temas e assuntos que eu mais gosto e principalmente sabem, daqueles livros que tem a minha sincera e profunda antipatia; na minha opinião – por exemplo, Paulo Coelho é o top da porcaria literária assim como a sua pessoa (acho um absurdo ele se autodenominar como Bruxo, Mago ou sei lá mais o quê) e livros enfadonhos do tipo auto-ajuda como “O Segredo” (que eu só precisei folhear duas páginas e ter certeza daquilo que eu já sabia: é uma bosta) eu nem perco o meu precioso tempo em tentar gostar.

Mas por favor, que fique bem claro que eu respeito quem gosta e lê, é por isso que eu disse que cada um tem um gosto diferente, porém, minha opinião pode não ser a mesma que das outras pessoas. All right?

No mais, leiam “A Cidade do Sol”. Eu recomendo!

Nesse final de semana que passou assistimos com um casal de amigos Alvin e os Esquilos:

Sinopse

Alvin, Simon e Theodore são três esquilos especiais, que decidem morar na casa de Dave Seville (Jason Lee), um compositor em busca do sucesso. Logo eles percebem que, para que Dave permita que eles morem em sua casa, o trio precisará demonstrar que tem talento. Assim Alvin, Simon e Theodore mostram que sabem cantar, tornando-se um grande sucesso. Isto faz com que Dave torne-se não apenas seu compositor, mas também um verdadeiro pai. Só que o estrelato sobe à cabeça do trio, gerando problemas no relacionamento deles com Dave.

Não é muito o gênero de filme que eu gosto (tirando o Shrek) se comparado a ultima dica que coloquei aqui e que muito menos eu tbm pagaria por uma entrada no cinema, mas o filme é bem engraçadinho e valeu pelas risadas, assistam quando estiverem de bom humor.

31 mar, 2008

Livros!

MÚSICA DO DIA: HALF A PERSON – SMITHS

Livros!

Vamos falar em leituras?
Há umas duas semanas, comecei a ler este livro aqui:

O Ultimo Templário

E não está caro:
R$ 29,50 no Submarino

Quatro homens mascarados montados a cavalo, vestidos como Cavaleiros /Templários, irrompem na noite de gala de inauguração de uma exposição do Vaticano no Museu Metropolitan e roubam um misterioso decodificador medieval, lançando o agente do FBI Reilly e a arqueóloga Tess Chaykin numa corrida mortal por três continentes em busca do local final de descanso do Templo do Falcão e a perturbadora verdade sobre a sua carga.

É um livro bem interessante.
A trama que é totalmente policial lembra bastante “O Código da Vinci”, que por sinal, foi um livro que gostei bastante tbm, mesmo com as suas milhões de críticas e polêmicas. Além do que, A-M-O de paixão todas essas histórias que envolvem os Templários, Graal, Cruzadas e afins…
Caso alguém se interessar, eu recomendo, pois é uma boa leitura.

Há outros livros que eu fico cobiçando cada vez que eu piso em alguma livraria e que quero ler ainda para esse ano, ambos são trilogias de Bernard Cornwell – o mesmo que escreveu “As Crônicas de Artur” e que diga-se de passagem é um dos meus livros favoritos.
Uma das trilogias é essa aqui: “A Busca do Graal” – (O Arqueiro/ O Andarilho/ O Herege).

Achei os três livros na Nobel, porém, o preço está um pouquinho salgado.

A outra trilogia – dele tbm, é essa aqui: “Crônicas Saxônicas” – (O Ultimo Reino/ O Cavaleiro da Morte/ Os Senhores do Norte).

Que tbm está na Nobel por um preço salgadinho.
Poderia até recorrer para os Ebooks, como já tentei algumas vezes, mas quem disse que eu consigo ler pelo computador?
Não tem graça. Não consigo. Não dá.
Gosto de ter o livro nas minhas mãos, folhear as páginas (a-do-ro) e sentir aquele cheirinho (dependendo do livro) de papel novo.
E acreditem se quiserem: trocaria fácil o novo cd da Madonna que ainda está para ser lançado aqui no Brasil, por qualquer um desses livros!

* E não estou ficando louca!

04 mar, 2008

computer + filme + livro

MÚSICA DO DIA: 29 PALMS – ROBERT PLANT

computer + filme + livro

Vou lhes dizer uma coisa:

Eu realmente perco a paciência quando meu computador resolve não mais colaborar com a minha pessoa. Ontem foi a vez do antivírus dar xabú em tudo por aqui, e são nessas horas de (in)paciência que eu agradeço a experiência que adquiri quando eu trabalhei na saudosa AOL.
Pelo menos no quesito conhecimento eu não sou nenhuma sabe-tudo, mas me viro o suficiente a ponto de resolver algumas coisas sozinha e sem precisar levar na assistência técnica.

Enfim, assistimos esse filme aqui no final de semana:

1408

Sinopse
Um promissor romancista, Mike Enslin (John Cusack), resolveu enveredar por outro caminho e escrever livros que investiguem fenômenos paranormais. Enslin nunca presenciou realmente algum destes fatos, então fica difícil obter credibilidade. Além do mais Mike é totalmente cético, pois até hoje não encontrou evidências de que exista vida após a morte. No entanto decide ir até Nova York e se hospedar no Dolphin Hotel, mais exatamente no quarto 1408, que tem fama de ser habitado por espíritos malignos. O gerente do hotel, Gerald Olin (Samuel L. Jackson), o avisa que 56 mortes já ocorreram neste quarto, mas Mike está decidido a conferir se sua fama está condizente com a verdade.

Embora os últimos 20 minutos sejam um pouco parados, gostei bastante.

Ah… E mediante ao meu vício misturado com a minha aguçada curiosidade eu informo que já estou no 5º episódio de Lost e puxa vida…

O que dizer?
Tá foda!
Não, melhor…
MUITO foda!

Contudo, como não é só de tevê que eu vivo, terminei de ler esse livro aqui:

Eu Sou o Mensageiro

Ed Kennedy. Dezenove anos. Um perdedor.
Seu emprego: taxista. Sua filiação: um pai morto pela birita e uma mãe amarga, ranzinza. Sua companhia constante: um cachorro fedorento e um punhado de amigos fracassados.
Sua missão: algo de muito importante, com o potencial de mudar algumas vidas. Por quê? Determinado por quem? Isso nem ele sabe.
Markus Zusak, autor do best-seller A Menina que Roubava Livros, nos fornece essas respostas bem aos poucos neste incomum romance de suspense, escrito antes do seu maior sucesso.
O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir um assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas. O conteúdo: invariavelmente, uma carta de baralho, um ou mais endereços e… só. Fazer o que nesses lugares? Procurar quem? Isso ele só saberá se for. Se tentar descobrir. E, com o misto de destemor e resignação dos mais clássicos anti-heróis, daqueles que sabem não ter mesmo nada a perder nesse mundo, é o que ele faz.
Ed conhecerá novas pessoas nessa jornada. Conhecerá melhor algumas pessoas nem tão novas assim. Mas, acima de tudo, a sua missão é de autoconhecimento. Ao final dela, ele entenderá melhor seu potencial no mundo e em que consiste ser um mensageiro.

E como já mencionado acima, é do mesmo autor de “A Menina que Roubava Livros”, não é tão maravilhoso quanto, mas é uma ótima leitura.

Volto depois.

30 jan, 2008

Livros!

MÚSICA DO DIA: HIGH – JAMES BLUNT

Livros!

O mês passou voando não é mesmo, minha gente?
E por conta do mês de janeiro que é bem mais sossegado pra quem trabalha no ramo de óticas (tipo assim… tipo eu), aproveitei esses tais momentos de ócio, preguiça e deliciosos dias chuvosos para ler.
Já li dois excelentes livros e por sinal, já estou lendo um terceiro.
Sem contar que, só pra variar um pouquinho, eu estou pesquisando tudo sobre um tal lugar em um guia de viagens que o Rick – meu amado comprou, mas, este em especial é assunto pra depois… Bem depois.

Enfim… Li “A Menina que Roubava Livros” que eu amei de paixão, li tbm (aliás finalmente) o tão comentado “Código da Vinci” e agora estou lendo “O Caçador de Pipas” (ah, obrigado pela dica Tio Renato):

Este romance conta a história da amizade de Amir e Hassan, dois meninos quase da mesma idade, que vivem vidas muito diferentes no Afeganistão da década de 1970. Amir é rico e bem-nascido, um pouco covarde, e sempre em busca da aprovação de seu próprio pai. Hassan, que não sabe ler nem escrever, é conhecido por coragem e bondade. Os dois, no entanto, são loucos por histórias antigas de grandes guerreiros, filmes de caubói americanos e pipas. E é justamente durante um campeonato de pipas, no inverno de 1975, que Hassan dá a Amir a chance de ser um grande homem, mas ele não enxerga sua redenção. Após desperdiçar a última chance, Amir vai para os Estados Unidos, fugindo da invasão soviética ao Afeganistão, mas vinte anos depois Hassan e a pipa azul o fazem voltar à sua terra natal para acertar contas com o passado.

Fonte: Submarino

É bom? Sim, estou gostando bastante!
Aliás, caso alguém tenha preguiça com leituras o filme está em cartaz no cinema, entretanto, existe aquela regra básica que o livro é SEMPRE melhor que o filme, vale lembrar que para toda regra há a exceção, claro, porém por via das dúvidas só vou assistir depois, quando eu terminar o livro.