27 maio, 2019

Livro: A Garota Italiana

Uma inesquecível história de amor, traição, paixão, obsessão e música.

Aos onze anos de idade, Rosanna Menici conhece o cantor Roberto Rossini, uma estrela em ascensão no mundo da ópera italiana – e o homem que mudaria sua vida para sempre. Incentivada – e apaixonada – por ele, Rosanna passa a se dedicar ao estudo do canto lírico, torna-se cantora profissional, e logo os dois se encontram nas salas de concerto mais famosas do mundo, dividindo não só o palco como também o mesmo destino.

Com seu talento incomum para descrever ambientes e evocar sensações e sentimentos universais, Lucinda Riley nos leva a acompanhar a trajetória de Rosanna, desde os bairros pobres de Nápoles até os teatros mais glamourosos do planeta, trazendo à tona, com sua prosa inconfundível, as alegrias, tristezas, frustrações, decepções e redenções do amor.

Eu vou dar um resumão bem básico sobre essa história: basicamente a protagonista é uma egoísta idiota que abriu mão de tudo e de todos que fizeram milhões de coisas por ela pelo amor de um cafajeste com um pau de ouro… É isso! Não é um livro ruim não, mas não teve aquele “noooossa” sabe? Esse foi o meu primeiro livro de Lucinda Riley e acho que, fazendo um remember mental, foi a primeira história que eu odiei a protagonista. Rosanna é uma personagem teria tudo para ser uma mulher cativante e forte e começou bem nisso, mas aí ela tem um amor platônico que no meio da história se casa com ele e gente?!? É um relacionamento tão abusivo, tão meloso e tão grudendo (argh!) que tem horas que você pensa – “mas não é possível que ela está fazendo isso” e aí a gente pensa no quanto existe esse tipo de amor doentio por aí.

Bom, aí com tudo isso ela acabou pagando um preço alto por tudo que abriu mão, além de ter dado as costas pra todo mundo, inclusive pra quem mais a ajudou e isso eu achei que não teve o troco merecido na história. Daí quando eu li os últimos momentos e vi que ela voltou a repetir OS MESMOS ERROS eu conclui que, definitivamente, que esse livro não funcionou para mim e por isso fiquei tão decepcionada com a personagem principal.

Pelas resenhas que andei lendo sobre esse livro, realmente não é da lista das melhores obras de Lucinda Riley, então acho que não foi também uma das minhas melhores escolhas para me iniciar com a autora, mas pretendo ler os outros livros dela. Vai ser só 3/5 xícaras porque gosto muito mais quando mulheres são tratadas como fortes e não como submissas nas histórias:

Juliana Esgalha

Tags: ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.