Posts arquivados em Tag: Colleen Hoover

02 dez, 2019

Livro: Confesse

Um romance sobre arriscar tudo pelo amor — e sobre encontrar seu coração entre a verdade e a mentira. Da autora das séries Slammed e Hopeless.

Auburn Reed perdeu tudo que era importante para ela. Na luta para reconstruir a vida destruída, ela se mantém focada em seus objetivos e não pode cometer nenhum erro. Mas ao entrar num estúdio de arte em Dallas à procura de emprego, Auburn não esperava encontrar o enigmático Owen Gentry, que lhe desperta uma intensa atração. Pela primeira vez, Auburn se vê correndo riscos e deixa o coração falar mais alto, até descobrir que Owen está encobrindo um enorme segredo. A importância do passado do artista ameaça acabar com tudo que Auburn mais ama, e a única maneira de reconstituir sua vida é mantendo Owen afastado.

Eu li esse livro em 2 dias e Colleen Hoover acabou de entrar pra minha lista de escritoras queridinhas da atualidade porque é o terceiro livro que leio dela e que gosto tipo assim… Muito mesmo, sabe? E que história! É impossível não se apaixonar pelos protagonistas Auburn e Owen. O livro começa com um prólogo bem triste que serve de gancho pra toda a base da história, o que dá um certo mistério a narrativa também. “Confesse” é uma história tão delicada que chega a ser poética, principalmente quando se trata de personalidade de Owen e da forma altruísta que ele age com Auburn, sempre pensando em sua proteção.

É sobre amar, mas saber que tudo pode mudar e mesmo assim você sempre irá querer o melhor pra pessoa – mesmo que o preço seja abrir mão desse amor. É sobre a delicadeza da arte usada como forma de você expressar seus maiores e mais íntimos segredos. Em muitos momentos a história me angustiava também porque como disse, há um certo mistério sobre o passado dos personagens. Eu achei fantástico como o desenrolar de tudo seguiu de uma maneira visceral e ao mesmo tempo até inesperada. E o final? O final foi um dos melhores que já li nos últimos tempos, eu não esperava que seria daquela forma e embora algumas resenhas que li – muita gente não ter gostado, eu achei simplesmente perfeito.

Confesse é aquele livro que muito possivelmente você irá devorar em pouquíssimos dias como foi comigo, é uma leitura super fluída, mas ao mesmo tempo tão profunda, tão envolvente que vai te despertar uma infinidade de emoções, seria uma ótima escolha de leitura pra um clube de livro.

5/5 xícaras:

28 out, 2019

Livro: É Assim Que Acaba

Um romance sobre a força necessária para fazer as escolhas corretas nas situações mais difíceis. Da autora das séries Slammed e Hopeless.

Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

Este é o segundo livro de Colleen Hoover que eu leio. O primeiro foi Novembro 9 e desde esse livro eu me simpatizo muito por essa autora, gosto de sua narrativa. “É Assim que Acaba” se trata de uma história bem delicada que aborda um tema muito delicado também: a violência doméstica. A história começa com Lily e Atlas e em paralelo tem o relacionamento dos pais de Lily com um pai que é violento com a mãe. Depois, não vou contar o motivo, Lily perde o contato com Atlas e se muda para Boston. Lá ela monta seu próprio negócio e conhece Ryle. É engraçado que logo no começo da história não tem como você não se apaixonar por ele e principalmente depois pela história de amor dos dois, é tudo muito perfeito. Os personagens carregam suas qualidades e defeitos, mas que são tão reais, que vamos nos identificando sempre em alguma coisa com eles.

Acontece que logo depois a história toma um outro rumo. Atlas reaparece e as coisas começam a mudar de sentido e seguem um caminho bem complexo e super delicado para Lily porque Ryle se mostra uma outra pessoa após algumas situações. E aí você começa a compreender todas as questões de mulheres que são agredidas pelo parceiro e que não são nada simples de se resolver com um “largar do cara e seguir a vida“.

Uma mulher não é fraca porque decidiu continuar a sua vida com o agressor mesmo após tantas surras. A gente percebe que cada história é diferente da outra, mas que todas as mulheres são fortes independente de terem continuado ou não com um marido violento. Você compreende os sentimentos absurdamente conflitantes que a mulher agredida passa entre o Amor X Ódio, entre o Perdão X Medo e se coloca no lugar da pessoa enxergando que não é tão simples como muita gente pergunta “mas porque não largou quando ele te agrediu?”. É um livro que nos traz muitas reflexões e empoderamento, em ouvir ao invés de julgar, então eu acho que vale muito a leitura mesmo se você não curta esse tipo de romance.

Eu gostei muito dessa história, principalmente porque Colleen Hoover se baseou nas experiências da própria vida que teve com um pai violento (mas ao mesmo tempo muito amoroso com os filhos) pra criar personagens tão reais numa história tão pesada sobre um tema que deveria ser muito mais falado e que, infelizmente, é super comum à muitas mulheres. 5/5 xícaras:

29 dez, 2017

Livro: Novembro, 9

Esse foi o meu ultimo livro lido em 2017. Então ao todo foram 17 livros que li ano passado e não 16 como eu havia dito no post anterior e esse foi um dos que eu devorei MESMOOOO, porque a história é muito boa e me surpreendeu bastante! Vamos ao resumo:

Autora número 1 da lista do New York Times retorna com uma história de amor inesquecível entre um aspirante a escritor e sua musa improvável. Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?

Quando comecei a ler esse livro eu achei que seria daquele tipo de romance bem piegas e logo pensei: “xiii! acho que não vou gostar” mas continuei e a história foi se moldando e ficando cada vez melhor. A autora começa te envolvendo na trama que aparentemente tem tudo pra ser uma grande história de amor (apenas), até começar a acontecer várias reviravoltas loucas que quando você acha que é uma coisa, acaba sendo outra. Novembro, 9 é uma história emocionante, forte, romântica, triste, dolorosa e que prova principalmente que não necessariamente nascemos com um destino traçado, pois a história toda é basicamente criada a partir das consequências feitas pelas ações dos personagens principais e tudo pode mudar. É um livro que fala da real beleza do ser humano – a interna, de autoestima, de correr atrás dos objetivos, dos sacrifícios que fazemos por amor, ah sim, o amor… Tem muito amor no livro. Vou procurar mais livros dessa autora porque pelo que li ela tem outras obras tão excelente quanto essa. Eu ia deixar essa resenha só pro ano que vem, mas como gostei super desse livro e ele foi o ultimo do ano, não podia deixar de escrever, aproveita e dá uma olhada no post com o balanço do meu 2017 e os livros que mais gostei e o que menos gostei esse ano. Esse ganhou as 4/4 xícaras de café de recomendação.

“— Nós só recebemos uma mente e um corpo quando nascemos. E são os únicos que ganhamos, então cabe a nós cuidar de nós mesmos.”